Business Plan

Faz um tempinho que não publico algo aqui e atualmente voltei a trabalhar no meu business plan e tenho uma sessão que falo sobre minhas crenças e sobre big picture. Então neste processo achei que seria interessante publicar aqui no blog a parte de Big Picture e algumas partes sobre crenças em trading. Como o material já esta escrito é uma questao de so copiar e colar.

Aproveito o momentum que meu blog voltou a trendar mesmo sem publicar desde o ano passado. Em maio recebi bastante visitas. Continuem acompanhando meus twitters e mandando comentarios ou escrevendo, pois sempre procuro responder.

Pra começar falo sobre Crenças e Big Picture e o primeiro capitulo sobre Deflação/ Inflação que será meio que a base para todos os próximos artigos que publicarei aqui.

Crenças

A questão de crenças foi trazida para mim pela primeira vez quando li o livro do Van Tharp, Trade Your Way to Financial Freedom, que alias abriu muitas portas e olhos para me levar até onde cheguei aqui em termos de conhecimento de trading e que o maximo que puder vou registrar aqui. Não so a parte técnica, mas a parte psicologica, pois hoje mesmo li que conhecimento não é suficiente. O mais importante é a estrutura mental para implementar o processo.

Acredito que o exercicio de colocar minhas crenças vai ajudar a convergir para aquilo que acredito e segundo o Van todos devem tradar as crenças sobre o mercado e isto é fundamental para o sucesso. Alem disto, acho que este exercicio vai trazer clareza daquilo que quero da minha vida e como que vou implementar o processo no momento do agora, pois tempo é ilusório e a unica coisa que existe é o momento de agora.

Assim como Van diz a minha primeira crença é que não existe uma verdade absoluta sobre o caminho de ser bem sucedido no mercado. Existe milhares ou infinitas maneiras de ser lucrativo no mercado em termos de metodologia e vai de cada um se adaptar e achar a estrutura que vai adequar a personalidade pessoal de cada um. Nesta nota, então, começo a descrever o que se alinha a minha personalidade que será fundamental na implmentação daquilo que acredito.

Visao Macro (Big Picture)

Documentei bem no meu blog a minha visao macro e tenho aprofundado mais nisto depois que li o livro de John Mauldin (The End Game) e o livro do James Rickards (Currency Wars) acho que se alinham bem sobre quais os possiveis rumos que o mundo esta tomando e quais são os riscos e oportunidades envolvidas neste mercado.

Deflation/Inflation

Acho mais apropriado comecar a descrição sobre o que eu acho do Big Picture, falando em primeiro lugar sobre questao da Deflation/Inflation, pois acredito ser as forças centrais do fluxo de capital hoje. Acho que este seria o ponto central de como o Big Picture está se movimentando e isto vai me ajudar a ter mais convicção em que ponta do trade que devo tomar em determinadas condições de mercado, tendencia e ações humanas.

A quesão da deflation/inflation, e foi colocado nesta ordem de propósito, pois acho que acontecera nesta sequencia, pois a causa esta em deflation, devido a quantidade excessiva de divida, e a inflacao, quantidade excessiva de papel moeda. nada mais é do que uma resposta politica a deflation.

Resumindo o que está ocorrendo no mundo hoje é que EXISTE UMA QUANTIDADE ABSURDA DE DIVIDA e isto não é sustentável. Este processo não aconteceu ontem, mas vem se acelerando mais nos ultimos 15 anos. Alguns dizem que o processo comecou mais forte na decada de 70 e se acelerou nos anos 90, principalmente a partir de 1994. O mundo viveu no periodo de 1982-1999 o que chamam de great moderation onde basicamente tivemos paz, abundancia de recursos e precos de commodities baixo, crescimento, inflacao estavel e juros baixo. Este foi o ambiente perfeito para que quantidades absurdas de divida em todas as esferas (pessoal, empresarial e governo) alcançasse niveis insustentáveis.

Neste periodo de prosperidade, como um ciclo economico natural a economia mundial foi marcada por boom and bust, mas cada vez mais os politicos e os bancos centrais nao deixaram estes movimentos naturais se desenvolverem. O papel do bust (colapso) é justamente limpar as ineficiencias no mercado, fazendo que somente os melhores e mais eficientes sobrevivam.

A politica natural para lutar contra estas várias crises que ocorrem aproximadamente em ciclos de 5 a 7 anos foi o corte nos juros, o que de certo ponto é entendivel, mas isto chegou a niveis de overdose e até manipulativo e o mundo passou a entrar, como já disse, em niveis insustentáveis de dívida criando vários problemas estruturais. O pior deles que é a própria destruição de capital ou a sua utilização em empreendimentos que não dão retorno de capital.

O estouro da bolha que ocorreu em 2007/2008 aconteceu quando a economia estava tão em overdose de juros baixos e as pessoas tão euforicas e ao mesmo tempo o mundo passando por uma cada vez maior pressão nos recursos finitos. Assim passou a ter um pouco de inflação e o governo começou a apertar o cinto em sua politica monetária, isto é, passou a aumentar os juros.

Em um ambiente onde a maioria dos individuos que estão altamente alavancados, poucos solidos e negócios não eficientes, quando a liquidez diminui, os ineficientes começaram a quebrar. O grande problema é que a maioria das pessoas e empresas eram ineficientes, pois os juros baixos mantidos por muito tempo mascarou a ineficiencia e ficava muito dificil separar o joio do trigo. E o problema foi que tinha MUITO JOIO e pouco trigo.

A reação em cadeia e o colapso foi tão grande que a intervenção apenas na politica monetária seria insuficiente e sabemos o que aconteceu. O maior Bail Out da historia, pois a forca deflacionaria desta bolha seria tão grande que se falava em uma nova grande depressão que o mundo não presenciava a mais de 75 anos quando da ultima crise de mesma proporção em 1929-38.

Enfim a forca deflacionaria é apenas uma consequencia natural da insustentabilidade da quantidade ABSURDA de divida. O proprio mercado, a limitação de recursos naturais e a falta de ganhos de produtividade necessária para sustentar o crescimento desejado que esta empurando tudo para baixo.

Agora para fechar o ponto é muito importante entender o ambiente político. E este MORRE de MEDO e tem PAVOR de deflação, pois em periodos de deflação tem ALTO desemprego, quebradeira geral, revolta do povo e por ai vai. O que não é nada bom para o ambiente político e estes querem com todas as forcas possiveis e necessarias lutar contra a forca deflacionaria. Outra questão é que o proprio governo perde receita em periodo deflacionario, pois a arrecadação de impostos caem devido a ser impossivel se taxar depreciação de ativos e o espiral piora ainda mais, efim o governo não tem interesse em deflação e o pior de tudo não consegue taxá-la.

As “vantagens” da deflacao, apesar de ser um processo mais dolorido que a inflação, para aqueles que são afetados por ela é que é uma forma de expurgar a podridão de ineficiencia no mercado, o preço dos ativos caem o que os deixa mais acessivel. É um periodo vamos assim dizer de Jubileu, praticamente zera muita coisa e muitos tem a chance de comecar do zero novamente.

Como já disse a deflação não é uma opçao politica, como explicado acima e estes vão lutar om todas as armas possiveis para evitá-la a qualquer custo.

O periodo de 2009-2011 me deixou mais do que convencido para o que os politicos e os lideres estao aqui. O objetivo deles é que NOS TEMOS QUE CRESCER ATE A PERPETUIDADE. E eles não veem outra saída que não esta.

Então neste contexto entende atitudes estupidas do governo como juros zero por mais de 3 anos, QEI e QEII e operação twister e varios estimulos economicos… e mesmo assim o mundo passar pela pior recuperação de crises que se tem em arquivo. O que aconteceu foi que o mundo ainda continua em crise e hoje 14/12/2011 corre o risco de passar por mais uma perna em 2012.

Neste processo de tentar dar um choque de disfibrilador na economia com uma avalanche de liquiez no mercado o banco central americano conseguiu foi re-inflar os preços das commodities e dos mercados emergentes e trazer praticamente Zero de crescimento e nenhuma recuperação na economia que possamos chamar de uma recuperação digna e decente.

Enfim, o que estamos vendo no momento é uma guerra entre deflação e inflação. Sendo a deflação um movimento natural de pagamento de uma divida insustentavel e a inflação como uma opção politica de resolver o problema da deflação.

Para fechar concluo que a inflacao é a unica saida política para uma situação onde se tem uma crise generalizada de balanço. E acredito que a saida inflacionaria política será dificil de evitar, pois os politicos tem tres alternativas.

– Austeridade

– Inflação

– Crescimento/Aumento de produtividade e inovação

A primeira saida só vai intensificar a propria deflação e como já mostrei que não é uma solução politicamente viável e isto está claro e cristalino e provado na atitude de 2009 pra cá que não é uma opção. Alem disto o agravemento da austeridade é mais caos social e protesto da população, pois vários beneficios sociais são necessários cortar em um ambiente de austeridade.

Assim, a inflação tem sido como um antidodo usados pelos politicos para lutar contra a deflação, pois ela gera uma percepção falsa de crescimento e uma forma de taxar quem não tem proteção contra a inflação para que sutilmente a divida absurdamente relativamente “caia”no processo inflacionario.

Neste processo os politicos tem a crença que haverá crescimento ordenado com uma inflação saudável, como foi administrado no periodo da great moderation.

Em ultima instancia existe a saida saudável para o crescimento que é aumento de produtividade por inovacao tecnológica. Acho que isto la pra frente pode ser que cause o novo bull markets em equities, entretanto no momento não exista nada concreto nem no horizonte e o mundo ainda esta dependente de recursos finitos que muitas vezes são ineficientemente usados. Não descarto a possibilidade do aumento de produtividade ser a saida, mas no curto/medio prazo (proximos 3 anos) não vejo isto como o salvador da patria. Pelo menos minha visao e interpretação das variaveis e açoes politicas hoje. O que vejo é que o atalho para o crescimento no curto prazo é gerar inflação através da depreciação relativas das moerdas (currency wars, corte de juros e impressao de dinheiro).

Para resumir esta parte e começar a discutir os riscos e os pontos de interrelação e as possiveis oportunidades de trades e queria dizer que teremos como um pendulo mudando de deflacao para inflacao ate um ponto de estimulo for tao grande que havera uma ruptura e entraremos em um periodo de estagflacao como ocorreu nos anos 70, isto porque passamos por um momento em que as forcas do crescimento estao colocando grande pressão nos recursos naturais, então qualquer tentativa de inflar vai ter que esbarrar em dois fantasmas. DIVIDA e LIMITACAO DE RECURSOS.

Sem maiores delongas passo agora para os proximos pontos do Big Picture que são os possiveis riscos neste processo.

teaupoo-surf-waves

O proximo artigo sera sobre : O Colapso do Dollar e o Fim do Bull Market em Treasuries

1 Comment

Filed under Fundamentos, Reflexão, The Big Picture, Vela's Beliefs

One Response to Business Plan

  1. Pingback: Lista de todos os posts do Velaepavio « Velaepavio's Blog

Leave a Reply