Tag Archives: Bolsa

O que é a verdade?

“E conhecereis a verdade e a verdade vos libertara” João 8:32

O objetivo deste post é que ele seja absolutamente prático e longe de ser um lugar para discutir existencialismo.

Cada vez mais quero fazer você pensar e mostrar quais os passos necessários para atingir seus objetivos em trading e outras áreas de sua vida que queira aprimorar ao invés de pirar o cabeção e não tomar nenhuma iniciativa.

Como sempre foi o objetivo do blog registrar o meu aprendizado e assim você aprender junto e aquilo que tenho aplicado e funcionado comigo.

Acredito que a vida de cada pessoa é uma jornada diferente e não quero que você copie o que faço aqui, mas que a minha experiência sirva de inspiração para encontrar e ouvir a sua própria voz interna.

Falando em experiência, este é o ponto que queria enfatizar aqui e tem tudo a ver com a citação acima.

O meu entendimento deste princípio coloca o foco na palavra CONHECER. Isto quer dizer ter contato consciente com a “verdade”

Eu ficava intrigado quando eu li isto. Isto porque, não estava claro para mim o que era a verdade e o que não era, mas a sacada é que o contato com sua própria experiencia é que te liberta.

A verdade em si é aquilo que sabe da existência com 100% de certeza e a única forma de se libertar é através do conhecimento já adquirido que com sua curiosidade. Assim, evoluir a outras camadas de conhecimento, mas o processo é de experiência em experiência.

Não adianta alguém tentar comprovar por A + B sobre uma crença. Se pessoalmente você não tiver uma experiência a crença não te libertará e muitas vezes ela pode te aprisionar se não foi criada através de um processo independente e experimental.

A palavra do original do texto em grego é ginosko = conhecer

Esta palavra é utilizada no mesmo contexto de fazer sexo. Quando um homem e uma mulher se conhecem (ginosko) ou tem um contato intimo.

Com o aprendizado de trading é a mesma coisa.

No começo eu tinha várias crenças sobre o Mercado que achava que eram verdades úteis e libertadoras, mas ai pela experiência e o contato intimo que fui me libertando das idéias inúteis e passei a adotar ideias que eram úteis e práticas para mim devido a experiência e análise prática delas.

Buckminster Fuller, que foi um dos inventores mais importantes do século 20 e alguns o consideram um Leonardo Da Vinci teve todo seu conhecimento baseado em sua experiência e curiosidade.

Resumindo sua historia, quando tinha 32 anos ele já tinha sido expulso de Harvard duas vezes, estava totalmente falido, tinha tentado várias empresas e quebrado e perdido dinheiro de amigos e familiares, estava totalmente humilhado e sua filha tinha acabado de morrer, então ele foi pular da ponte com o objetivo de se matar.

Ai ele teve aquele momento de epifania e percebeu que a vida dele não lhe pertencia, mas ao Universo e ele fez uma promessa para ele mesmo que ele nunca mais iria se preocupar em ganhar o pão , mas ele ia se comprometer de corpo e alma para a sustentação da eterna regeneração do Universo. Parece complicado, mas isto podemos discutir em um post específico. Ele cumpriu esta promessa sendo um inventor experimental e estudioso do universo.

O resto é história. Ele escreveu cerca de 30 livros, registrou mais de 20 patentes, inventou coisas impressionantes como o Geodesic Dome. Se já foi para a Disney no Epicot Center sabe o que estou te falando. Ele recebeu inúmeros títulos honorários de doutor nas melhores faculdades do mundo.

Assim, com sua filosofia de conhecer a verdade por experimentação funcionou e acredito que ele se libertou e segundo ele os recursos simplesmente apareciam quanto mais ele se comprometia com sua promessa de experimentar o que a sua intuição lhe falava. Ele ouvia a voz interna e por tentativa e erro chegou longe.

Enfim, quero que esqueça que existe uma verdade absoluta, um sistema certo ou errado. Crie seu senso de pensamento independente por experimentação.

Confie somente naquilo que você verificou com sua própria experiência, pois você só pode partir de onde você já sabe com 100% de certeza e ai de descoberta em descoberta, tentativa em tentativa você chega lá. Seja onde lá for.

Para terminar fica aqui 4 citações do Buckminster Fuller para te inspirar.

“I’m not a genius. I’m just a tremendous bundle of experience.”

“Everything you’ve learned in school as “obvious” becomes less and less obvious as you begin to study the universe. For example, there are no solids in the universe. There’s not even a suggestion of a solid. There are no absolute continuums. There are no surfaces. There are no straight lines.”

“Everyone is born a genius, but the process of living de-geniuses them.”
“I’m not trying to counsel any of you to do anything really special except dare to think. And to dare to go with the truth. And to dare to really love completely.”

― R. Buckminster Fuller

Não se acomode, experimente, viva, ouça a sua intuição e coloque-a a teste.

Até mais

Vela

Source: http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/7/77/G%C3%A9ode_V_3_1.gif

2 Comments

Filed under Jornada, Psicologia de Trading, Reflexão, Vela's Beliefs

Como Conseguir o que quiser na vida

“You can do anything in your life, but not everything” Jim Rogers

“The definition of insanity is doing the same thing over and over and expecting different results.” Albert Einstein

 

Em menos de mil palavras aqui eu coloco o meu desafio em explicar pra você como conseguir o que quiser na vida.

Sim qualquer coisa que desejar. 🙂

Muitas vezes eu falhei na vida tentando conseguir o que “queria” até que um dia eu tive uma revelação surpreendente.

Eu estava focando nos meus resultados.

Isto mesmo, focando nos resultados eu estava só aumentando minha frustração e nunca atingindo meus objetivos.

A minha grande revelação foi que a unica forma de conseguir os resultados que eu quisesse era NÃO FOCAR nos resultados.

Porque focar nos resultados é perda de tempo e não funciona?

Porque os resultados é a parte do seu objetivo que você NÃO tem CONTROLE e eu queria ter total controle em conseguir o que quisesse.

Então, se não sou capaz que controlar os resultados que quero como que vou conseguir o que quero?

Simples. Você precise focar no seu comportamento que produz o resultado e não no resultado em si.

 Comportamento = Resultado

A diferença é que o lado direito da equação não esta sob o seu controle e o lado esquerdo potencialmente está 100% sob o seu controle.

Como então que gero os comportamentos que vão me dar os resultados que eu quero?

Espera… antes tem um primeiro passo e isto se faz de traz pra frente.

Primeiramente você precisa identifica os resultados que quer, então pode começar uma pesquisa de qual/quais o(s) comportamento(s) necessário(s) para produzir o resultado que quer.

Esta ciência se chama MODELAGEM.

Vou dar um exemplo pessoal.

Eu queria perder peso de forma permanente e principalmente massa de gordura do meu corpo para menos de 15% do meu peso. Sempre tive problema de baixar meu peso abaixo de 80Kg e muito menos a massa de gordura que estava estagnada em 25%.

Eu corria pra caramba e tentava reduzir a comida e para minha frustração eu olhava na balança, i.e. resultados, e não conseguia ir muito abaixo dos 80 kg. Eu me pesava todo dia e NADA… Eu fazia gráfico do meu progresso que sempre chegava em um ponto que eu estagnava e ai eu desistia e acabava voltando a minha vida ao meu ritmo “normal” e meu peso voltava a 85 Kg para minha frustração. Ok! nasci pra ser gordinho mesmo.

Até que então eu comecei a pesquisar esta parada de desenvolvimento pessoal e psicologia devido a minha frustração com meu trading. Assim, comecei a modelar o comportamento para quem quer ser mais esbelto e rasgado, sarado. Tipo virar um pão.

Li alguns livros

Comprei alguns eBooks no assunto.

Montei um plano baseado no que aprendi

Quando eu fiz isto eu montei um plano que tivesse total alinhamento com o estilo de vida que queria e lógico um plano que pudesse me comprometer 100% com ele para o resto da minha vida.

Sem querer entrar em detalhes aqui estão os resultados que estou obtendo com este plano.

Comportamento e Resultado

Meus resultados

 

A receitinha que achei que funciona pra mim é:

–          Cortar 100% do C.R.A.P Carbs (carboidratos), Refined Sugar (açúcar refinado), Alcohol (biriba) and Process Food (comida processada).ESTA É A PARTE MAIS IMPORTANTE e se quiser ajuda nesta parte acesse aqui

–          Ir na academia 3x por semana por 40 min (incluindo aquecimento, treino e alongamento).

–          Ter uma dieta disciplinada com macro nutrientes de 40% Carboidratos, 40% proteína e 20% gordura

–          Ter um dia livre pra comer UMA refeição o que quiser. Por incrível que pareca isto ajuda a perder gordura, mas isto posso explicar em um outro post.

Eu parei de me pesar, mas a cada 4 a 6 semanas eu fazia uma avaliação (foto acima) na academia de como estava indo com o meu progresso.

Os resultados eram CERTOS e eu só precisava focar no Comportamento ou PROCESSO.

Os resultados eu só uso como um sistema de feedback para mudar algo no meu processo ou plano caso os resultados não reflitam a minha intenção.

 “Na vida nao existe sucesso e fracasso somente feedback” Van Tharp

Parece simples.

Então, porque tem um monte de gente fora de forma que não consegue se controlar?

Se é tão fácil assim ficar com o corpo igual do Cristiano Ronaldo, porque a maioria não tem barriga tanquinho?

Source: http://metrouk2.files.wordpress.com/2014/01/ay_35932740.jpg

 

Resposta: Mentalidade ou em outras palavras psicologia.

A mesma coisa funciona para trading.

O conteúdo deste Blog te da todos os elementos necessários para ser o melhor trader que você pode ser, entretanto você tem que estar disposto a desenvolver um plano que tem a TUDO a ver com você e SEGUIR A P*&*&^ DO PLANO sem hesitar.

Mas se a sua mentalidade nao estiver alinhada aos resultados que o plano vai produzir, então simplemente será incapaz de executá-lo

Caramba então tudo esta perdido pra mim? F@*&U?

Como que posso solucionar esta parte da mentalidade?

Simples 🙂

Você precisa entender como que a mente humana funciona e uma vez que descobrir e desvendar seus mistérios o céu é o limite, ou melhor, a sua própria mente.

Mas isto é assunto para um outro post

10 Comments

Filed under Psicologia de Trading, Trading Plan, Vela's Beliefs

Livros que li em 2013 – PARTE III

 “Become a producer and not a prisoner of society. Don’t hide your light under a bushel” Joseph Murphy.

Agora a parte final dos 50 livros lidos em 2013.

33. The Trend Following Bible: How Professional Traders Compound Wealth and Manage Risk by Andrew Abraham: Mais um livro de trading que li. O Título é bem marqueteiro e o livro é bom. O autor compartilha bem a sua própria experiencia e mostra bastante a parte técnica do Trend Following e algumas de suas estratégias. O trader também é um grande investidor em Hedge Funds de trading following e uma das estratégias mais interessantes do livro é comprar draw down de fundos de trend following o que se assemelha a comprar dips em um bull market. Recomendo se é do ramo de trend following. Andrew tem um site com bastante recursos e videos que ajudam na educação.

34. The Trading Tribe by Ed Seykota:  Livro que já comentei aqui no site, mas eu re-li, pois estava indo para o seminário do Ed em Austin. Li o livro no avião. Recomendadíssimo.

35. Govopoly by Ed Seykota: Novo livro do Ed que falei nele aqui no Blog. Tive o prazer de participar do grupo de revisores e até fui mencionado na aba e nos reconhecimentos do livro. O livro é uma MASTER CLASS de economia. Se gosta de entender como que a economia funciona eu recomendo demais.

36. 50 Prosperity Classics by Tom Butler-Bowdon: Considerando que eu li este livro entao eu li na verdade 99 livros este ano, pois este vale por 50. Gostei da ideia RESUMÃO. Isto me faz lembrar a época do vestibular quando tinha um livro com o resumo dos trocentos livros de literatura na lista da FUVEST. Como tinha muitos livros que queria ler que estavam neste resumão eu preferi dar uma palhinha em cada para depois comprar somente aqueles que tocarem mais o meu coração. O que estou já fazendo este ano. Achei uma excelente ideia. Recomendo se quer matar 50 coelhos com uma paulada.

37. Trading With The Odds: Using the Power of Probability to Profit in the Futures Market  by Cynthia A. Kase: Este livro é um antigo que estava na minha lista de espera. Acredito que enrolei um pouco devido o livro estar fora de edição e era difícil encontrar e caro. Entretanto achei um vendedor na Amazon com um preço razoável para um novinho encalhado na prateleira. Cheguei ao conhecimento deste livro pela lista de recomendação do TYWTFF do Van Tharp. O livro tem muito a parte matemática preditiva e ele tenta colocar uma estrutura na parte da Elliot Wave e deixar mais objetiva e menos subjetiva. Recomendo se é um trader com um viés mais discricionário.

38. You can heal your life by Luise Hay: Um CLÁSSICO da auto ajuda da década de 80. O livro praticamente tem meio que a solução e a causa para todos os problemas pessoais, físicos, de relacionamento e financeiros. Na linha da auto ajuda WoWo, mas pro incrível que pareça faz total sentido e tem funcionado na minha vida algumas técnicas aplicadas na parte psicológica. No final das contas conta muito a questão de crença, ou seja, quando mais acredita no que parece “loucura” no livro, suas teorias fazem mais sentido e funcionam melhor. Recomendo se acredita nestas coisas paranormais e se quer ter mudanças mágicas na sua vida.

39. Happy Minimalist by Peter Lawrence: Conheci pessoalmente o autor que acabou virando um amigo. Eu queria conhecer um pouco do que seria ser um minimalista. Eu acredito em minimalismo no sentido de simplificar a vida e eliminar o excesso, mas tenho minhas reservas de como o Peter coloca seu estilo de vida minimalista que é um estilo bem radical. Como exemplo dormir em saco de dormir e ter uma panela em casa. Ok Ok super ecológico mas ZERO conforto. Recomendo se quer ter uma visão geral sobre minimalismo ou se quiser um resumão assista a este documentário.

40. Predictably Irrational, Revised and Expanded Edition: The Hidden Forces That Shape Our Decisions by Dan Ariely: Livro que quem me recomendou foi o Michael Covel. Interessante o livro que junta um pouco de economia, marketing e probabilidade. E o título explica bem o que é o livro. Ele mostra como somos irracionais e como as empresas e os marqueteiros se aproveitam para capitalizar em nossa irracionalidade. Best Seller recomendadíssimo. Dan não só é bom escritor, mas um excelente palestrante e pode ser encontrado em vários videos do YouTube. Ele é professor do MIT.

41. The Power of Awareness by Neville Goudart: Este livro é o que falei que o Wayne Dyer praticamente plagiou quando escreveu o livro Wishes Fulfilled, o numero 14 da lista. Um outro clássico da auto ajuda escrito na década de 50. Basicamente a principal teoria do livro é que se quer que algo aconteça na sua vida o melhor método é viver como que aquila já fosse uma realidade. Alguns autores dizem que é uma forma de dar uma tapeada no subconsciente, pois fazendo isto a nossa mente trabalha automaticamente para concretizar a nossa fé. Altamente recomendado. Muito boa leitura. Eu adoro os clássicos

42. Critical Path by Buckminster Fuller: Este livro é uma obra prima. Eu comecei a pesquisar sobre Bucky, como é carinhosamente conhecido, quando o Van Tharp mencionou ele em algum de seus materiais no Workshop que participei em Março de 2013. Bucky é considerado o Leonardo da Vinci do século 20. O livro é um mix da explicação do sentido da vida e como criar um sistema interno de viver uma vida totalmente baseada em um guia interno que todos temos dentro da gente e que como qualquer indivíduo normal pode se tornar um gênio. O livro é cheio de ciência, geografia, navegação, história, química e uma visão holística do mundo. Uma coisa que fiz em paralelo a leitura do livro foi assistir aos vídeos onde Bucky explica em cerca de 16 horas tudo que ele sabe. A frase mais impactante é “Todos nós devemos esquecer a ideia de viver para nos sustentar, mas simplesmente estar comprometido em focar no que o universo está querendo fazer”. Altamente recomendado se quer entender melhor o que é o nosso universo.

43. Seven Habits of highly effective people by Stephen Covey: Outro clássico que estava na minha lista há um tempo. O  que me levou a ler este livro foi o Ed Seykota fazer algumas menções do livro no seu seminário que participei em Setembro de 2013. O livro é altamente estruturado e dá um processo de como fazer uma transformação pessoal e relacional para o sucesso pessoal. No final do livro me deu vários AHAs! com relação a nossa responsabilidade em atingirmos os nossos próprios resultados e como que somos responsáveis com o sucesso no relacionamento alheio e que no final das contas temos o poder de ter total controle sobre a nossa mente e resultados.

44. Use Your Head: How to unleash the power of your mind by Tony Buzan: Livro recomendado pelo Trader Senna. Outro clássico da auto ajuda. Muito bom as técnicas do livro que envolvem uso da memória, leitura dinâmica e mind maps que foi algo desenvolvido por Tony. Altamente recomendado.

45. The Compound Effect by Darren Hardy: Este foi um dos livros mais importantes que li o ano passado. Este está na lista de livros de auto ajuda pé no chão e prático. A parte mais importante do livro é um questionário de avaliação pessoal das principais áreas da vida (Saúde, Relacionamento, Negócios, Carreira, Espiritual, Finanças Pessoais, Mental e Estilo de vida). Isto ajudou muito a identificar minhas fraquezas e áreas que preciso melhorar e foi base para eu criar um sistema de objetivos e metas para o ano de 2014. Altamente recomendado. Esta na lista dos TOP 5 do ano.

46. The Bible for Compounding Money by Andrew Abraham: Livro na linha do 33, não muito diferente e bem repetitivo. Melhor ler o 33 e não este.

47. Tomorrow’s Gold: Asia’s age of discovery by Marc Faber: Um prato cheio para que gosta de economia e entender como que os ciclos econômicos e o fluxo global de capital funciona. Excelente pesquisa feita por Marc. Recomendo se é tarado por cenários econômicos e macroeconomia com eu.

48. Breaking the Habit of Being Yourself: How to Lose Your Mind and Create a New One by Joe Dispenza: O que me chamou a atenção a este livro e motivou a leitura foi quando eu re-assisti ao documentário “What the Bleep do we know?”. Joe foi o participante que mais me chamou a atenção quando assisti o documentário. O livro é muito bem escrito e dá uma perspectiva da ligação da espiritualidade com a ciência.  Ele liga física quântica com química biológica. Fascinante e um bom instrumento para crescimento pessoal se você tem um viés mais científico.

49. Made in Japan: Akio Morita and Sony by Akio Morita: Acho que o livro que ficou na minha fila de leitura por mais tempo. A mais de 10 anos que quero lê-lo. Outro livro que já saiu de impressão. É a auto biografia do Akio Morita, fundador da Sony. Interessante aula de história e de Business. Pra mim tem um valor especial, pois trabalhei muito em empresas japonesas e conheço bem a cultura, mas queria entender as motivações e os princípios por detrás desta linda cultura que admiro muito. Altamente recomendado.

50. New Concepts in Technical Trading Systems by Welles Wilder: Finalmente o último livro para completar o numero 50. Welles Wilder realmente uma pessoa a frente do seu tempo e ele é o inventor dos indicadores técnicos mais utilizados como o ATR, ADX e RSI. Impressionante aula de trading e de gerenciamento de risco, pra mim as duas paginas mais importantes do livro que coloquei no meu relatório de gerenciamento de risco.

Agora para finalizar aqui vai a lista dos TOP 10 que realmente abriram minha mente para novas possibilidades e me acrescentou algo inovador. Não necessariamente na ordem, pois todos são tão bom quanto em suas respectivas área de conhecimento.

The Science of Getting Rich
Cashflow Quadrand
The Life Plan: How Any Man Can Achieve Lasting Health, Great Sex, and a Stronger, Leaner Body 
The Dynamic Law of Prosperity
The Adventure of Self Discovery
The Power of Awareness
Critical Path
Seven Habits of Highly Effective People
Breaking the Habit of Being Yourself: How to Lose Your Mind and Create a New One
Personal Development for Smart People

 

2 Comments

Filed under Biblioteca, Jornada, Reflexão

Guia Completo de Backtest segunda edição

PLATINUM

É com muito orgulho que lanço a segunda edição do Guia completo de Backtest.

 Uma revisão completa do estilo de português feita com o auxílio do meu amigo e trader Thomaz Senna, ficando ainda mais clara a linguagem. Moro na Austrália já há mais de sete anos e com minha leitura toda em inglês preciso de alguém para adaptar a linguagem para o português de mercado atual.

Ele também escreveu uma apresentação para o livro que eu vou publicar aqui como um blog post convidado, abaixo.

Para saber sobre o lançamento aqui vai o link para a nova pagina de vendas e analise os pacotes especiais que preparei para quem ainda não comprou.

Inclui novidades como o código do sistema que testei no Amibroker e a planilha de gerenciamento de risco.

Sem mais aqui vai a apresentação da segunda edição do Guia Completo de Backtest.

 

É natural falar em bolsa de valores e logo pensar em muito dinheiro e em ficar milionário, só que não é comum ficar milionário da noite para o dia operando na bolsa, é possível sim prosperar, e prosperar é um processo cuidadoso, que requer disciplina e tempo. Os profissionais que operam ações e derivativos entendem que esse é apenas um ofício, não um bilhete de loteria, mas é muito comum aqui no Brasil as pessoas “investirem em ações” esperando um retorno de grandes quantias, e raramente pensam na hipótese das ações irem no sentido contrário do seu investimento. Normalmente investimos em algo a longo prazo que tem grandes chances de aumentar de valor, tradicionalmente imóveis são bons investimentos de longo prazo, pois não é comum ver oscilações que reduzem o preço de um imóvel a 50% do seu valor e depois elevam apenas 10% e assim permanecem por um longo período; já as ações tem esse comportamento com muita frequência, entre períodos de semanas até poucos meses, oscilando até mais da metade do seu valor em determinado instante. Esse é apenas um dos diversos argumentos que demonstram os motivos de não se investir em ações a longo prazo sem uma gestão de risco e regras de quando se deve entrar e sair do mercado, pois assim como suas ações podem subir 80% elas podem descer 90%, com as mesmas chances, e com muita rapidez. Por isso, operar ações é uma opção mais lúcida, porém requer muito estudo e disciplina, já que não existe ninguém que vá te impedir de montar um trade absurdo, como comprar no topo de uma forte alta com vários indícios técnicos de que esse ativo deve começar a se desvalorizar.

Conheci o Pedro, ou melhor, o “Vela” fazendo buscas no google sobre psicologia de trader e gestão financeira, entre outros assuntos de traders bastante negligenciados pela maioria dos brasileiros. Vi no seu blog uma oportunidade de aprimorar os meus conhecimentos sobre essa profissão tão complexa que é ser trader. Como não temos aqui no Brasil muitos livros sérios sobre o assunto, me senti muito feliz quando tomei conhecimento de livros excelentes de autores “gringos” através do blog do “Vela”, além de formidáveis posts que me pouparam horas de leitura de alguns livros, outros posts me fizeram querer devorar certos livros. Uma vez li em um livro sobre trading que um bom autor de livro sempre coloca a bibliografia usada para criar o seu próprio livro, isso porque ninguém consegue formular uma ideia totalmente sua, sem aproveitar nenhuma ideia de terceiros, e aqui nesse e-book tivemos no final dele a recomendação de alguns dos principais livros que fizeram do Vela quem ele é hoje.  Quando ele me falou por e-mail que ia lançar um e-book queria ter o prazer de comprá-lo, hoje tive o prazer e a confiança de revisar o seu e-book, afinal quem acompanha o blog do Vela sabe que ele mora na Austrália a muitos anos e já leu os melhores livros sobre trading além de participar de palestras de autores geniais. Nesse e-book o “Vela” conseguiu sintetizar de forma muito prática seus principais conhecimentos sobre um trade system, longe daquela ideia de seguir regras sugeridas por outros sem qualquer teste robusto que atesta qualquer confiabilidade matemática ao sistema. Os traders profissionais não usam de achismo, ou porque hoje choveu ou fez sol, usam de psicologia para se controlar, gestão financeira para controlar seu dinheiro e um bom trade system para colocar em prática a única coisa que é possível de se controlar no mercado: VOCÊ PRÓPRIO.

 

Thomaz S. Senna

 

12 Comments

Filed under Biblioteca, Psicologia de Trading, Trading Plan, Vela's Beliefs

Uma revelacao surpreendente

Investi tempo depois do período fechado para balanço para re-testar meu sistema short e fazer uma analise caso operar long e short.

No começo fiquei bem empolgado com meu sistema long, mas logo que comecei a operar eu passei uma pessima sequência de perdedores (whipsaw) o que me tirou um pouco dos trilhos e resolvi dar uma re-analisada no Back Test, principalmente a parte de Drawdown (DD).

E ai que foi a minha revelação surpreendente. Mesmo que o sistema apresentasse uma relação CAR/MaxDD que me deixasse feliz eu cometi um erro de não dar uma olhada em quanto tempo o DD iria demorar caso entrasse em um e quantos trades demoraria pra sair do DD.

Apesar do DD maximo ser de apenas 5.66% com um position sizing de 1% do equity o pior DD demorou 443 dias corridos ou aproximadamente 14 meses. Sendo um sistema longo os piores DD ocorreram em bear markets. Sendo eles

13/03/2002 a 20/02/2003 – 352 dias

20/06/2008 a 2/07/2009- 442 dias

O primeiro DD durou 17 trades e o segundo 19. Sendo que o sistema Longo da em media 15 trades por ano ou um pouco mais de um trade por mes.

Entao depois de ter revisao o sistema short que estava com um problema de execução devido aos stops curtos que eram stopados no after market agora estou mais satisfeito com as regras ajustadas. O sistema “piorou” os resultados, mas a ideia aqui é usar o sistema em conjunto com o longo por dois motivos. Ter um colchão de hedge em bear markets para diminuir DD e duracao de DD e aumentar a frequência de trading para aumentar os juros compostos.

então aqui vai a analise de ter os sistemas sozinho ou combinado:

Agora para visualizar a curva de equity com um investimento hipotético de 10,000 como seria a curva.

Veja que os maximos DD em duração estão dentro dos retângulos.

Veja que o sistema short se comportou “bem” nos bear markets de 2001-2002 e de 2007-2008 e em periodos Bull ficou flat a caindo um pouco. Isto o porque do sistema operar um índice de ação (S&P 200 Australia) o que tem um “vies” Bull.

Lembro do Roberto ter comentado de ter um sistema short junto com o longo pra melhorar a performance total e é o que acontece no Back test.

Voltei a tradar com mais confiança os dois sistema com um controle de risco bem apertado (1% do equity) só pra voltar a ter confiança em no sistema e me conhecer melhor o quão aderente estou ao sistema.

Lógico que o intuito é ganhar dinheiro, mas quero focar muito mais no processo no momento de descoberta e auto-conhecimento, pois só serei um trader de sucesso o dia que descobrir o sistema que tem dentro de mim e se estou dispostos a sentir os sentimentos que vem com meu sistema que no fundo no fundo esta no meu DNA.

Neste intuito eu lanço o desafio de seguir 30 sinais de forma mecânica e vou postar no Twitter as ordens de entrada e ajustes diarios de trailing e profit target.

No momento estou em um trade longo que esta ganhando 1.2R e que teve uma MAE (Maximum Adverse Excursion) de 1.74R. Faz parte de ser trend following devolver pro mercado para deixar o lucro fluir.

Espero que me sigam no Twitter se querem saber meu trading journal enquanto ele acontece.

Ajusto minhas ordens e stop quando o mercado fecha por volta de 17h horario de Adelaide, Australia.

7 Comments

Filed under Psicologia de Trading, Trading Plan

Obrigado 5000

A quase dois anos eu venho estudado incansavelmente sobre o assunto trading, eu estudo ainda, e nesta busca pelo conhecimento e o que fazia sentido, aprendi coisas que nunca tinha percebido, mesmo tendo vivido neste mundo algumas décadas e digo que tive vários momentos de ahas!! nos últimos dois anos lendo vários livros, web sites, fóruns, blogs e etc.

Então, pensei em começar este blog como uma forma de retribuir um pouco o que aprendi com muitas pessoas, mas além de compartilhar meu conhecimento estava também pensando em estruturar meu pensamento e ajudar a si próprio. No final eu acabei sendo o maior beneficiário do blog.

O motivo do blog não foi pra ganhar dinheiro tendo o blog como um meio, mas via como uma  forma de melhorar o meu próprio trade e reforçar as coisas que acredito sobre trading.

Queria aproveitar a ocasião que o blog atinge 5000 page views, o que é muito pouco pra dizer que é um blog bem sucedido, embora ache algo significativo comparado com minhas expectativas iniciais que alias não tinha nenhuma. Então queria para fazer uma pausa de agradecimento aos responsáveis por estas 5000 page views.

Acho que os responsáveis são:

– O Hugo Teixeira do Senhor Mercado, que aliás tem um blog EXCELENTE. Lembro que já tinha começado o blog há umas 3 semanas e estava procurando um blog em português que estava falando de coisas que queria falar como trade systems, gerenciamento de risco e as coisas que acho importante nos livros que li sobre como operar no mercado. Confesso que muito trafego que vem aqui pro Velaepavio vem lá do Forum Senhor Mercado que aliás tento ser bem presente lá, mas ultimamente anda meio parado. O pessoal anda ocupado… até mesmo o Hugo deu uma sumida.

– Pessoal do infomoney que colocou o meu blog no blog roll da comunidade. O que acaba trazendo um certo trafego aqui pro blog. Costumava ser melhor, mas foi bem importante no começo.

– Todos os leitores assíduos do blog que de vez em quando fazem comentário que acho que são muito importantes pra dar feed-back. Isso significa que as pessoas não somente clicam no meu site por estar atrás de assuntos de trading e trading system, mas elas lêem os posts e comentam. Valeu galera!!

E é lógico todos os responsáveis que me inspiraram e me direcionaram pra onde estou hoje.

Acho que a primeira semente que foi lançada foi uma video aula que assisti no Informed Traders do David Waring. Se quiser ver o video onde tudo começou veja aqui. Isso foi há menos de dois anos atrás onde não sabia o que era candle stick (vela e pavio). Alias sabia, mas achava baboseira, pois era um cara puramente fundamentalista.

Neste curso de análise técnica que o David W. falou de um cara chamado Van Tharp e o livro Trade Your Way to Financial Freedoom.

Nesta mesma busca eu encontei o David Jenyns que me ajudou na parte de trading no começo. Explicando a parte de position size, risk management e etc.

Assim por diante os principais autores que gostaria de agradecer aqui: Van Tharp, Jack Schwager e Michael Covel.

E os traders que me inspiram e que sou fã:

Jesse Livermore, Gerald Loeb, Nicholas Darvas, Chuck LeBeau, Richard Dennis, Willian Eckard, Curtis Faith, Marty Schwartz (minha entrevista preferida no Market Wizard), Ed Seykota e Paul Tudor Jones.

Acho que estes são os que me marcaram mais e consigo lembrar de cabeça.

Acho que o blog tem bastante conteúdo e tudo que sei sobre trade eu escrevi aqui, pelo menos as coisas mais relevantes que acho importante que todos precisam saber. Não o que escreva seja a verdade absoluta sobre trade, pois não acho que alguma exista, mas existe a que tem a ver com suas crenças. E este blog está cheia delas.

Gostaria de escrever mais, mas acho que preciso no momento focar em outras coisas para o meu desenvolvimento pessoal como trader, além de escrever, que toma tempo. Vou me disciplinar mais em seguir a minha rotina para ser mais bem sucedido em trading, pois ainda tenho que ter meu trabalho diário tempo integral para trazer a minha renda, mas meu objetivo é ser trader full time. Sei que se focar mais no meu desenvolvimento pessoal e na minha psicologia eu vou atingir o objetivo mais rápido então terei mais tempo de escrever, que é algo que gosto de fazer.

Então espere eu dar uma sumida do blog, pois vou concentrar mais no meu desenvolvimento e nas pesquisas que ando fazendo no momento.

Também mês que vem meu primeiro filho vai nascer e vou estar bem ocupado e isto com certeza tomará o meu tempo.

Enfim, MUITO OBRIGADO a todos/todas e também a VOCE que está lendo este post neste exato momento. Acho que a gratidão é uma virtude e que gosto de cultiva-la e sei que ela acaba voltando em dobro.

16 Comments

Filed under Jornada, Reflexão

A China é uma bolha?

“The world has built a production capacity that it cannot consume” Hugh Hendry – most profitable hedge fund manager in 2010 (July YTD by Bloomberg)

Se voce esta comprado até as tampas em Vale do Rio Doce (CVRD), comprou opções de compra da Vale, é um perma bull na China e também acha que o Eike Batista é um dos caras mais inteligentes do Brasil e tem um monte de OGX e outros Xs na carteira, melhor continuar lendo este post.

Agora se acha que estou falando absurdo e que o seguinte axioma ainda é valido.

Um pais pode crescer 10% ao ano ad eternum.

Então, melhor não ler, senão está perdendo o seu precioso tempo.

Eu já escrevi que existem rumores que a China é uma tremenda bolha no meu outro blog e de alguma forma os dois posts estão ligados.

Antes que continue escrevendo queria deixar uma coisa clara aqui. Eu acredito que a China tem grandes chances de se tornar o pais mais rico do mundo entre 2030-2050 e que tera uma mudança de eixo de poder para a Ásia. Isso se os EUA nao entrar em Guerra contra a China e bombardear e destruir a Ásia antes da perda quase inevitável de sua hegemonia devido a uma guerra que não vai derramar uma gota de sangue, pois é uma guerra puramente econômica.

Acho que a China ser uma potencia mundial é ponto pacífico na minha opinião com coloquei na minha visão macro.

Nao estou aqui tentando ser profeta ou fazer uma previsão, mas estou tentando raciocinar as tendências macros estruturais que o mundo esta passando. O exercício nao é bom no sentido de adivinhar o que vai acontecer, entretanto acho que é valido entender quais são os possíveis cenários e se eles se desdobrarem seja qual for ele, voce sabe o que deve fazer ao invés de ficar sentado olhando vendo suas economias irem pro espaco e o mundo sendo implodido.

Dito isto, que acredito que a China tem grandes chances de ser a super potencia mundial nos próximos 20-30 anos, existe um excesso atualmente na China e podemos chamar isto de bolha e o risco de uma correção ao longo do caminho é grande. Se quer lucrar com este possivel risco ou crise continue lendo.

Se você tiver paciência leia esta excelente apresentação de powepoint (China Japan Presentation v3 – By Vitaliy Katsenelson ) Vitaliy N. Katsenelson, CFA, que brilhantemente expõe o caso que concordo.  Basicamente o post é um resumo desta apresentação

Se esta com preguiça de ler o original, então leia o resumo em português.

Basicamente a historia é a seguinte.

A China cresceu cerca de 9-10% ao ano entre 1998-2008 devido a investimento pesado em seu parque industrial. Todos os “planetas”  estavam alinhados para que este crescimento ocorresse como.

–          Desvalorização do Yuam manipulada

–          Bolha de credito mundial que permitiu o consumo das bugigangas chinesas que a maioria estão nos lixões e nas garagens dos americanos e dos europeus.

O que aconteceu em 2008, estouro da bolha de credito mundial, que causou a maior crise desde a de 1929, o modelo Chines exportador ficou em cheque e não mais sustentável, pois era a bolha de crédito que estava permitindo a China produzir um monte de lixo e exportar para o mundo.

O Brazil, Australia e outros países produtores de commodities se beneficiaram muito com este boom.

Entretanto, quando veio a crise em 2008 impressionatmente, a China continuou crescendo 7-8% ao ano em 2009-2010. Isto porque o governo Chines, que é uma ditadura, ingetou 14% do Pib na economia pra continuar a bola de neve rolando. Foi o maior estimulo em termos percentuais do PIB.  Então, como os numeros do PIB oficiais são publicados por agencias oficiais do governo, todo mundo acredita que a China ainda continua crescendo em um ritmo frenético.

E todo mundo continua se enganando e a ação das mineradoras subindo ou pelo menos mantém se em níveis altos.

O que pode se observar, entretanto, é que a China tem a maior capacidade inutilizada do mundo.

Por exemplo a capacidade produtiva da China em:

Cimento é maior que o consumo Indiano, japonês e Americanos juntos.

Aço é maior que a combinação do Japão e da Coreia.

Não é só na capacidade produtiva mas na utilização de espaços de escritório.

50% dos imóveis comerciais estão vazios ou 30 billoes de pes quadrados (squared feed) vazio o que dá um cubículo de 5×5 pra cada Chines. Só recordando que eles são 1.3 Bilhoes.

Existem cidades fantasmas na China como Ordos.

Agora entende porque os caras continuam comprando ferro da Vale, mesmo sem precisar.

Assim como aconteceu com o Japão no final da década de 80 a China atualmente é o pais que mais destroi capital no mundo, ou seja a China tem gasto muita grana em projetos que não geram fluxo de caixa com um retorno acima do custo de capital. Pra você que não entende nada de finanças e economia em outras palavras a China esta investindo todo a grana do lucro gerado na sua exportação em projetos improdutivos.

Assim como o Japão fez no final década de 80 investindo em imóveis que tiveram preços absurdamente irreais. Pra se ter uma ideia é 60-70% mais barato comprar um apartamento em Tóquio hoje em 2010 do que era em 1989, há 21 anos atrás.

A melhor medida, na minha opinião, de avaliar preço de imóveis é a relação preço médio dos imóveis/renda media. Quando a coisa desandou no Japão este indicador estava em 9.5X, Nos Eua o negocio estourou quando estava em 5X e na China hoje esta em 14X em algumas cidades e a média é 8.8x.

Ainda acha que pode subir mais?

Nao sou so eu que acha isso.

O short seller mais famoso do mundo, Jim Chanos, também acha o mesmo e esta se posicionando pra quando esta possivel bolha chinesa estourar.

Assista sua ultima entrevista aqui

O resumo da opera é o seguinte.

Caso a coisa desande na China você sabe o que tem que fazer: NÃO SEGURA as ações da Vale achando que ela vai recuperar. VENDE o mais rápido possível. Fica tranquilo que vai ter chance de re-comprar quando ela estiver valendo P/E baratinho.

O Brasil, Australia, Russia e Canada e qualquer outro pais exportador de commoditie serão os mais afetados por este possivel estouro de bolha.

Eu acredito que a única saída para a China é mudar o seu modelo econômico para o mercado interno.

Como dito na minha visão macro ela precisa se voltar para o mercado interno, deixar seu cambio flutuar e deixar se valorizar para que o poder de compra Chines aumente. O problema é que não pode fazer isto de noite para o dia.

Os dois mercados consumidores do mundo hoje são os EUA e a Uniao Europeira.

O PIB dos EUA é 15Trilhoes e o consumo corresponde a 10 Trilhoes

O PIB dos Europa é 15Trilhoes e o consumo corresponde a 10 Trilhoes

Somados eles consomem 20 Trilhoes.

A economia Chinesa é hoje de 5 Trilhoes mas o consume é apenas 2 Trilhoes.

Isso da 10% do consumo dos EUA e da Europa. Então, não da pra ter uma transferência do consumo destes países pra China da noite pro dia. Por isso, a China não pode parar de crescer é como o Onibus do filme Speed (Sandra Bullock e Keanu Reeves) se desacelerar explode. No caso da China implode.

Tem que ser gradual e pode levar de 10 a 20 anos pra isto acontecer. Acho que este será o caminho natural das coisas, mas acho que ate lá teremos lombadas no caminho e uma delas é essa grande correção. Embora ache que mais no longo prazo a China será a super potencia mundial.

Posso estar completamente errado e nada disto ocorrer e outras coisas ocorrerem como um meteoro atingir a terra e todos morrerem afogados, sei la!

Entretanto, esteja atento para o que pode acontecer e não fique com cara de sabão se o negocio desandar e  ficar fazendo preço médio em OGX e VALE.

9 Comments

Filed under Fundamentos, Reflexão, The Big Picture

Visão Macro do Paul Tudor Jones

Ontem tinha preparado um post que iria falar sobre o que considero ser um trade system, ou sistema de trade na minha opinião, mas me deparei com uma carta do Paul Tudor Jones emitida recentemente para seus clientes que resolvi postá-la aqui.

Jones é um dos meus traders herois e gosto muito do seu estilo e forma de pensar estrategicamente.

O que lí foi musica para meus ouvidos. Meio que dispensa comentários. Eu nunca vi um cara com poder de sintetizar um assunto tão complexo e como ele estrategicamente identifica oportunidades no cenário.

Concordo com ele 100% e meio que o que ele disse é pra mim um framework do que devo acompanhar para identificar oportunidades de trade no desenrolar da situação. Já comentei alguns aspectos do que ele disse na carta na sessão do blog THE BIG PICTURE.

Basicamente toda a atenção no blood shed que o mercado de FOREX pode virar a qualquer momento e as melhores oportunidades ou o Trade do Seculo será com o Renminbi (ou YUAN)  em como que vai desenrolar a questão da sua atual sob valorização. Também qual será a postura dos EUA em relação a essa guerra cambial dentro do contexto que se encontra, endividado, com deficit comercial, com desemprego pior nos últimos 75 anos e um grave problema estrutural em sua economia, enfim a situação dos EUA não é nada boa pelo menos no médio prazo (2 a 5 anos).

Jones até cita o Brasil no artigo.

Enfim divirta-se com a leitura e poste seus comentários.

Vou colar aqui o texto na integra como citação

O texto foi retirado do site Zero Hedge.

From Paul Tudor Jones

Our extraordinary times offer extraordinary opportunities, but as with most opportunities, there will be winners and losers.

Economies in the developed world find themselves with unemployment levels not seen since the Great Depression. The response from respective governments has been massive fiscal stimulus in conjunction with monetary easing. And now many of these governments, having exhausted all fiscal stimulus measures that are politically feasible, are about to embark on another round of quantitative easing. The Bank of England, the Bank of Japan and the US Federal Reserve have implemented, or are considering implementing, significant rounds of government securities purchases.

Will these measures actually succeed in lowering the chronically high levels of unemployment? Or are the unemployment problems of these countries so structural in nature that these policies will have only limited impact?

We’ve enlisted modeling and forecasting firm Macroeconomic Advisers, LLC to assist with answers to these questions.

But, first, a story: About ten years ago I had an acute case of plantar fasciitis in the left foot, a condition in which the fascia, or the covering right beneath the skin, had become highly inflamed. I asked Pete Egoscue (egoscue.com), a renowned postural specialist but one without medical training, to take a look at my foot. Pete had, after all, healed a number of people I knew, including my wife. Because Pete was self-taught, I was a skeptic— as any good trader would be.

Pete said that he did not need to look at my foot because my foot was not the problem— a response that suggested I was dealing with a quack. But I was patient and continued to listen. He proceeded to explain that the pain in my left foot was the consequence of a structural, postural deficiency in my hip alignment. My right hip was rotated in such a fashion as to make the left side of my body do all the work and bear all the weight, culminating in the inflammation of my left foot. “The pain you feel in your left foot is just the symptom,” Pete said. “If you treat it symptomatically and ignore the structural issue, you will never solve the problem.” I did not immediately grasp the full meaning of his words, but I followed his prescription,and in a few days the pain was gone. Some time later I realized that those words were probably the wisest I have ever heard from any human being, and that they apply to more than just the human body.

The developed world, and the United States in particular, is suffering an economic malaise the likes of which we’ve seen  only rarely in the last 100 years. Policy makers are searching for solutions, but they are too focused on the painful symptoms of unemployment to see the misshapen structure causing it. In so doing, they are presenting some of the more wonderful trading opportunities in quite some time: winners and losers.

The root cause of the unemployment woes is quite obvious. In the United States alone, in the last two decades, nearly six million jobs in manufacturing have been lost overseas. This equates to nearly four percentage points of the current 9.7% US unemployment rate. As importantly, the migration of these jobs contributed to the most unsustainable economic imbalance in the world today—China’s persistent bilateral trade surplus with the United States. During the last decade, China accumulated almost $1.4 trillion of US debt and at least $2.3 trillion in global assets. These figures could grow to $3.8 trillion and $7 trillion, respectively, over the next decade if the current renminbi/US dollar (RMB/USD) exchange rate continues to be artificially suppressed from appreciating.

One entity owning this much debt of one debtor, let alone a foreign government, creates too much risk concentration, and has possibly repressed volatility for debtor and creditor alike. The risk may seem manageable now, but who knows what the nature and temperament of the Chinese and American leaders will be in ten years? Isn’t it possible that either side could weaponize financial imbalances to the detriment of domestic and global stability?

How did we get here? On January 1, 1994, China devalued its currency by 50% in a single day, and since then has experienced a manufacturing boom. After 15 years of impressive productivity gains relative to its trading partners, though, it now resists the smallest appreciation. (The IMF implies the RMB could be as much as 30% undervalued taking 2000 as a base, but absolute purchasing power parity would argue that undervaluation is even greater— possibly as much as 60%.) Clearly, there is a direct correlation between the six million manufacturing jobs lost in the US and the close to twelve million manufacturing jobs gained in China over the last two decades. Robert E. Scott, a Senior International Economist and Director of International Programs at the Economic Policy Institute, estimates that the growing trade deficit with China, a partial consequence of the undervalued RMB, cost the US 2.4 million jobs between 2001 and 2008 alone, the equivalent of 1.6% of the current unemployment rate.

As someone who has traded foreign exchange since 1980, I believe the RMB/USD rate is currently the single most important of all exchange rates. It not only drives the largest foreign trade relationship in the world, it also drives virtually every other exchange rate globally. Dozens of other emerging market countries suppress their exchange rate against the US dollar because the RMB is effectively pegged to the dollar. And what is remarkable is the lack of any concrete policy initiative in the US to change this. For several years, the US Treasury has threatened to name China as a currency manipulator but has always found a basis for avoidance. Even if Treasury cited China, it would just set in motion more negotiations that would likely go nowhere. The lone serious attempt to impose a cost on China’s distortion of global financial markets this year was congressional action on the Currency Reform for Fair Trade Act, known as the Ryan Bill, which would allow US companies to file complaints against China’s currency policies with the Commerce Department, and would empower the Department to levy tariffs and countervailing duties on imports from China.

The Ryan Bill passed in the House of Representatives a few weeks ago by a vote of 348 to 79 but is stalled in the Senate. It drew immediate ire from the Chamber of Commerce as well as from eight former US Trade Representatives to China. But it was the very advocacy of the Chamber of Commerce and those Trade Representatives that led us to our current trade deficit. As Einstein said, “Problems cannot be solved by the same level of thinking that created them.”

That so many Americans continue to accept this suppression of a variety of exchange rates against the dollar is probably a function of the fact that for so long this suppression provided benefits such as cheap goods and cheap credit. In addition, for a while, manufacturing jobs seemed to be replaced by jobs in the service economy and construction industry without any economic disruption or any rise in the unemployment rate. However, the bursting of the credit bubble exposed the true structural decay that had occurred in the US economy. But, like zombies, many Americans still cling to the naive belief that we can return to the good times of the 90s and the earlier part of this decade, unable or unwilling to recognize that those high times were a debt-driven anomaly.

This delusion is fueled by a myriad of financial pundits who warn about the dangers of disrupting free trade. They are quick to point out that the Ryan Bill is contrary to rules of the World Trade Organization. Incredibly, in the WTO’s rules of governance, there is not one reference in any of its documents to the underlying bilateral exchange rate between two countries when trying to reconcile trade differences. It is like trying to referee a World Cup match with a soccer ball that only the players can see. In the case of a controlled or manipulated exchange rate, it is patently unfair if the currency of one partner is grossly misaligned, as the RMB/USD rate is.

Any serious attempt to address the structural imbalance is met with a chorus of boos from financial industry pundits who rail against “protectionism.” In discussions involving the Ryan Bill, these pundits have few qualms with lobbing into the mix, like grenades, those most dangerous of words: “Trade War.” They often invoke the specter of Smoot-Hawley, the infamous US tariff act that triggered a trade war in which American exports and imports were slashed by half, leading a number of economists to argue that its passage contributed significantly to the Great Depression. But what they fail to see, or neglect to acknowledge, is that in modern times there never has been free trade with China; the US has already been in a trade war for nearly two decades; and it is the only time in this nation’s history it surrendered without ever firing a shot.

The United States lost six million jobs, indebted itself to China by $1.4 trillion, and received in return a host of consumer goods, many of which now reside in landfills across the country.

“Trade War” is a very dangerous phrase. Clearly, China and the US are commercial competitors and not enemies. There is no reason for “combat” in any sense of the term. The Chinese have set the RMB/USD peg artificially low because they believed it was necessary in order to shift from an agrarian to an industrial-based economy. The United States also  protected its nascent industrial sector when it did the same thing in the 19th century. Developing a significant export-oriented manufacturing base was part of an ambitious plan to relocate hundreds of millions of rural Chinese to cities where they could obtain manufacturing jobs and pursue a better life. It worked. China’s coasts now burst with export-dependent factories and cities. But now and going forward, China’s export strategy is completely unsustainable. In the intermediate term, much less the long term, it is becoming clear that the main buyer of China’s exports—the United States—can no longer foot the bill. A much better policy would be finding the right balance between domestic demand and exports through a stronger currency. Brazil did this brilliantly between 2005 and 2007. Their currency appreciated 34% against the dollar yet the economy grew 2% more than the prior three years and above what was thought previously to be the speed limit. The incoming Chinese administration of 2012 will be forced to contend with a population that has been relocated and retrained for jobs that may one day disappear, much as they did in the United States, all because China engaged in a futile attempt to avoid an inevitable re-equilibration of exchange rates. After all, one way or the other, the real US and Chinese exchange rate will find equilibrium– either through nominal movement or through relative inflation rates.

Just as the Chinese elite have become dangerously wed to an unsustainable export-driven manufacturing model, the US elite have become indifferent to mercantilist assaults on the global trade framework. In mid-September, when the Bank of Japan intervened to suppress the value of the yen against the dollar, there was no response from America’s political, financial and media leaders. While these interventions might have been understandable six years ago, when Japan’s economy was relatively less well off than that of the United States, they are far from necessary today: Japan has an unemployment rate that is half that of the United States and it still runs a trade surplus. Nonetheless, Japan intervened to protect its export industry, and the United States, incomprehensibly, responded with not even a whim

1 Comment

Filed under The Big Picture

Que mercado eu opero. CFD

Queria dedicar este post ao instrumento que atualmente uso para operar meus sistemas.

O instrumento se chama CFD (Contract for Difference).

CDF é um contrato de derivativo do estilo OTC (over the counter). Basicamente é um contrato entre duas partes, sendo uma delas na ponta da compra e outra na ponta da venda, ou seja uma pessoa ganha e outra perde.

O CFD espelha o mercado de qualquer ativo onde as duas partes estejam dispostas a fazer uma “aposta” do que vai acontecer no futuro.

No meu caso eu opero CFD de ações negociadas na ASX (Australian Stock Exchance).

Por exemplo, se quero operar a ação MICO4 COMPRADO, entao ao inves de comprar 100 acoes na bolsa da empresa MICO4 eu fecho um contrato com uma terceira parte onde se o preco de MICO4 subir o cara deposita dinheiro na minha conta e se preco cair eu deposito dinheiro na conta do sujeito.

Isso tudo ocorre “exatamente” como se eu tivesse comprando a acao no mercado a vista. Tudo é feito em tempo real e atraves de um provedor de CFD. Entenda o provedor como um broker que viabiliza a operacao, pois ele esta juntando as duas partes.

Existem 2 tipos de provedores de CFD.

Direct Acess: Sempre quando existe uma operacao de CFD o provedor de direct access market fisicamente compra/vende as acoes no mercado fazendo um hedge da operacao.

Market maker:  O provedor ou toma a outra ponta do risco ou acha um outro operador que esteja a fim de tomar a outra ponta.

No meu caso eu uso um provedor direct access market. Pelo menos eu durmo mais “tranquilo” sabendo que os caras estao comprando o ativo fisicamente.

Mas quais a vangagens de operar em CFD comparado com acao? Tem desvantagem?

Para isso, preparei uma tabelinha de comparação abaixo e vou comentar os pontos que acho mais relevante e porque eu uso CFD ao invest de acoes.

Dos fatores que mais me atraiu ao CFD foi a baixa corretagem comparado a acao, o que permite que com pouco capital eu possa implementar ou testar alguns sistemas com dinheiro real com uma posicao BEM PEQUENA (tipo $2000). Vejo nos grafico abaixo quanto uma posicao de $2000 precisaria trabalhar para ficar no break even, variando a corretagem de 8$ ate 36$.

Como pode ver no grafico com uma corretagem de 8$ ou 16$ uma volta completa (compra e venda) os $2000 so precisam “trabalhar” 0.8% pra ficar no break even,  enquanto que com uma corretagem de 20$ precisa de uma variacao de 2% pra ficar no zero a zero. Então, CFD é bom pra pica pau ou pra quem ta comecando e quer ter mais flexibilidade.

Com relacao a alavancagem o CFD me permite uma alavancagem de ate 20x em blueships, mas na maioria dos ativos que opero umas 10x. Nao que eu constantemente faca uso disto como um total do meu capital, mas permite que minha margem seja muito baixa quando opero.

So pra ilustrar. Vamos supor que compre 1540 acoes da MICO4 a 2$ isso me custaria no mercado a vista com 100% de margem 3080$, mas operando em CFD eu so preciso de positar algo mcomo $150 a $300 na conta pra controlar os $3080. Isso gracas a alavancagem. Entretanto pago juros sobre os $3080.

Escrevi um post onde expliquei alavancagem em Como Ficar Rico Honestamente.

Lembrando que a alavancagem pode trabalhar muito bem pra voce se a posicao move a favor, mas quando move contra faz com que o seu capital evapore se um gerenciamento de risco nao for feito apropriadamente.

Percebeu a parte da flexibilidade de se fazer position sizing no exemplo acima? Na Australia nao tem lote padrao e fracionario.  Basicamente o mercado é todo fracionario. Se quiser comprar uma acao beleza, mas so burro faz isto pois nem com corretagem de 8$ compensa.

Com relacao a entrar vendido aqui na Australia é bem complicado utilizando acoes, tem que ter um contrato com a corretora, eles tem que alugar a acao, uma dor de cabeca em CFD eles so te pedem o # do RG e um minimo deposito de 200$ na conta ai pode sair dirigindo a “Ferrari” no mesmo dia. Entao, como tenho sistemas que faz dinheiro vendido e é o que mais tem feito dinheiro ultimamente, eu nao poderia estar operando lucrativamente nos ultimos 6 meses.

Nem tudo sao rosas. Existe o risco do provedor quebrar e eu ficar a ver navios. Isso ja aconteceu na Australia e recentemente com um relativamente grande provedor de CFD.

A “vantagem” de comprar no a vista é que se uma corretora quebrar e voce tiver acoes que sao liquidadas por uma clearing house (bolsa) pelo meno voce tem os papeis de custodia que comprovam que voce é socio da empresa. CFD é dinheiro do nada. É apenas uma aposta entre duas partes sobre a variacao do preco de um ativo… voce nao tem nenhum direito heheh =-( bem vindo ao mundo dos derivativos…

So que como a alavancagem é absurda eu acho que vale a pena correr o risco, pois caso o provedor quebrar eu perco entre 5 a 10% do meu capital, que é o que fica depositado em margem. Fico atento em monitorar isto para manter meu risco em cheque caso isto aconteca. Tipo se a relacao ficar acima de 10% eu saco grana do provedor e se cair pra menos que 5% eu deposito mais.

Outra coisa “ruim” do CFD eh que se paga juros devido a alavancagem, mas se for so para operacoes de curto prazo vale a pena. No meu caso 98% dos meus trades sao de 1 a 21 dias, alguns poucos vao no MAXIMO ate uns 40 dias. Desta forma CFD vale a pena. Entretanto, nao aconselho a usar se seu objetivo eh comprar acao no longo prazo, pois é uma opcao cara devido a se pagar juros e nao ter diretos como oferta de novas acoes, conversao de dividendos em acoes, direto a voto e coisinhas assim.  O unico direito que o CFD emula é o pagamento de dividendos e lembrando que se voce esta vendido voce tem que pagar o dividendo pra quem esta comprado.

Resumindo se voce é um especulador pequeno que quer flexibilidade, como eu, CFD veio a calhar, mas se é um cara grande ou um investidor de longo prazo, entao, comprar a acao a vista no fisico é uma melhor opcao.

9 Comments

Filed under Jornada, Reflexão, Trading Plan

Como atingir seus objetivos operando no mercado

Hoje é 10/10/10 e foi um dia lindo aqui em Adelaide e aproveitei pra fazer um piquenique no jardim botanico e levei comigo o livro do Tim Ferris 4HWW (Four Hour Work Week).

Fui introduzido por um camarada trader que postou em um forum e este livro estava na lista de um dos livros que tinha “mudado” sua vida. Me interessei pelo conceito de ser mais produtivo com o objetivo de trabalhar menos e ter mais renda pra ter um estilo de vida desejado que a vida de escritorio das 8-6 nao te permite. E isto é exatamento que aspiro. Diferente da maioria que busca mais dinheiro atraves de mais trabalho e deferem o prazer para quando nao tem mais energia pra curtir a vida, depois que os filhos estao velhos, depois que o melhor da vida passou…

A ideia e filosofica do livro é genial, como o próprio titulo propoe em trabalhar apenas 4 horas por semana para sustentar o estilo de vida que se sonha. Basicamente a sua imaginação é o limite. Recomendo o livro que é excelente em dicas de como ser mais produtivo no trabalho e também em como ser um empreendedor que pode usar as vantagens da internet e da mao de obra barata pelo mundo e ser sustentado por um fluxo de caixa “automatico” que exige o minimo de esforço e um excelente retorno. Ainda nao terminei o livro, mas a ideia central é esta.

O livro não tem nada a ver com trade, entretanto pra mim que quero usar o trader como um negocio para me gerar fluxo de caixa com o menos esforco possivel, mas ele fez todo o sentido neste contexto.

Mas tudo é facil quando se diz e dificil quando se quer implementar na pratica, por isso eu concordo com algo que ouvi este dias sobre trade ser a coisa SIMPLES mais DIFICIL de se implementar.

Não poderia se a mais verdade, pois não tem nenhum segredo em operar no mercado em si. Apenas abra uma conta numa corretora, depostia uma graninha pra margem e sai operando, comprar apertando uns botoeszinhos e vendendo apertando outros botoeszinhos… SIMPLES, mas DIFICIL de implementar como um negocio lucrativo. As estatisticas dizem que 90% dos traders perdem dinheiro no longo prazo e o resto dos 10% faz dinheiro e MUITO, pois é um jogo de “soma zero”.

Uma coisa que da um certo trabalho e ninguem muito tem o saco de fazer é definir os objetivos.

Qual sao os seus objetivos?

O que precisa fazer passo a passo pra atingir o seu objetivo? Nao fico surpreso, mas infelizmente a maioria das pessoas  tem objetivos vagos e irreais como.

– Fazer o MAXIMO de dinheiro que alguem ja fez

– Fazer 1000% por mes comecando a operar com milao.

Nao estou dizendo que nenhum destes objetivos sejam impossiveis, mas pelo menos sao VAGOS e IRREAIS.

Se nao sabe por onde comecar recomendo ler o livro do Tim Ferris que ele um bom templates de como atingir objetivos.

Em trade por exemplo tem que se definir primeiro o que se quer com trade.

– Renda extra

– Algo pra tirar voce do tedio

– Perder dinheiro (nao estou zuando…. tem gente que tem este objetivo e 90% atingem ele)

– Fluxo de caixa

– Dividendo e ganho de capital

– Bater o indice Bovespa em 10%

– Substituir a renda do trabalho e se “aposentar”

Enfim vou parar por aqui, pois existem infinitos objetivos.

Neste contexto de objetivos claros que sistemas de trading te ajudam em atingir os objetivos.

Estou tambem, em paralelo, lendo um excelente livro do Van Tharp. The Definitive Guide for Position Size. O livro não é para iniciantes, ja vou adiantando e é bem complicado.  Precisava de uma ferias pra mente, por isso estou lendo o livro do Tim.

Ja estou 2/3 lidos e espero terminar esta semana. O livro do Van Tharp fala muito da questao de definir objetivos e como usar position size para atingir seus objetivos.

Vou usar um exemplo pratico para ilustrar o que estou falando e usar varios conceitos que ja usei aqui no blog. É so fazer uma pesquisinha e ler os posts para encaixar o quebra cabeca.

Um exemplo pouco complexo pra ilustracao.

Por exemplo um sisteminha com uma expectativa de 0.5R que da em media 5 trades por mes.

Se seu objetivo é fazer 50R por ano quanto tem que se arriscar por trade usando position sizing?

Bom nao sou o genio da matematica, mas uma forma de solucionar o problema usando uma algebra basica.

Primeiro calcula o resultado do sistema anual ariscando 1R.

0.5Rx5X12= 30R

Ou seja se todo trade do sistema se arriscar uma unidade de risco ao final de 1 ano ou 60 trades teremos um resultado de 30R.

Entao se o resultado desejado é 50R entao devemos arriscar mais. Matematicamente 50/30=1.66

Entao ao inves de arriscar 1R arrisque 1.66R que o resultado sera 50R. Simles assim? Sim.

Nao quero induzi-lo para o comportamento incorreto, entao vou contar toda a historia, antes que voce saia por ai tradando qualquer sistema.

Uma coisa IMPORTANTISSIMA de sistemas que ja discuti aqui foi é Drawdown.

Antes de ajustar o risco/retorno analise se o Drawdown será suportavel de acordo com seu apetite por risco.

Por exemplo, se no sistema acima o maximo drawndown anual fosse -25R. Entao, arriscando 1.66 qual seria o drawdown?

Continha facil. 25×1.66= 41.5R.

Agora pras coisas ficarem mais simples. Vamos dar o mesmo exemplo em dinheiros.

Vamos imaginar que um determinado sujeito tenha 50,000 para operar e o cara usa um modelo de position size de porcentagem de capital arriscado de 1%. Entao para este sujeiro 1R = 1% de 50K que da 500 dinheiros.

No exemplo acima ao final de 1 ano o sujeito termina o ano com 15,000 (30×500) de lucro. E a maior perda que o sistema pode ter é – 12,200 (500x-25). Da pra perceber que a media de ganho por trade é de 250 ou (15,000/60). Essa conta tambem pode ser atingida calculando a expectativa pela quantidade arriscada = 0.5×500 = 250.

Caso arrisque os 1.66R para atingir o objetivo de 50R os resultados anual serao entao.

0.5x(500×1.66)x5x12= 24,900

Veja que aumentar o risco de 500 para 830 aumenta o resultado para 24,900, entretanto o drawdown aumenta de -12,200 para – 20,750 (-41.5×500).

Enfim o que deve-se avaliar aqui é se aguenta a paulada. Voce esta disposto a ter o risco de “perder” -20,750 por um tempo pra ter talvez um ganho de 24,900 ao ano em um capital de 50,000?

Essa pergunta so pode ser respondida por voce.

Desta forma sistemas sao muito uteis para atingir seus objetivos usando o position sizing (gerenciamento de risco). Neste caso da pra “controlar” melhor o atingimento de seus objetivos.

3 Comments

Filed under Trading Plan