Tag Archives: Crise

A Tempestade Perfeita: Australia Colapse

Escrevi um posto no blog  The News Rider sobre o provável crash no mercado imobiliário na Austrália.

Desde então venho acompanhando mais de perto o quão eminente este risco esta de acontecer.

A razão pela qual a Austrália tem este risco está no fato dos preços das casas terem aumentado excessivamente nos últimos anos. Bem acima da media histórica.

Na minha opinião o que causou isto foram vários fatores sendo os principais.

–          Baixa taxa de desemprego

–          Constante crescimento econômico sem recessão por mais de 14 anos

–          Baixa taxa de juros relativo a media histórica

–          Forte aumento populacional, principalmente causado por imigração liquida positiva

O resultado do preço das casas podem ser observado no seguinte gráfico.

Veja que desde 2002 pouco antes do Mining boom que começou forte em 2003 o preço das casas quase triplicaram em algumas capitais. Em media os preços dobraram em valor.

O que as vezes me revolta e isto e pra cala a boca de quem argumenta que a UNICA razão do aumento do preço das casas foi Supply and Demand e que tem MUITA demanda por casa e os preços NUNCA vão cair… Neste momento que eu fico mais bear do que nunca.

Veja a causa neste gráfico o crescimento do total do estoque de hipoteca na Austrália no mesmo período. (eixo esquerdo) e valor da hipoteca media (eixo direito)

A quantidade de estoque de hipoteca subiu de 300bi pra pouco mais de 1 trilhao no período. Ou seja apesar das casas terem subido cerca de 100% (dobrado) a quantidade de divida cresceu 230% (mais que triplicou). Ai você me pergunta o que empurrou a “demanda”. Fora a questão dos juros que são bem mais baixos o que permite maior alavancagem com o mesmo fluxo de caixa.

Continuando o raciocínio, o que começa a dar sinais que o castelo de cartas esta caindo é que parece que este movimento esta perdendo momento e a capacidade da família media Australiana e investidores a continuarem tomando emprestado esta desacelerando e ficando cada vez mais difícil.

Veja que o tamanho do empréstimo médio esta estagnado ali na cada dos 290mil desde 2009.

Mas antes de prosseguir quero mostrar o gráfico que mais vale a considerar neste cenário.

Que e a capacidade de empréstimo e como  a tradução fica difícil de ser precisa  eu chamo de affordability (capacidade de bancar).

No eixo esquerdo esta a % da renda media indo para pagamento de juros de hipoteca e eixo direito o preço médio das casas. Veja que o preço pago em juros pode cair mesmo com o preço das casas subindo. Isto porque na Australia a esmagadora maioria dos empréstimos são em juros variáveis. Caso o governo corte os juros em caso de crise o pagamento mensal fica mais em conta. O que foi o que ocorreu em 2008, mas desde 2009 o governo vem aumentando os juros apertando o cinto da galera.

O mais impressionante na Australia é que depois do colapso da crise de 2008 os preços aqui CONTINUARAM a subir. Isso pra mim é jogar mais gasolina em uma pilha de palha só esperando a faisca explodir.

Em 2008 veja que o banco central australiano deu uma apertado no juros e isto levou a proporção de juros sobre a renda media ao MAXIMO de quase 40%. Veja que de certa forma isto refletiu no preço das casas que deu uma caida neste período.

Em 2009 quando os juros bateram a mínima de 3% esta proporção despencou para menos de 25%. Isto na época encorajou que mais pessoas se endividassem e entrasse no mercado imobiliário. Só nos últimos 3 anos o estoque de divida subiu de 800bi a mais de 1 trilhao.

E pra complicar as coisas os bancos estão também apertando os cintos mais ainda, pois desde a crise de 2008, com o aumento do custo do funding dos bancos Australianos, eles aumentaram os spreads em relação a taxa básica de juros. Isto para compensar a dificuldade de levantar dinheiro barato no mercado internacional. Veja no gráfico abaixo.

Devido a este aperto de cinto a população Australia tem sido bem cautelosa ultimamente. O que me da um pouco de esperança de alguma forma. E isto inclusive ajuda na menor severidade de uma possível crise imobiliária.

Esta cautela foi muito bem colocada pelo presidente do Banco Central Australiano, Glen Stevens, no discurso que deu recentemente:  The Cautious Consumer

Resumão do discurso é que a população vem economizando mais dinheiro dinheiro e emprestando menos se comparado a media dos anos do Boom ou pre-crise. O que estão fazendo é tentar reparar os balanços patrimoniais pessoais devido a vertiginosa queda dos ativos nos últimos 3 anos.

Indo pra conclusão, pra mim, eh muito difícil dizer o que vai causar a quebra. Se causar… mas muito difícil de não ocorrer algum tipo de correção no mercado aqui. Nem que seja estagnação no mercado para voltar a linha de tendência media de longo prazo.

Podem ter  vários motivos que podem servir como gatilho, mas pra mim o principal é claramente uma desaceleração na  China que é o que vem puxando a economia Australiana. Principalmente nos últimos 2 anos com o estimulo absurdo que teve la.  Expliquei mais sobre isto no post: A China é uma bolha

O que colocou mais risco na situação é que apesar da desaceleração nos EUA e na EUROPA nos últimos 3 anos a China, pelo contrario,  continuou consumindo minérios como se não houvesse amanhã. Com isso a Austrália praticamente não sofreu com a crise a não ser um pequeno susto em 2008. E tecnicamente a Austrália nunca esteve em recessão, que é 2 trimestres com crescimento negativo de PIB.

Indo ao titulo do post “A tempestade perfeita” eu acredito que uma desaceleração na China causara o efeito domino na Economia Australiana. E todo este cenário possível causara esta tempestade perfeita.

Se a China desacelerar o desemprego vai aumentar rápido na Austrália, assim a capacidade de pagar divida de hipoteca vai despencar. Isto colocará muito pressão de venda no mercado fazendo com que os preços despenquem. Isso gerara um enorme crise bancaria aqui, pois a Australia é o pais onde a carteira de credito imobiliário é a maior do mundo proporcionalmente. O Commonwealth Bank tem 60% de sua carteira em credito imobiliário e uma crise seria desastrosa.

Mesmo os bancos Australianos serem considerados um dos mais seguros do mundo. Este anos os 4 maiores eram AAA e tiverem o rate rebaixado…. porque sera.

No momento estou pensando em formas de comprar seguros contra esta possível crise. Enquanto o seguro esta barato e em tempo.

Pode ser que isto nunca ocorra, mas como disse no post anterior… melhor prevenir do que não fazer nada e depois se matar por ter tido a oportunidade e mesmo assim não feito NADA.

Acho que algumas sugestões de proteção seria comprar PUTs (opcoes) out of money do indice de acoes, short o indice de materials (mineradoras), short os bancos e comprar PUTS e ficar uma parte em caixa

Tenho acompanhado noticias preocupantes da situaçao na China e a bolha que ocorre la.

Apenas como exemplo algumas matérias.

Que tal uma matéria da absurda destruição de capital que ocorre neste momento com as CIDADES FANTASMAS

Ou bancos Chineses com balanços suspeitos

e pra finalizar a situação da inflação saindo do controle e o Banco chinês com dificuldade de implementar politica monetária

Enquanto isso na Australia os preços das casas começando a escorregar e preocupar com mais este artigo no WSJ

Pra finalizar o post outra coisa de preocupar é a recente inversão da curva de juros na Australia que é um indicativo de recessão eminente…

Depois que a tempestade passar sera uma boa oportunidade de comprar ativos na Australia, pois aqui é uma terra muito sortuda e temos recursos que são muito valiosos no mundo como minérios (Ferro, Cobre, Uranio, Ouro,Carvao, Diamante… dentre outros). Apesar de uma possível, não certa, correção na China. Acho que a China/Asia caminha para dominar o mundo economicamente. E a Austrália esta MUITO bem posicionada geograficamente.

Aguarde um post com update de uma possível desaceleração na China e o OBVIO que ainda ninguém fala muito e quero falar mais sobre o tarde do SECULO que já foi dado a dica pelo Paul Tudor Jones.

2 Comments

Filed under Fundamentos, Reflexão, The Big Picture

Fim do Mundo em 2012

Faz tempo que queria escrever aqui sobre o fim do mundo em 2012 ou o fim do mundo em geral.

Ano passado em uma viagem internacional assisti o filme 2012 no avião. Alias não recomendo como um bom filme pra assistir em avião. 🙂

Realmente impressionante o filme que foi baseado na especulação que o mundo tem data marcada para terminar. Se não me falha a memória dia 28 de Dezembro de 2012. Se for verdade praticamente temos mais 1,5 ano de vida. 🙂

Não quero me prolongar muito aqui no post, mas depois de pouco refletir sobre o filme e a remota possibilidade de ser realmente verdade acho que o plano de ação é o seguinte.

A hipótese é tão absurda que o que se deve fazer em preparação é: NADA.

Então, se o mundo fosse realmente acabar numa catástrofe de tamanha magnitude não teria pra onde correr a não ser ficar esperando sentado até que um rio de lava te afogasse, ou um tsunami ou furacão te levasse pro espaço. Fim de historia.

Este é um assunto que não vale a pena pensar e não há o que fazer, mas simplesmente ignorar, pois o gerenciamento de risco em tal evento é inútil ou em outras palavras não tem stop loss que salva o trade.

Mais um comentário sobre o filme antes que conclua o post.

Supostamente no filme tinha  uma saída, ou uma luz no fim do tunel,  para a total catástrofe. Seria entrar em uma das arcas criadas por uma “grande corporação” que salvaria quem conseguisse entrar nela. Só que tinha uma condição: Comprar a passagem.

A coisa absurda e sem sentido no filme do filme é que a passagem custava 6 bilhoes de Euros ou algo absurdamente caro. Não importa o numero aqui, mas tipo o que acho mais absurdo que o valor é que como que uma pessoa que faz um filme de tal orçamento não consultou um economista e deixar se constranger a total absurdo.

Se quiser entender melhor o meu ponto leia o post

La explico que a existência de dinheiro nada mais eh que uma promessa de boa fé. Dinheiro de papel só vale porque tem um acordo na sociedade em troca-lo por bens e mercadorias. Complementando dinheiro só existe porque autoridades monetárias emitem papel lastreados por títulos que pagam juros (custo do dinheiro) e também controlam sua oferta e demanda para manter considerável poder de compra ao longo do tempo.

E o que mantém o boa fé é o fluxo de caixa gerado pela economia onde o governo, empresas e indivíduos podem honrar o lastro do dinheiro fazendo com que todo o sistema financeiro funcione.

Numa total catástrofe, como a do filme, onde não tem capital pra gerar fluxo de caixa, instituições pra emitir a moeda.. ela passa a ser um mero pedaço de papel, pois todo o sistema não existe mais e o papel não tem nenhum valor.

Fico imaginando o que esta empresa faria com tal quantia de euros depois do fim do mundo…

Faria  mais sentido a passagem ser paga em algo que tenha valor intrínseco como por exemplo ouro ou outra commoditie que poderia ser preservada depois da catástrofe.

Encerrando o assunto do fim do mundo, que acho que não vale a pena gastar muita energia.

Entretanto, aproveitando o ensejo deixo aqui uma reflexão quanto a gerenciamento de risco.

As gerações de 1946 pra cá foram uma das mais abençoadas da historia. Baby Boomers (meus pais), Geração X (Eu) e Geração Y (Nascidos depois de 1982).

Acho que o grande problema destas gerações é que elas so PESSIMAS em gerenciamento de risco, pois na verdade nunca precisaram muito se preocupar com adversidades e crises.

Veja a geração dos meus avos/bisavós o que passaram no inicio do século como a grande depressão da decada de 30 e as primeiras e segunda Guerra. E bota crise nisto.

Assim, vale a pena refletir os desafios que as gerações atuais passam e enfrentarão no futuro próximo e distante. Não acredito em uma nova grande Guerra, pois isto seria o fim do mundo mesmo ou como um Armagedom, pois acho que as guerras atuais são guerras econômicas e não bélicas.

Estas guerras economicas podem gerar grandes crises. a pergunta estão é:

Voce está preparado para um mundo de inflação, falta de alimento, constantes cheques econômicos?

O que esta fazendo para se preparar para tal evento?

Se voce acha que não sou maluco e é um cara ultra bear, não que eu seja, alias sou um cara otimista/realista em geral.

Recomendo visitar o site do Chris Martenson e assitir a este video.

Nao que seja bear a este ponto, mas o que queria enfatizar aqui é a questão de gerenciamento de risco e que deve ser considerado em trade. Os principios básicos são o seguinte.

Sabendo da existência de uma risco provável os possiveis planos de ação sao:

Me previnir e:

  • O risco NAO ocorrer, assim eu tenho muito pouco a perder. Tipo perco no meu stop ou perco o prêmio do seguro pago.
  • O risco ocorrer. Neste case me protejo e ainda posso fazer grana na adversidade.

Não me previnir e

  • O o risco ocorrer. Aqui eu tenho MUITO a perder. Posso perder tudo que tenho na pior das hipóteses.
  • O risco NÃO ocorrer. Pode considerar aqui que tive SORTE.

Enfim a moral da historia é que gerenciamento de risco em trade e na vida é essencial.

Eu naturalmente sou uma pessoa prudente e me deixa abismado ver pessoas que acham que dias piores não vira e que tudo são flores.

Veja a primeira ministra da Austrália em entrevista que deu ao WSJ quando perguntada sobre o crescimento econômico na China. Ela esta bem certa que vai continuar…

Eu não teria tanta certeza assim, mas este é assunto para um outro post sobre a provável crise que a Austrália pode ter.

Clip: http://jeremy-lifeblog.blogspot.com

1 Comment

Filed under Reflexão

Qual a minha visão macro.

Seguindo aqui o que disse no último post aqui vai as minhas crenças sobre o Big Picture ou minha visão macro.

Em Novembro de 2010 (pois isso pode mudar com o tempo). Vou manter atualizado aqui no blog.

Então vão os pontos que estão na minha cabeça.

A) Os mercados de ações nos EUA estão em um ciclo de baixa de longo prazo (secular bear market) medido em termos de P/E. Acredito que dure por um tempo. Tudo começou em 2000 com o crash dot com e vai até o inicio do proximo Bull market de longo prazo em mais ou menos 2015 ou 2010 ou mais tarde.
B) A maior economia, atualmente os EUA, está em sérios apuros e eles são:

a.Uma enorme dívida e um enorme  passivo não financiado  de longo prazo (Medicare e da Segurança Social)
b. O desemprego estrutural que não pode ser sanado no curto prazo, porque os empregos criados na década de 2000 através do aumento da dívida pública e privada já se foram e não podem voltar da noite pro dia além de ter ocorrido uma transferência de 8 a 15 milhoes postos de trabalho industrial para a Ásia (China) e outros emergentes nos últimos 20 anos

C) A China foi a economia que mais se beneficiou com o crescimento alimentado pelo crédito, que não é um problema isolado nos EUA, mas global. No entanto, seu modelo de fabricação de exportação impulsionado pelo credito mundial não é sustentável porque está baseado em dois principais fatores.
a. Dívida em todo o mundo, que atingiu o pico em 2007-2008 não pode mais ser expandida e está em contração no momento (caso de deflação no ponto F.)
b. A moeda chinesa esta desvalorizada por meio de manipulação atrelado ao dólar dos EUA.
D) A China, devido ao seu superávit comercial consistente ao longo dos últimos 15 anos, acumulou 2,4 trilhões em reservas de ativos. O que tem ajudado é o ponto C.b manipulação de sua moeda que está acontecendo durante os últimos 16 anos (desde janeiro 1994), mantendo desvalorizada para tornar os produtos chineses relativamente mais baratos no mundo, fazendo a economia chinesa mais competitiva, alem do fator de sua mao de obra ser muito barata. As estimativas da paridade do poder de compra diz que é desvalorizada em torno de 60%. Também ao longo dos anos, a China comprou 1,4 trilhões em ativos denominados em dólares em títulos do tesouro e que de alguma forma manteve o maior mercado consumidor do mundo (EUA) rodando em uma farra de crédito insustentável.
E) O crash do mercado de 2008 idicou o auge da bolha de crédito, o que significa que haverá, já esta tendo, uma contração do crédito, ao invés de expansão ao redor do globo. Por causa deste risco, de deflação, existe uma postura atual do Chainman do FED dos EUA (Ben Bernanke), que é combater a deflação a qualquer custo. Bernanke acredita que há uma capacidade quase ilimitada de emissão de dívida a um custo muito baixo em dólar.Ele está sendo bem sucedido ate aqui. Suas medidas para evitar uma depressão ainda não causou inflação. Sua ferramenta ou tatica foi baixar as taxas de fed funds para ZERO, desincentivando poupança e incentivando investimento, combinado com isto ele embarcou na estratégia de quantitative easing para comprar dívida publica e injetar dinheiro na economia. O QEI foi cerca de 2 trilhões e agora 600 bilhões foi o QEII anunciado a uma semana. As consequências vem sendo um fluxo de liquidez no mercado de ações causando rally na bolsa, rally metais preciosos, rally de commodities, rally de títulos , fluxo pra mercados emergentes ou seja, tudo está indo subindo e ainda assim a economia de os EUA estão em péssimo estado e da economia mundial está se arrastando.
F) O ponto E leva à dicotomia do debate Inflação versus Deflação. O que leva à deflação, ja comentados nos pontos acima em termos simples, é a contracção de dívida, que atingiu níveis insustentáveis em 2008. Eu creio que é o caso mais forte e que eu defendo (leia posts anteriores). Por outro lado, devido à postura do Fed (ponto E), existe um risco de inflação monetária que irá sustentar inflação de demanda devido ao aumento dos preços das commodities em geral. Os preços do ouro atualmente é o reflexo desse cenário de um possível risco inflacionário. Também isto está ajudando no aumento no preço das commodities que são denominadas em USD que é a reserva de moeda mundial. Assim como o QE o dólar americano também fica mais fraco.

G) A Austrália (onde moro e todos meus ativos estão aqui) e outros países que têm reservas minerais e commodities produtores de qualquer tipo têm sido os grandes beneficiários do aumento da demanda por commodities (dã). Existem muitos benefícios para a economia da Austrália como ter tido em média 3,5% de crescimento nos últimos 15 anos e hoje tem uma das maiores rendas per capta do mundo, maior do que EUA, Canadá e Reino Unido. No entanto o modelo exportador australiano de mercadorias só é sustentável se a China mantém o seu ritmo, mas como eu mencionei acima o seu modelo não é sustentável no longo prazo, pelo menos a esta ritmo alucinado. No médio prazo vejo riscos e alguns obstáculos e crises devido a um risco enorme de desaceleração na China. Entretanto, a Austrália continuará a se beneficiar, desde que disponha de recursos debaixo da terra porque a demanda por recursos continuará no futuro (pontos I e J).
H) Atualmente a Austrália, devido a fatores como uma baixa taxa de desemprego e uma baixa taxa de juros, juntamente com o crescimento econômico nos últimos 15 anos, ela tem o mercado imobiliário mais caro do mundo medidos em relação entre o preco medio dos imoveis e a renda média. Esta em uma alarmante taxa de 7x. Também a sua moeda esta muito valorizado causada por muitas coisas como, aumento do preço do ouro, a alta diferenca de sua taxa de juros em relacao aos outros paises desenvolvidos (hoje o mais rentável carry trade AUD / USD). Então, se a China espirra Austrália vai pegar uma pneumonia e como o mercado esta inflado e altamente alavancado, em outras palavras endividado, ela corre o risco de uma crise homérica caso a China balançar.
I) Tentando agora colocar tudo junto, se isso é possível, porque a relação entre as coisas não são lineares. O modelo industrial exportador da China com crescimento de 9% ao ano da China não é sustentável, por causa dos pontos C.a. e C.b. e uma das soluções para sustentar o seu crescimento é se concentrar em seu mercado interno e não pode mais contar com um modelo de exportação industrial. Mas não pode fazê-lo rapidamente. Para conseguir tal feito a China necessidade precisa desvalorizar sua moeda ou deixá-lo flutuar, assim ela encontrará o seu equilíbrio. Isso permitirá o aumento do poder aquisitivo da população e a China pode reduzir o custo das importações e sua indústria pode se concentrar na demanda do mercado interno enorme que dá ainda mais prosperidade para a China que será, inevitavelmente, maior economia do mundo mais cedo do que a maioria pode pensar

J)E Finalmente, por último, mas não o menos importante. A sustentabilidade do meio ambiente do mundo está sob ameaça. Estamos assistindo ultimamente o preco dos commodities subindo rapidamente, devido ao aumento na demanda e que está causando ao mesmo tempo oportunidade de ganhar dinheiro neste mercado, bem como uma crise de recursos que vai ficar aqui por um tempo a menos que seja tratada com uma boa solução.

Resumindo o mundo esta esgotando seus recursos e as principal área de oportunidades e soluções são.

a. Petróleo / Energia. Estamos ficando sem petróleo, mas o grande problema é que já estamos viciados pelo “crack preto” e não podemos viver sem ele a menos que o mundo inteiro industrial mude drasticamente. A solução é criar um novo modelo  industrial, que é menos dependente ou totalmente independente do petróleo como um todo. Hoje o petróleo um a principal fonte de energia e matéria-prima de tudo o que consumimos (e.g. plástico). A boa notícia é que existem alternativas e os aumentos dos preços do petróleo só esta acelerando o processo de mudança.

b.Comida. O crescimento populacional e o aumento do padrão de vida nos países da Ásia e mercados emergentes é sempre crescente e tende a acelerar. Assim, a demanda por commodities agrícolas vai beneficiar quem tem terras agricultáveis. Assim que acho que países como Brasil, Rússia e EUA em boa posição neste cenário. Quem sabe finalmente Brasil, o celeiro do mundo.
c. Neste mesmo tópico a emergência de empresas inovadoras na área que eu chamo de tecnologia verde e eficiência será algo para assistir de perto.

Enfim esta são minhas crenças do Big Picture ou minha visão macro e neste cenário que vou procurar oportunidades de ganhar dinheiro em trade/investimento. Espero dar um zoom em áreas específicas quando achar oportuno, ou quando algo no cenário acontecer ou mudar.

1 Comment

Filed under Fundamentos, Reflexão, The Big Picture, Vela's Beliefs

Debate Inflação/Deflação (Inflation/Deflation)

Talvez o topico de Inflação/Deflação é um grande assunto negligenciado pela midia main stream e pra mim hoje é a coisa mais importante a se monitorar se voce é um trader que se interessa com a visão do todo, como eu.

Ainda nao toquei aqui no blog sobre o que acho da influencia das noticias em trades. Lembro que ainda recem formado trabalhando na Hegding Griffo um amigo meu me disse um cliché: “A midia é uma meio de manipulacao das massas”. Nao poderia ser a mais pura verdade, alias eu acho que vou mais longe “a midia, principalmente a main stream, é um meio de anestesiar a massa”. Já há algum tempo eu leio jornal so pra me divertir aos sabados. Tipo dar umas risadas pra ter uma ideia do que a massa esta lendo e o que os reporters estao escrevendo.

Hoje confesso que desenvolvi a habilidade de separar o joio do trigo, isto é ainda tem alguns poucos lucidos que escrevem coisas que fazem sentido, mas a maioria é lixo, enfim isso é assunto para outro topico.

Televisao em casa fica desligada a nao ser para assistir um DVD, uma comedia. esportes ou um documentario. Noticia mesmo so on demand na internet e faco isto ha muito tempo.

Voltando o debate deflacao e inflacao acho crucial acompanhar como este debate vai se desenrolar e como isso pode influenciar o seu trade, seja ele bolsa, commodies, futuros ou Forex.

Acho interessante ler o post sobre definicao de dinheiro, inflacao e deflacao para entender melhor deste ponto em diante.

Basicamente na blogsfera existe um debate intenso e recomendo pesquisar os seguintes caras que acampanho.

Do argumento da inflacao:

  • Marc Faber: Editor do Gloom Boom and Doom report. Sempre está na midia e tem uma porrada de video dele no YouTube.
  • Peter Schiff: Dono da Euro Pacific Capital. Sua popularidade na midia é grande e tentou se candidatar ao senado nas próximas eleições (2010), mas perdeu a nominação. Basicamente Peter é o que chamamos de um gold bug. O cara acha que ouro vai estourar, mas acho que não seja um cara que tem um timing bom, e dizem que seus clientes perdem grana por não ser um bom trader, apesar de ter cantado bem a bola da crise de 2008. Acho que seu defeito, segundo Mish (veja abaixo), é que sua visão é muito centrada nos EUA.
  • Michael Pento: Economista da Delta Global Advisors sempre esta na CNBC comentado e recentemente foi praticamente expulso do ar pela musa Erin Burnett no ar. Prai da pra ver que o cara não tem papas na lingua.
  • Jim Grant: Um dos economista que mais entendem do mercado de Bond e taxa de juros. Seu site.

Agora do lado da deflação

  • Mish Schedlock: Apesar de não ter uma formação em economia é um dos caras que acho que mais entende da dinamica de economia mundial. Mish é um fenomeno e o seu blog é o mais lido de economia no mundo. O cara ter formação em TI e começou a blogar porque ficou desempregado e não conseguia se recolocar na área. Neste caso perder o emprego foi para o bem. Seu blog é o Global Economic Analysis.
  • Hugh Hendry: Hedge Fund Manager da Eclectica Asset Management. Atualmente rankeado o Hedge Fund mais rentavel do ano pela Bloomberg. Não perco uma aparição dele na midia pela sua irreverencia e sinceridade. Da pra dar umas boas risadas. O cara é um genio.
  • David Rosemberg: Economista chefe da Gluskin Sheff Associate. Sempre está na midia e é uma das principais assumidades em bonds e sempre fala sobre suas visões sobre onde o mercado de bonds esta indo. Segundo ele para niveis nunca imaginados antes.

Apresentado os protagonistas da discussão, vou tentar resumir as duas linhas de pensamento aqui.

Os que defendem inflação acham que havera no futuro proximo, e isso pode ser em 1 ou 5 anos, uma hyperinflacao na verdade, que será causada principalmente pela impressão de dinheiro nos EUA o que levara ao colapso no Mercado de bonds nos EUA e do USD.  O preco das commodities, que sao hoje denominados em dolares irao disparar em consequencia do colapso das verdinhas, principalmente ouro que segundo os inflacionistas é um hedge  contra a inflacao.

Os inflacionistas estao posicionados basicamente em dois trades. Estao comprados (long) em ouro e outros  metais preciosos (e.g. prata e platinum) e vendidos em US treasury. Eles acreditam que os EUA nao vao dar conta de servir os juros da divida e acha que a situacao de debito vai piorar com as obrigacoes futuras como seguro social, previdencia e seguro saude que o governo atual (Obama) e outros passados estao se compromentendo.

Um outro argumento defendido bem por Jim Grant é que o ciclo dos Bond Yields que estao em queda desde 1982 hoje estao nos niveis mais baixos da historia e quando eles atingem o fundo do poco eles comecarão a subir.

Nao é o escopo entrar em detalhe, mas uma forma de combater a inflacao é aumentar as taxas de juros, assim sua premissa esta em que os yields (juros) dos bonds vao aumentar em consequencia da pressao inflacionaria. Jim acredita que o mercado de Bond é uma enorme bolha.

Por outro lado, o argumento dos deflacionistas é o seguinte:

Não é tão simples como o oposto da visão inflacionária. O que dizem é que existe na economia ciclos de expansão e de contração de credito, sendo deflação a parte do ciclo de contração de crédito. Eles explicam que o que aconteceu de mais ou menos 1982 ate 2007 foi uma absurda expansão de credito na economia, como nunca visto antes, onde as pessoas, empresas e bancos ficaram absurdamente endividados basicamente no mundo todo e nao tem mais condicoes de tomar mais divida.

Neste periodo de expansao de crédito o valor dos ativos, como propriedades, commodities e patrimonio em geral aumentaram muito e foram basicamente inflados por esta criacao de divida e alavancagem. Assim se chegou em um ponto onde eles acreditam que o mundo gerou uma capacidade produtiva onde nao pode se consumir mais a nao ser com mais expansao de credito.  Entretanto, nao da mais para aumentar  mais a divida, pois ela esta nos limites do insuportavel.

A teoria deflacionista explica bem a crise que deu em 2007/2008, a pior desde a crise de 29, que pra mim ainda esta acontecendo. Quando a crise estourou as pessoas, instituicoes financeiras e empresa nao conseguiam mais carregar a divida que tinham. A divida durante decadas estava artificialmente aumentando o preco dos ativos. Assim, em 2008 o credito facil secou no sistema e o Mercado entrou em um colapso e todos tiveram que se livrar dos ativos para pagar as dividas e  “ todo mundo”, ou pelo menos a maioria, ficou debaixo d’agua, pois a divida ficou maior que os ativos, gerando patrimonio liquido negativo. Isto basicamente é o cenario deflacionario, causado principalmente pela contracao do credito.

O que tem acontecido nos ultimos 2 anos, desde que o  Lehman Brothers quebrou e a crise se acentuou é que apesar dos juros nos EUA estarem praticamente zero % e o FED (Banco Central Americano) tem impresso mais de 1 trilhao o credito continua ainda contraindo e nao ha sinais de inflacao.

Mas como podemos acompanhar qual cenario vai se desenrolar e quem esta ganhando o argumento no momento?

Eu acompanho basicamente 2 coisas

  • Preco dos Bonds
  • Preco do ouro e commdities em geral

Atualmente a coisa esta um pouco confusa porque o preco do ouro esta sugerindo inflacao, pois o preco tem subido fortemente nos ultimos 10 anos e mais acentuadamente nos ultimos 2 fazendo novos recorde de precos recentemente. Por outro lado, o preco dos bonds estao sugerindo deflacao, pois o preco dos titulos estao subindo e as pessoas estao bem aversas a risco com medo da bolsa, por exemplo.

No geral acho que deflação esta ganhando o debate. O que acontece atualmente nos EUA  é uma outra caracteristica de periodos deflacionarios. A confianca do consumidor fica baixa e as pessoas consomem menos, as empresas produzem  menos, existem cortes, o desemprego aumenta e os precos caem.

Qual a opiniao de Velaepavio?

Eu particularmente tendo mais a advogar a deflação, pelo menos no curto e medio prazo. Digo nos proximos 2 a 5 anos e dependendo da acao de varios protagonistas ao redor do mundo podemos voltar a um novo ciclo de crescimento la na frente (2015+) ou ter o caos da hyperinflacao que segundo Mish é tão improvavel que será basicamente o fim do mundo (the game end).

Eu acredito que no momento estamos em um secular Bear Market e a coisa ainda vai ficar feia nos proximos 2 a 5 anos ate termos um novo bull market. (assunto para outro post)

Finalizando, o que vai desenrolar depende dos principais protagonistas que são:

  • EUA
  • China
  • Europa ( principalmente os PIIGs Portugal, Espanha, Italia, Irlando e Grecia)
  • Outros Emergentes : Russia, Brasil e India, mas com pouco poder de decisao.

O principal problema de fazer previsoes é que nao se sabe o que se passa pela cabeca de Ben Bernanke, Obama, Hu Jintao, Jean Claude Trichet e membros da Uniao Europeia como Grecia. Tambem existem outros probleminhas pela frente como Iran, Climate Change e falta recursos em geral no futuro, como petroleo, fertilizantes e comida.

Acho que chega por este post…

Desenvolverei o assunto The Big Picture entrando em mais detalhe nos futuros posts. As ideias sao coisas como

–          Entenda a atual crise e onde estamos no momento

–          O que o Mercado de bonds estao dizendo

–          Ouro esta indo em direcao a 5000?

Caso tenha alguma sugestão ou duvida deixe um comentário.

5 Comments

Filed under Reflexão, The Big Picture

A volta do “fundamentalista” capitalizado

Digo que da metade de 2000 ate 2004 foram 4 anos de silencio para mim na bolsa (Ibovespa).

Em 2001 perdi meu emprego trabalhando como consultor de estrategia e ja estava 100% em cash e não poderia bancar ariscar na bolsa. Nesta epoca que perdi meu emprego, teve uma pequena recessão no Brasil onde bateu forte em industrias como consultoria, bancos de investimento e empresas de internet. Lembro que na epoca estava todo mundo largando tudo para ir para internet e depois foi mandado embora com 6 meses na nova aventura.

Pra piorar a quebra de Nasdaq teve o ataque terrorista de 9/11. Lembro estar na casa dos meus pais numa terca de manha (acho eu) e o telefone toca. Uma amiga que na epoca morava nos EUA e estava de ferias no Brasil.

Ela : “…. liga a TV…”

Eu: “…. oi…? … porque?”

Ela: “… Estao falando que a Terceira Guerra mundial vai comecar…!”

Eu :“ Annn? Como?”

Ela : “… isso mesmo acabaram de derrubar as torres gemeas em NY estou morrendo de medo que nao vou mais conseguir voltar para os EUA…”

Bom ai voce sabe o que aconteceu na epoca e aqui estamos vivinho sem Terceira Guerra depois de quase 10 anos. Minha amiga hoje mora nos EUA e esta la feliz da vida com sua familia.

Enfim foram periodos dificeis, mas finalmente consegui emprego no ramo de consultoria novamente e foram anos dourados pra mim. Ganhava muita grana para um solteiro com baixos custos. Praticamente 50% do salario ia para meu fundo DI. Vivia no aeroporto, em hoteis e flats de Rio, Porto Alegre e Brasilia. Era uma vida glamurosa. So falava com alta gestao e era rotina reuniao no Board Room. Bom isso aqui nao eh uma auto biografia, entao foco.

Entao, de vez em quando dava uma olhada na bolsa e vi que estava tendo uma recuperacao desde 2003. Lembro que a economia estava bem forte. So um pequeno parenteses: Nao se iluda com corelacao entre bolsa e economia. Nao é tao simples assim e nem sempre a correlação é verdadeira, principalmente no curto prazo.

Enfim, depois de minha experiencia tragica com Embratel estava bem receoso com bolsa e alem disso estava feliz com meu rendimento em DI que me dava 2 % ao mes na epoca. Eu era feliz e nao sabia.

Muito embora, com o passar dos anos o rendimento em DI caiu para menos que 1% ao mes e bolsa estava comecando a ficar interessante. Queria dar mais uma chance para a bolsa, apesar de minhas mas experiencia ruins. Me lembro que a Bovespa de 2000 a 2003 teve um decrescimo de empresas listadas, entretanto em 2004 teve um re-surgimento de empresas se tornando publica e pensei que seria uma boa ideia participar de IPOs (Inicial Public Offering).

Entao comprei 2 acoes que me deram alegria. Natura e Gol. Natura me lucrou ja no primeiro dia coisa absurda. Dobrou. Pena que como a demanda foi muita eu so pude comprar $2000. Gol tambem tinha um troquinho la uns $3000 e rendeu 40% em um pequeno espaco de tempo. E lembro ter comprador um pouco de WEG devido ela ter subido bem com o apagao que deu na epoca, mas assim que comprei ficou de lado, caindo um pouco.

Essa era minha pequena carteira. Hoje olho e vejo que era um cego andando no meio de um tiroteio. Basicamente minha estrategia, pelo menos tinha alguma, era comprar empresas conhecidas que tinha um bom fundamento e potencial de crescimento.

A analise que fazia era ler o prospecto, me convencer que era um bom investimento e colocar a grana pra trabalhar pra mim. Funcionou, pois estavamos no inicio de um longo bull market. Hoje com o benefio da percepcao tardia podemos dizer isto com seguranca. No presente o que podemos dizer com 100% é que apesar te ter coisas bem provaveis de acontecer: Qualquer coisa pode acontecer. Enfim desta vez eu tive sorte e peguei um bom momento no Mercado e ganhei um dinheirinho. Eu tinha um “plano”, mas muito, muito longe do ideial.

Naquele mesmo ano surgiu a oportunidade de comprar um terreno em Atibaia, pois era meu sonho mudar pra la. E nao aguentava mais a loucura de Sao Paulo. Saquei toda a grana do DI, fruto de economias de 3 a 4 anos e imobilizei meu capital. Isso final de 2004.

Mantive minhas ações ja que era “pouco” dinheiro e estava me proporcionando certa alegra.

Ate que em 2005 decidi me mudar para Australia. Foi tudo muito rapido. Em 6 meses saiu o visto de imigracao qualificada e em 2006 estava em Adelaide comecando uma nova vida com alguns dolares no bolso, muita disposicao e duas malas cada um. Eu e minha esposa.

Para bancar parte da viagem liquidei toda minha posicao de acoes.

Pelos proximos 3 anos mais um silencio no Mercado de ações. E bem nessa hora que o Mercado foi pro espaco e eu so olhei de camorete. Estava quebrado sem nenhum capital pra investir. Posso dizer que ai tive azar porque aqui na Australia o mercado estava numa tremenda bull run. Eu so olhava o mercado subir, subir, subir e eu pagando minhas contas.

Pensei, quando esse mercado despencar eu entro… esse dia ha de vir…

3 Comments

Filed under Jornada