Market Wizard – Paul Tudor Jones II

“I lost my stakes a couple of times, which taught me risk control and risk management.
Losing those stakes in my early 20′s gave me a healthy dose of fear and respect for Mr.
Market and hard-wired me for some great money management tools.
I think I am the single most conservative investor on earth in the sense that I absolutely
hate losing money.” Paul Tudor Jones

 

Sem dúvida Paul Tudor Jones está na lista dos meus traders favoritos. Eu já tinha lido a entrevista que deu para Jack Schwager no Market Wizard, mas com certeza re-ler abriu mais os meus olhos para o que é ser um trader disciplinado, focado e persistente.

Uma característica de Jones é que apesar de ter apanhado bastante do mercado no começo da carreira ele aprendeu rápido mostrando sucesso cedo na careira. Assim, com um estilo altamente agressivo entrou na liga de Hedge Fund Managers como George Soros, Ray Dalio, John Paulson e Louis Bacon.

Hoje Jones vale 3.8 Bilhoes em patrimônio liquido.

Em 2013 um de seus fundos fez 100 milhões de dólares só em uma posição vendida em ouro. Apesar de Jones estar pessoalmente vendido em ouro em 2013 esta operação é a atribuída a Chris Tuohy um de seus atuais traders prodígios. 

O interesse por trading começou quando viu uma matéria sobre Richard Denis, legendário “pai” dos Turtles. Então, pensou que ser trader seria a melhor profissão do mundo e ele não tinha dúvida que era isto que queria fazer. Seu tio trabalhava como trader no mercado físico de algodão e por ter este contato arrumou um emprego com Elis Tullis um legendário trader de futuros em algodão. O motivo que não foi trabalhar com o tio foi que ele queria já ser trader de cara e não queria operar no físico.

Jones aprendeu muito com Tullis, principalmente o desprendimento de não perder a pose quando sobre grande pressão. Jones conta que Tullis de forma impressionante, quando estava sendo completamente massacrado pelo mercado, não mostrava nenhuma mudança emocional e continuava no seu jeito normal de ser ao lidar com as pessoas. Ele não chutava o cachorro nem gritava com os filhos, por exemplo, só porque uma posição se movia contra ele.

Antes de abrir o próprio fundo Jone trabalhou como corretor na E. F. Hutton, mas logo percebeu que não era o que se identificava, pois achava que não se sentiria confortável trabalhando em uma indústria onde o empreendedor é remunerado pela má performance do cliente. Isto eu discuto nest post.

Jones chegou a ser aceito para estudar MBA em Harvard, mas acabou abandonando a hipótese e resolveu ser gestor de fundos, pois seria uma profissão mais alinhada com ele, pois acreditava que deveria ser recompensado por fazer o cliente ganhar dinheiro e penalizado caso contrário. Começou com 1 milhão e 1980 e já estava gerindo mais de 300 milhões em 1987. Conseguiu retornos de mais de 100% por cinco anos consecutivos sem grandes draw downs e o fundo só não ficou maior porque já não estava recebendo mais fundos. 

Agora aqui vão os meus highlights da entrevista.

 Emoções: Se quer se trader tem que aprender desde cedo a tomar na cabeça, que é algo corriqueiro em trading. A pressão e o fato de perder dinheiro invariavelmente afeta o seu estado emocional em altos e baixos.

Respeito pelo mercado: Um ponto que ele enfatiza é gerenciamento de risco e respeito pelos mercado, como colocado na citação da abertura do post. Principalmente manter se humilde, caso contrário, segundo ele, você está morto.

Mitos sobre o mercado: Um dos maiores mitos é que o mercado pode ser manipulado. Apesar de acreditar que um grande trader pode influenciar o mercado por alguns dias mais cedo ou mais tarde o mercado é maior do que qualquer trader ou banco central e vai onde ele tem que ir.

Gerenciamento de risco: Sem dúvida a coisa mais importante e o melhor conselho que pode dar para iniciantes. Nunca faz preço médio. Isto inclusive virou uma foto famosa que uso no meu gravatar do Twitter. Repare o cartaz atrás dele “Losers Average Losers” ou “Perdedores fazem preço médio”.

Disciplina: Acredita que começou a dar certo quando passou a ter total disciplina no seu trading como se estivesse tocando um negócio.

Tamanho da posição: Jones usa o mesmo principio de outros market wizards que é aumentar o tamanho da posição quando está em uma sequencia de vencedores e diminuir quando está operando mal. Outra regra que ele usa é quando todas as posições simultâneas perdem mais do que 2% em um dia ele ZERA tudo e começa novamente, pois acredita que sempre pode voltar para a posição se quiser, mas que se não cortar as perdas acaba piorando e ficando difícil de gerencial a posição do ponto de vista emocional.

Execução: Por ser um trader de porte a execução é primordial. Segundo ele, não gosta de comprar break outs e sempre monta uma posição na antecipação de breaks e vê oportunidade de sair de trades quando o mercado dá um rally. Isto porque traders de grande porte tem que sair da operação quando pode e não quando precisa, porque tem um ponto que pode ser tarde demais.

Swing: Se considera um “swing trader”, pois acredita que o dinheiro é feito quando o mercado muda de direção. O seu estilo é ter uma visão de longo prazo e operar as viradas de mercado.

Elliot Wave: Atribui grande parte do seu sucesso a esta teoria. Fez uma quantidade absurda de dinheiro na segunda feira negra em 1987, pois quando o mercado abriu ele estava vendido. Já estava prevendo a queda desde a metade de 1986. O seu chefe de pesquisa na época, Peter Borish, sobrepôs os gráficos da alto da década de 20 e de 80 e tinham grandes similaridades quanto as ondas de Elliot. Ainda neste episódio para entender a agressividade e o pensamento rápido de Jones ele cobriu a posição no mesmo dia depois de ter caído mais de 20% e ficou comprado e fez dinheiro na subida. Pra mim isto indica a maestria e capacidade de gerenciar uma operação enquanto o mundo parece estar acabando.

 

Deficit e Macroeconomia: Como um excelente analista macro Jones e seu time entendia o cenário macroeconômico do final da década de 80. O que é muito parecido com o de agora onde a quantidade de divida estava crescendo muito devido a incentivos do governo. Devido a isto o mercado estava vulnerável a grande e abruptas quedas. Uma analise excelente que fez na época é que já sabia que o governo não queria cometer o mesmo “erro” da década de 30 em não estimular a economia. Assim, devido ao viés Keynesiano dos bancos centrais ele esperava o governo imprimir dinheiro e aumentar a divida e o estimulo fiscal. Desta forma, ele pode prever que o mercado poderia quebrar, mas logo se recuperaria devido a estímulos artificiais. Com isto pode operar bem não só o mercado do índice de ações mas também o mercado de juros.

Stops and Trend Following: Apesar de seguir tendências, Jones não é adepto a seguir sistemas de trend following de longo prazo que segundo ele trabalham com stops muito amplos para pegar grandes tendencias. Como dito anteriormente Jones se enquadra mais em operar no curto prazo tendo uma boa visão macro de longo prazo. Mesmo assim admite que testou todos os sistemas possíveis e que inclusive na época estava seguindo um sistema de tendencia que estava prometendo.

Contribuindo de volta para a sociedade e fé: Outros dois aspectos a ressaltar sobre Jones é que acredita que seu sucesso é devido a sorte e graça de Deus. Devido a isto ele se sente na obrigação de contribuir de volta a sociedade.  Juntamente com Peter Borish ele fundou a associação Robin Hood que tem o intuito de levantar dinheiro dos ricos para ser usado na educação de crianças não privilegiadas. Ouvi em uma outra entrevista que inclusive uma de suas opções de carreira era ser pastor, que era a preferida de sua mãe.

Para finalizar não deixe de assistir o documentário da PBS Trader. Tudor Jones comprou os direitos do documentário e não está mais disponível por meios públicos, mas na internet se acha tudo. Basta procurar :).

 

 

 

 

8 Comments

Filed under Fundamentos, Jornada, Psicologia de Trading, Reflexão, The Big Picture, Trading Plan

8 Responses to Market Wizard – Paul Tudor Jones II

  1. Jean

    Esse cara é foda, eu vi este documentário dele, eles analisando o gráfico impresso e operando no dia-a-dia não tem preço… ainda bem que hoje em dia podemos fazer tudo pela internet e com custos relativamente “baixos”.

  2. Marcelo

    Olá Vela!
    Primeiramente parabéns pelos posts. É muito interessante saber como os vários profissionais dessa área trabalham e até como se comportam.

    Estou operando um sistema Trend Following com análises semanais já faz quatro meses e estou gostando muito, apesar de que tenho muito ainda para aprender. Fiquei com uma dúvida no tópico “Tamanho da posição”: você colocou “aumentar o tamanho da posição quando está em uma sequencia de vencedores e diminuir quando está operando mal”. Essa alteração nos tamanhos deverá ou não estar dentro do manejo de risco que foi planejado? Dependendo da alteração, o manejo não poderia ficar muito desajustado e ocorrer grandes perdas?

    Abraços!

    Marcelo

    • Ola Marcelo,

      Obrigado pelo feedback

      Com relacao ao tamanho da posicao varias muitas traders, principalmente os que sao AGRESSIVOS, usam desta tecnica. Eles acreditam, e isto pode ser comprovado estatisticamente, que a distribuicao de probabilidades das operacoes estao agrupadas. Em outras palavras existem sequencias de vencedores consecutivos e de perdedores… entao quando comecam a perder muito eles percebem que tem uma sequencia ruim vindo e entao tiram o pe do acelerador ate passar e quando as coisas comecam a melhorar eles ENCHEM a mao aproveitando a sequencia boa. Esta eh a ideia geral.
      Abraco

      Vela

  3. Apesar do trabalho de trader ser algo que deve ter o mínimo de emoção possível nós somos seres humanos, com sentimentos, e faz falta termos referências boas de profissionais de sucesso nessa área. Não acho prudente pensar que seremos iguais a esse ou aquele cara, devemos ser o melhor de nós mesmos, entretanto no processo de autocontrole e disciplina ficamos um tanto quanto frios demais e sem referências, por isso é tão importante saber de histórias como do Paul Tudor Jones, assim nos enchemos com um pouco mais de ambição de força de vontade!

    Muito bom esses últimos posts Vela…principalmente as referências a Ray Dalio e John Paulson, que me fez ler esses outros posts.
    A sensação é que aqui no Brasil as informações boas da profissão ainda estão muito escondidas e vc é um cara que trás pra gente uma riqueza muito grande de informação e conhecimento, mais uma vez obrigado!!!

  4. Oi Vela!
    Sou fã confesso dos seus posts sobre livros. Eu li o primeiro Wizards há muito tempo, e a constatação que permanece é que métodos de ganhar no mercado são infinitos. Não é apenas o trend following, ou AF, fibo, daytrading, opções…curto ou longuíssimo prazo….como vários métodos deram o mesmo (bom) resultado, então o método em si não importa tanto quanto novatos como eu pensam.

    O que importa é o controle de risco, e mais importante ainda: o psicológico. Sem controle psicológico, você não respeita nenhuma regra e passa agir feito um animal na selva. Não respeita as regras de controle de risco, de entrada ou de saída. Nada. Sem controle psicológico, o trader não é nada.

    Agora que começo a entender porque você e outros traders experientes martelavam tanto pra mim a importância da mente. Na época achava que era “frescura”. Hoje, eu (e outros novatos amigos meus) vi que quando se coloca dinheiro real no mercado, sua mente muda completamente e passa a ser uma batalha imensa mantê-la sob controle.

    Meus 2 erros mais comuns foram (tive que parar por causa da faculdade e do emprego, mas espero voltar pro intraday):

    1) Operar sem regras claras, de preferência escritas num papel, o que me levou a
    2) Operar demais. Eu passei a procurar trade onde não tinha (ainda mais por usar price action, que é meio subjetivo). Isso me levou, lógico, a
    3) Operar por vingança. Eu perdia e passava a ser ainda mais “caçador de trades” pra recuperar o saldo. Fora que eu alterava o size (às vezes eu ficava medroso e operava muito pequeno, outras poucas eu aumentava)

    Percebi que sou mais pro lado medroso que gun slinger. Quando eu sofro sequencias perdedoras naturalmente opero menor. Isso é bom, mas se não controlar, opero pequeno demais ou até paraliso.

    Enfim, aconselho a todos os novatos a operar real. Coloca uma conta com pouco dinheiro e opera. Só assim que você tem chance de aprender. Livros, cursos e conta demo só servirão quando, tomando paulada do mercado, você lembrar: “nossa, mas ele avisou que era assim mesmo..”

    Abraço.

    ps: ainda este ano realizarei um sonho antigo e vou comprar os 3 livros da série (market, new market e hedge fund wizards)

    • Fala Joao,

      Entao aguarde o meu post sobre os livros que li em 2013. Meu recorde sem duvida. 50 livros… :)

      Acho que risco eh importantissimo, mas deve seguir um metodo que encaixe a sua personalidade. Algo que acredite. Caso contrario vc vai se sabotar a nivel inconsciente.

      Segundo o Ed Seykota o melhor “backtest” eh o forward test com dinheiro real. Ai que vai testar se o seu sistema funciona.

      Abraco

      Vela

Leave a Reply