Livros que li em 2013 – PARTE I

“I find television very educational. Every time someone switches it on I go into another room and read a good book.” Groucho Marx 

Agora já virou tradição em todo começo de ano. Eu publico um post com os livros que li no ano anterior.

Você pode checar aqui os livros que li em 2011, 2012 e minha biblioteca essencial de trading.

2013 sem dúvida foi o ano que mais li livros em toda minha vida. Ler foi algo que sempre gostei, mas a cada dia mais gosto mais. Antes lia cerca de 4 a 5 livros por ano, mas agora com disciplina e foco e lógico muita curiosidade e vontade de aprender eu li 50 lívros em 2013. Isto meso cinquenta. Praticamente um livro por semana e algumas semanas li mais do que um. Foram estimadas 12,300 paginas e cerca de 200 a 300 horas de leitura.

Então para não ficar longo o post vou quebrar este blog post em 3. Parte I, II e III.

Vou colocar em ordem cronológica de leitura e, como sempre, vou colocar um pequeno comentário sobre o ponto principal que aprendi e se recomendo a ler ou não.

1. The Science of Getting Rich by Wallace Wattle: Um clássico do desenvolvimento pessoal que inclusive foi o livro que inspirou Rhonda Byrn a escrever e filmar o documentário The Secret. O livro passa a lição principal que o Napoleao Hill e o Earl Nightingale sempre fala. E a lição é “Nós nos tornamos o que pensamos”. Então, o processo de prosperar é um trabalho mental e não puramente físico. O físico é apenas uma manifestação do mental. Altamente recomendado. O livro é um clássico e foi escrito Circa 1910. Está no domínio público e tem vários PDFs por ai na net. Recomendo.

2. Trading Beyond the Matrix by Van Tharp: O melhor livro do Van Tharp depois, lógico do clássico Trade Your Way to Financial Freedom. Este é o livro que Van é o mais generoso possível revelando o maior conteúdo de seus seminários de psicologia que eu tive o privilégio de participar em Marco de 2013. A parte mais valiosa do livro é a estrutura para se desenvolver um business plan de trading que acho que vale a compra. O livro é bem interessante, pois conta a jornada de transformação de vários traders e quais são os pontos chaves desta transformação. Para mim foi especial, pois eu li o livro enquanto fazia os seminários. Recomendo muito.

3. Finding your North Star by Martha Beck: Excelente livro para quem está procurando sua vocação e não entende porque você ODEIA o seu trabalho e isto muitas vezes te faz mal fisicamente. O livro explica como encontrar o nosso EU essencial. segundo a autora todos nos temos dois EUs. O social e o essencial. O social é a aquele que atende as expectativas da sociedade, incluindo, família, pais e colegas. O essencial, por outro lado, é aquele que conecta com as paixões de infância, que te deixa mais forte, inspirado e conectado com Deus. O livro é longo e com muitos exercícios e exemplos. Altamente recomendado.

4. The Laws of Success by Napoleon Hill: Foi uma maratona. Um livro de 1000 paginas que não li mais ouvi. Este é o livro mais completo de Napoleão Hill que publicou em 1927 depois de uma pesquisa que levou 20 anos para completar. Explico mais sobre isto neste post aqui. Altamente recomendado.

5. Loving What Is: Four Questions That Can Change Your Life by Byron Katie: Interessante livro que cheguei ao conhecimento por indicação do Van Tharp. Byron Katie tem um interessante método de resolver qualquer bloqueios mental que nos fazem sofrer sem necessidade. O método se chama The Work. O princípio é que nos projetamos aquilo que damos atenção nos outros e isto nos faz irritar e sofrer e no final das contas tudo não basta de uma criação mental. Recomendo se quer quebrar algumas noias que tem na cabeça e quer melhorar em geral seus relacionamentos, perdoar e ter mais paz. No final das contas o maior problema, se existe algum, está dentro da gente e quando queremos mudar basta somente analisar a nossa mente e mudar, então, o mundo a nossa volta muda.

6.The Magic by Rhonda Byrne: Da mesta criadora do The Secret. O livro basicamente é um exercício de gratidão onde ele leva ao extremo ser uma pessoa grata. Segundo a autora a gratidão é o ponto da grande virada na vida de um indivíduo da pobreza para a prosperidade. Então se está desesperado e não sabe por onde começar comece a agradecer que as coisas começam a mudar. Eu achei meio chato a leitura. Os primeiros capítulos são interessantes e depois fica chato, mas é um bom começo para entender o quão ao extremo uma pessoa pode ser grata. Com certeza cada dia mais eu sou mais grato e por incrível que pareca te da um grande senso de segurança e paz. Não recomendo a leitura.

7. The Secret of Quantum Living by Frank Kinslow: Interessante este livro que pela primeira vez me deu uma noção de física quântica e qual a sua relação com o plano psicológico e espiritual. O que me irritou um pouco no livro é que ele vem com uma pequena solução para todos os nossos problemas (de saúde, mentais, financeiros de relacionamento e etc.) e talvez para mim que sou uma pessoa muito lógica e estrategista me deixou um pouco cético e meio que abandonei a possibilidade de acreditar no método 100% a ponto de usar na minha vida, mas eu tive algumas experienciarias interessantes aplicando o seu método. Pode funcionar para você, mas para mim foi interessante aprender. Recomendo com reservas se quiser explorar este plano de possibilidade.

8. The Disapearance of the universe by Gary Renard: Me interessei por este livro quanto fiquei curioso para estudar o livro A course in miracles (ACIM) que é bem recomendado por Van Tharp no processo de transformação. Este livro é meio que um resumão do conteúdo e aplicações das teorias do ACIM. O livro foi canalizado por duas entidades que Gary supostamente encontra e dita as teorias. Interessante até certo ponto, mas chegou um ponto que ficou meio ridículo e acho que ai o ego do autor cresceu como um balalão e começou a colocar algumas crenças politicas, fazer previsões sobre o futuro e colocar alguns juízos de valor que vai contra alguns conceitos colocados no livro o que pra mim tirou total algum crédito que o autor ainda tinha. Eu NÃO recomendo a leitura. O livro é extenso, mais de 400 paginas.

9. The Richest man in Babylon by George S. Clason: Livro que foi recomendado por Jim Rohn e muitos autores em desenvolvimento pessoal usam suas teorias como exemplo. O principal princípio deste livro é “pay yourself first” que consiste em separar 30% da renda ganha em três partes. 1) 10% Dizimo (doar para uma caridade que esteja ligada a uma crença espiritual)  2) 10% para uma conta de poupança que rende um jurinho 3) 10% em capital de risco aplicado em uma empresa ou negócio que gerará lucro. Recomendo.

10. A Thousand Names for Joy: Living in Harmony with the Way Things Are by Byron Katie: Livro na mesma linha do # 5 acima.

11. Cashflow Quadrand by Robert Kyosaki: Pra mim um dos melhores livros que já lí. Particularmente este livro o que eu sentia quando lia era que era um livro que EU gostaria de um dia escrever, pois me identifico muito com a teoria. Genial. Basicamente o livro fala sobre 4 formas de ganhar a vida. E (Empregado), S (Self Employed ou Prestador de Serviço), B (Business ou Negócios) e I (Investidor). O livro explica como que funciona cada um e quais a limitação de um e do outro. Dos 4 tipos o que recomenda é uma mistura de Business e Investimentos que é onde as pessoas ais ricas do mundo flutuam. Altamente recomendado.

12: Rich Dad Poor Dad by Robert Kyosaki: O livro muita coisa vai na linha do 11 e foi o primeiro livro da série e explica os mesmos conceitos. Todos os livros do Kyosaki depois ficam repetitivos, mas a coisa principal é a mudança de mentalidade. Ajuda muito a entender como é possível um mendigo ficar milionário. Altamente recomendado.

13: The Life Plan: How Any Man Can Achieve Lasting Health, Great Sex, and a Stronger, Leaner Body by Jeffry S. Life: Queria um livro completo sobre saúde, alimentação, exercício e como ficar sarado. O que me atraiu neste livro foi a impressionante foto do cara que escreveu. Um velhinho de 72 anos que é SARADASSO. Foi muito bom, pois ele fala cientificamente e desvendando os segredos de como ter uma vida mais saudável e como a alimentação e o exercício é importante. Isto me fez mudar totalmente minha dieta e a começar a ir a academia e levantar peso. Se quer melhorar seu trading, o foco, o libido, a energia, a saúde eu recomendo muito.

14: Wishes Fulfiled by Wayne Dyer: O Wayne também foi mais uma recomendação do Van e já conhecia alguns YouTubes muito bons dele. Este livro praticamente é um cópia de um clássico do Neville Gouddard  (The power of awareness) que foi escrito na década de 30. Enfim, o livro fala da parte mais espiritual e mistica do desenvolvimento pessoal que é explorado no livro #1 acima. Basicamente a ideia principal é que para mudar de situação seja qual for a sua é viver como se já tivesse realizado o seu sonho. Exemplo se quer ser um trader o segredo é acordar e já agradecer que é um trader bem sucedido, sentir como já fosse uma realidade. Isto é um processo que ajuda o subconsciente que não consegue diferenciar o que é um centavo e o que é um milhão, mas o que você coloca na cabeça ele aceita. Mais uma vez um livro que ajuda no processo de transformação, pois sempre digo que tudo é psicológico e começa na mente. Recomendado.

15. The Creature from Jekyll Island : A Second Look at the Federal Reserve by G. Edward Griffin: Este foi mais um audio livro que ouvi, não li. O livro conta a história da criação do FED (Banco Central Americano). Muito interessante a trama que foi arquitetada como um forma de favorecer o setor financeiro e o status quo, danificando as liberdades individuais. O livro conta a orquestração politica e as manobras de mídia que os criadores do banco fizeram para implementar o seu plano astuto. Ano passado o banco central fez 100 anos. Na minha opinião, assim como do autor, ele deve ser fechado. Recomendo se gosta de história e quer entender mais sobre economia.

16: Choose Yourself by James Altucher: James, como já disse mil vezes aqui, é o meu blogger favorito. Ele me inspira muito e este livro eu li mais pelo interesse nas histórias sobre empreendedorismo que ele conta no livro. Bem divertida e inspiradora a leitura. Altamente recomendado.

2013 eu não li muito livros sobre trading e resolvi focar quase que totalmente na parte psicológica e em desenvolvimento pessoal, pois estou disposto a atingir outros patamares pessoais e sei que a única forma é através da psicologia. 

Continuo nos próximos posts as leituras restantes.

Li PRA CARAMBA em 2013

Market Wizard – Ed Seykota

“Since so much of trading is about your ability to follow your system, a good system generally resonates with your gut approach, and evolves through years of trading. The chances of finding a system, off the shelf, that works for you are slim to none. Before you do much trading, you might like to study your system’s historical performance to help you set your expectations, about how you might feel following it. You might also take your feelings of discouragement to a Tribe meeting, to see if you are just using trading as a way to justify them.  You might even have an AHA about the positive intention of discouragement.” Ed Seykota – FAQs

A primeira vez que li a entrevista com o Ed me chamou muita atenção não apenas pelo conteúdo em si que na minha opinião é a mais rica, mas pelo fato de na época não ser um trader conhecido na mídia, mas um trader super respeitado no mercado de commodities. Michael Marcus atribui a Ed ter ensinado pontos cruciais como gerenciamento de risco que foi o que acabou catapultando sua carreira.

Hoje eu considero Ed uma das pessoas mais importantes, se não a mais, como exemplo de sucesso que está viva e isto confirmou depois que eu o conheci pessoalmente.

IMG_1518

Ed Seykota e Pedro Junqueira A.K.A Vela.

Isso é um motivo de um outro post mas depois de ter investido três dias no Tribe Workshop in Austin em Setembro de 2013 considero uma experiencia de transformar a vida. Eu fiz seminários e cursos com outros psicólogos como Van Tharp, mas não tem comparação a dedicação que o Ed tem em conduzir 3 dias intensos de Workshop sozinho e gastar tempo one o one com os participantes e compartilhar sua experiência pessoal.

Voltando ao post de Market Wizard. 🙂

Sobre a carreira de Ed que é uma pessoa extremante inteligente. Uma das pessoas mais inteligentes que já tive contato e ao mesmo tempo humilde. Ele tem graduação em engenharia elétrica no MIT e logo no início da carreira decidiu que queria ser trader.

No início o que o deixou super interessado foi ter lido o livro Reminiscences of a Stock Operator de Edwin Lefevre. Isto era final da década de 60. Na época achava que o preço da prata iria subir e logo abriu uma conta em uma corretora e queria comprar prata enquanto que seu corretor queria convence-lo em comprar cobre. Enfim Ed tomou o primeiro na cabeça e perdeu grana olhando fundamentos, mesmo que estava certo depois. Entretanto, isto não o fez desistir, pois tinha certeza que queria ser trader e esta era sua paixão e que mais cedo ou mais tarde ele iria descobrir qual era a dos mercados.

Nesta mesma época teve acesso a alguns artigos que um tal de Richard Dolchian dizendo que era possível fazer dinheiro no mercado somente seguindo um sistema de cruzamento de medias móveis e de rompimento de resistências de longo prazo. Ed pensou mas nem F@@@@ que isto é verdade. Enfim, como um curioso e  por ser um engenheiro que sabia programar resolveu testar o sistema no computador. Isto ele fazia no final de semana enquanto ninguém estava usando e copiando os preços históricos que copiava no braço nos jornais velhos da biblioteca local o que indica que quando alguém está comprometido e ama algo este paga qualquer preço e Ed estava disposto. 

Por incrível que pareça o teste deu lucrativo e logo de cara Ed percebeu que operar sistemas mecânicos era para ele e que fundamentos não era o sistema que ajustava a sua personalidade.

Assim Ed começou a implementar estes modelos primeiro como corretor, mas logo percebeu, assim como Paul Tudor Jones, que o negócio dele não era corretagem, mas gerenciar dinheiro. Isto porque queria uma profissão em que fosse remunerado por resultados e não por comissão independente de resultados.

Seguindo os seus sistemas a risca e sempre pesquisando e melhorando seus sistemas ao longo dos anos Ed conseguiu resultados extraordinários de começar contas na corretora com $5,000 e transformar em $15,000,000 em um espaço de cerca de 10 anos. Isto contando saques frequentes que os seus clientes faziam. Segundo Jack Schwager, Ed tem um dos resultados mais impressionante dos market wizards. Isto Ed fez com múltiplas contas onde multiplicou dinheiro em alguns mil em milhões.

 Aqui então vai os meus highlights de sua entrevista.

Sistemas de trading e personalidade: Algo crucial quando desenvolver um sistemas de trading ele deve se adaptar a sua personalidade pessoal, pois está é a única forma que pode segui-lo. Isto não pode ser melhor explicado, na minha opinião, na citação de abertura do post que foi retirada das FAQs do site Ed.

Segredos do seu sucesso pessoal: Psicologia pessoal e amor total e dedicação aos mercados. Segundo ele o grande segredo é totalmente amar os mercado e devido a isto que ele consegue dar tudo de si na profissão. Acredita que trading é sua vida.

Trading e sentimentos: Ed na época da entrevista já falava sobre a importância dos sentimentos e a ligação com o subconsciente e que isto na época incomodava muito ele, mas ele respeitava os seus sentimentos, mesmo que isto levava ela a pular alguns sinais de seus sistema. Mais adiante em sua carreira como coaching de traders ele desenvolveu uma metodologia para lidar com estas questões que ele chama de Trading Tribe Process.

Trader mecânico e discricionário: Ed acredita que não importa o estilo todo o trading no fim é discricionário, pois mesmo o trader mecanico de forma discricionária escolhe o sistema que vai seguir, quais mercados vai operar, em quais paremetros, qual será a regra de gerenciamento de risco e quão agressivo o trader será. Isto se explica porque o resultado de trading followers varia tanto como pode ver os resultados dos principais fundos. Ao mesmo tempo que acredita que todo trader é discricionário também acredita que todo trader adota um sistema seja isto algo consciente ou inconsciente.

Chave para o sucesso: Segundo Ed existem muitos traders agressivos no mercado, mas existem poucos traders agressivos velhos no mercado, ou seja, todo mundo é macho por um tempo, mas poucos machos duram uma carreira sendo macho, ou arriscando muito. Por isso ele acredita que gerenciamento de risco é crucial.

Cortar as perdas: Ed acredita que existem os três elementos importantes em trading são 1) Cortar as perdas 2) Cortar as perdas e 3) Cortar as perdas.

Quebrar regras: As regras essenciais para Ed são: 1) Cortar as perdas 2) Surfar os vencedores 3) Manter as apostas pequenas 4) Seguir as regras sem questionar e 5) quebrar as regras. Quebrar as regras? Sim isto significa que sempre tem que estar reavaliando as regras e quando uma for quebrada deve ser substituida por uma outra regra.

Fundamentos: Acredita ser perda de tempo e que noticiário é algo que ele ignora. Segundo ele fundamentos podem ser Funny-mentals quando estiver já descontado no preço que é o que acha que ocorre a mair parte do tempo. Também caso o trader entrar na operação antes do fato ser anunciado então passa a ser Suprise-a-mentals que acredita ser a exceção a regra. Quem ler a entrevista do Ed irá perceber o seu estilo irreverente, uma marca pessoal, mas que no fundo ele é uma pessoa séria, mas que ao mesmo tempo é irreverente que na minha opinião faz isto por duas questões. Uma é para ir no X da questão e dar sua opinião e evitar dramas e outra para responder perguntas sem sentido com uma piadinha para fazer a pessoa que fez a pergunta pensar melhor.

Estilo de trading: Primeiramente  Ed é um trend follower com alguns toques de intuição baseado em 20 anos de experiencia (época da entrevista hoje tem mais de 40). Na ordem de importância 1) Olha sempre a tendência de longo prazo 2) Os padrões do gráfico e por último  3) a execução que é pegar um bom ponto no gráfico para entrar e sair.

Bull e Bear: Ed não tem opinião sobre o mercado, mas quando uma order dele é preenchida e isto ocorre sempre quando uma de suas buy stop orders for preenchidas ele automaticamente fica longo e se torna um Bull até ser stopado. Da mesma forma ele se torna um Bear caso as suas stop sell orders forem preenchidas. Ele acredita que não faz sentido alguém ser Bull e não estar comprado e alguém ser Bear e não estar vendido. Neste ponto fica claro que ele opera break outs.

 Gut feel e intuição: Ed acredita em intuição e que isto está ligado a mensagens que o subconsciente quer passar para o consciente e isto deve ser analisado da mesma forma acha que devemos tomar cuidado que uma intuição não seja apenas uma Intu-wishing. Isto fazendo um trocadilho com o Inglês onde wishing é desejo ou seja ao invés de ser uma intuição passa apenas a ser um desejo.

Mercados mudarem: Ed pensa que os mercados não mudam nunca, pois estão sempre mudando. Com a ironia de sua resposta ele quis dizer que a unica constante no mercado é a mudança e trend following por sua própria natureza é um modelo adaptativo a mudanças.

Entender os mercados: Ed prefere fazer dinheiro do que tentar entender os mercados. Ele prefere deixar este trabalho para os jornalistas, economistas e fundamentalista, enquanto isto ele faz dinheiro. Algumas pessoas, segundo ele querem entender os mercados e o dinheiro fica em segundo plano.

Talento: Ed acredita que o talento em qualquer profissão é nato. Incluindo trading. Aconselha que traders medíocres achem um bem sucedido e de o dinheiro para ser administrado e fazer o que se gosta na vida. Ed enfatiza que a única forma de ser bem sucedido em qualquer profissão é completamente amar e ser tarado pelo que faz caso contrario será de mediano para um fracasso. Pensa que cada um tem um chamado e como em qualquer profissão muitos são chamados e poucos escolhidos. Ed se considera um escolhido em trading.

Vencedores e Perdedores: Traders vencedores amam ser traders e amam fazer dinheiro e perdedores querem perder dinheiro e odeiam ser traders. Segundo ele todo mundo, perdendo ou ganhando, conseguem o que querem nos mercado. Está sem dúvida é a citação mais famosa de Ed e o que está por detrás disto é o fundo psicológico do comportamento humano. Isto em si daria um novo post a ser explorado.

Melhor maneira de aumentar o lucro nos mercados: Ed como um profundo conhecedor e praticante de teorias sobre psicologia aconselha que se um trader quer aumentar seus resultados a melhor coisa que pode fazer é visualização, pois isto alinhará o seu subconsciente ao seu consciente. Ed usa de inúmeras técnicas psicológicas como gestalt, respiração intensa, massagem, hipinose e outros métodos o que acredito que com o tempo ele expandiu e criou sua própria metodologia TTP.

Psicologia e analise de mercado: A psicologia motiva a qualidade da analise e a coloca em uso. A psicologia é o que direciona, mas a analise é o mapa.

Sucesso: Ed acredita que sucesso é achar o que se ama e fazer com total comprometimento independente do retorno financeiro.

Enfim são estes os pontos sobre Ed e recomendo muito estuda-lo caso queira saber se dentro de você existe um trader bem sucedido.

“I am a self-taught trader who is continually studying both myself and other traders.” Ed Seykota

 

 

 

Market Wizard – Paul Tudor Jones II

“I lost my stakes a couple of times, which taught me risk control and risk management.
Losing those stakes in my early 20’s gave me a healthy dose of fear and respect for Mr.
Market and hard-wired me for some great money management tools.
I think I am the single most conservative investor on earth in the sense that I absolutely
hate losing money.” Paul Tudor Jones

 

Sem dúvida Paul Tudor Jones está na lista dos meus traders favoritos. Eu já tinha lido a entrevista que deu para Jack Schwager no Market Wizard, mas com certeza re-ler abriu mais os meus olhos para o que é ser um trader disciplinado, focado e persistente.

Uma característica de Jones é que apesar de ter apanhado bastante do mercado no começo da carreira ele aprendeu rápido mostrando sucesso cedo na careira. Assim, com um estilo altamente agressivo entrou na liga de Hedge Fund Managers como George Soros, Ray Dalio, John Paulson e Louis Bacon.

Hoje Jones vale 3.8 Bilhoes em patrimônio liquido.

Em 2013 um de seus fundos fez 100 milhões de dólares só em uma posição vendida em ouro. Apesar de Jones estar pessoalmente vendido em ouro em 2013 esta operação é a atribuída a Chris Tuohy um de seus atuais traders prodígios. 

O interesse por trading começou quando viu uma matéria sobre Richard Denis, legendário “pai” dos Turtles. Então, pensou que ser trader seria a melhor profissão do mundo e ele não tinha dúvida que era isto que queria fazer. Seu tio trabalhava como trader no mercado físico de algodão e por ter este contato arrumou um emprego com Elis Tullis um legendário trader de futuros em algodão. O motivo que não foi trabalhar com o tio foi que ele queria já ser trader de cara e não queria operar no físico.

Jones aprendeu muito com Tullis, principalmente o desprendimento de não perder a pose quando sobre grande pressão. Jones conta que Tullis de forma impressionante, quando estava sendo completamente massacrado pelo mercado, não mostrava nenhuma mudança emocional e continuava no seu jeito normal de ser ao lidar com as pessoas. Ele não chutava o cachorro nem gritava com os filhos, por exemplo, só porque uma posição se movia contra ele.

Antes de abrir o próprio fundo Jone trabalhou como corretor na E. F. Hutton, mas logo percebeu que não era o que se identificava, pois achava que não se sentiria confortável trabalhando em uma indústria onde o empreendedor é remunerado pela má performance do cliente. Isto eu discuto nest post.

Jones chegou a ser aceito para estudar MBA em Harvard, mas acabou abandonando a hipótese e resolveu ser gestor de fundos, pois seria uma profissão mais alinhada com ele, pois acreditava que deveria ser recompensado por fazer o cliente ganhar dinheiro e penalizado caso contrário. Começou com 1 milhão e 1980 e já estava gerindo mais de 300 milhões em 1987. Conseguiu retornos de mais de 100% por cinco anos consecutivos sem grandes draw downs e o fundo só não ficou maior porque já não estava recebendo mais fundos. 

Agora aqui vão os meus highlights da entrevista.

 Emoções: Se quer se trader tem que aprender desde cedo a tomar na cabeça, que é algo corriqueiro em trading. A pressão e o fato de perder dinheiro invariavelmente afeta o seu estado emocional em altos e baixos.

Respeito pelo mercado: Um ponto que ele enfatiza é gerenciamento de risco e respeito pelos mercado, como colocado na citação da abertura do post. Principalmente manter se humilde, caso contrário, segundo ele, você está morto.

Mitos sobre o mercado: Um dos maiores mitos é que o mercado pode ser manipulado. Apesar de acreditar que um grande trader pode influenciar o mercado por alguns dias mais cedo ou mais tarde o mercado é maior do que qualquer trader ou banco central e vai onde ele tem que ir.

Gerenciamento de risco: Sem dúvida a coisa mais importante e o melhor conselho que pode dar para iniciantes. Nunca faz preço médio. Isto inclusive virou uma foto famosa que uso no meu gravatar do Twitter. Repare o cartaz atrás dele “Losers Average Losers” ou “Perdedores fazem preço médio”.

Disciplina: Acredita que começou a dar certo quando passou a ter total disciplina no seu trading como se estivesse tocando um negócio.

Tamanho da posição: Jones usa o mesmo principio de outros market wizards que é aumentar o tamanho da posição quando está em uma sequencia de vencedores e diminuir quando está operando mal. Outra regra que ele usa é quando todas as posições simultâneas perdem mais do que 2% em um dia ele ZERA tudo e começa novamente, pois acredita que sempre pode voltar para a posição se quiser, mas que se não cortar as perdas acaba piorando e ficando difícil de gerencial a posição do ponto de vista emocional.

Execução: Por ser um trader de porte a execução é primordial. Segundo ele, não gosta de comprar break outs e sempre monta uma posição na antecipação de breaks e vê oportunidade de sair de trades quando o mercado dá um rally. Isto porque traders de grande porte tem que sair da operação quando pode e não quando precisa, porque tem um ponto que pode ser tarde demais.

Swing: Se considera um “swing trader”, pois acredita que o dinheiro é feito quando o mercado muda de direção. O seu estilo é ter uma visão de longo prazo e operar as viradas de mercado.

Elliot Wave: Atribui grande parte do seu sucesso a esta teoria. Fez uma quantidade absurda de dinheiro na segunda feira negra em 1987, pois quando o mercado abriu ele estava vendido. Já estava prevendo a queda desde a metade de 1986. O seu chefe de pesquisa na época, Peter Borish, sobrepôs os gráficos da alto da década de 20 e de 80 e tinham grandes similaridades quanto as ondas de Elliot. Ainda neste episódio para entender a agressividade e o pensamento rápido de Jones ele cobriu a posição no mesmo dia depois de ter caído mais de 20% e ficou comprado e fez dinheiro na subida. Pra mim isto indica a maestria e capacidade de gerenciar uma operação enquanto o mundo parece estar acabando.

 

Deficit e Macroeconomia: Como um excelente analista macro Jones e seu time entendia o cenário macroeconômico do final da década de 80. O que é muito parecido com o de agora onde a quantidade de divida estava crescendo muito devido a incentivos do governo. Devido a isto o mercado estava vulnerável a grande e abruptas quedas. Uma analise excelente que fez na época é que já sabia que o governo não queria cometer o mesmo “erro” da década de 30 em não estimular a economia. Assim, devido ao viés Keynesiano dos bancos centrais ele esperava o governo imprimir dinheiro e aumentar a divida e o estimulo fiscal. Desta forma, ele pode prever que o mercado poderia quebrar, mas logo se recuperaria devido a estímulos artificiais. Com isto pode operar bem não só o mercado do índice de ações mas também o mercado de juros.

Stops and Trend Following: Apesar de seguir tendências, Jones não é adepto a seguir sistemas de trend following de longo prazo que segundo ele trabalham com stops muito amplos para pegar grandes tendencias. Como dito anteriormente Jones se enquadra mais em operar no curto prazo tendo uma boa visão macro de longo prazo. Mesmo assim admite que testou todos os sistemas possíveis e que inclusive na época estava seguindo um sistema de tendencia que estava prometendo.

Contribuindo de volta para a sociedade e fé: Outros dois aspectos a ressaltar sobre Jones é que acredita que seu sucesso é devido a sorte e graça de Deus. Devido a isto ele se sente na obrigação de contribuir de volta a sociedade.  Juntamente com Peter Borish ele fundou a associação Robin Hood que tem o intuito de levantar dinheiro dos ricos para ser usado na educação de crianças não privilegiadas. Ouvi em uma outra entrevista que inclusive uma de suas opções de carreira era ser pastor, que era a preferida de sua mãe.

Para finalizar não deixe de assistir o documentário da PBS Trader. Tudor Jones comprou os direitos do documentário e não está mais disponível por meios públicos, mas na internet se acha tudo. Basta procurar :).

 

 

 

 

Market Wizard – Michael Marcus

“The most important question a person can ask is, “Is the Universe a friendly place?” – Albert Einstein

Sem sombra de dúvida o livro que me deixou paralisado foi Market Wizard de Jack Schwager.

Livro recomendado na lista do Trade Your Way to Financial Freedom do Van Tharp.

O livro é uma coletanea de entrevista dos melhores traders do mundo. Pessoas reais que são considerado magos do mercado devido aos ganhos percentuais absurdos.

Até então eu só acreditava que seria possível atingir retornos de 10 a 12% ao ano consistentemente com uma estrategia buy and hold, comprando ações e se descontar a inflação este ganho chega a ser de apenas um digito.

Então quando leio Market Wizard percebe-se que existem traders, pessoas reais, que transformaram quantias como $400 em $200,000,000 ou $5,000 em $12,000,000. Ganhos consistentes de mais de 100% ao ano em um período de mais de 10 anos. Pessoas que fizeram fortunas e perderam fortunar no mercado.

Se ainda não leu o livro. POR FAVOR LEIA. É o livro mais importante para formar o seu estilo de trading.

Neste tom que queria lançar uma série de posts sobre os Markets Wizards para revisitar os meus Market Wizards preferidos. São traders que procuro adotar um pequeno aspecto deles que sintonizam com minha personalidade.

Hoje começo por Michael Marcus e coloco aqui os meus insights ao re-ler sua entrevista esta semana.

 Michael Marcus começou sua carreira com uma analista de commodities numa corretora de valores e já desenvolveu aquele gosto pelo mercado, entretanto nos primeiros anos como trader so tomou porrada. Perdeu muito dinheiro e quebrou umas 3 vezes, emprestou dinheiro da vó, da mãe e a herança do pai… TORROU TUDO operando no mercado.

Michael Marcus. Fonte: Wikipedia

O problema de Marcus no começo não era acertar o trade, mas na execução e no gerenciamento de risco. Ele tinha um bom tino para o negócio e conseguia operar $2,000 e fazer virar $30,000 ou $50,000 com boas chamadas de mercado, mas depois o dinheiro evaporava na fumaça com cagadas homéricas.

Até que um dia encontrou um cara chamado Ed Seykota que deu umas “dicas”sobre gerenciamento de risco.

A vida de Michael Marcus começou a mudar pra melhor e ele começou a perder menos.

Mas o ponto baixo da carreira de Marcus foi quando ele estava operando soja na década de 70 e resolveu sair da posição, tomando o lucro muito cedo.

Entretanto, o seu amigo, Ed Seykota, que era um trend follower continuou no trade. Cada dia que passava o preço da soja indo pro espaço. Michael Marcus começou a querer literalmente se matar. A cada dia que chegava no trabalho a primeira coisa era entrar no escritório do Ed… O que? Ed estava firme na posição, pois o mercado estava subindo.

Acabou que Marcus ficou TÃO mal que acabou tomando um remédio “tarja preta” que nem foi trabalhar um dia. Até que finalmente a soja parou de subir e a tendencia reverteu e o Ed tomou o lucro absurdamente grande no trade.

A partir deste dia Marcus nunca mais foi o mesmo até hoje é considerado um dos traders mais bem sucedidos da Commodities Corporation que acabou sendo comprado pelo Goldman Sachs em 1997.

Chegou um ponto que os lucros de Michael Marcus era maior que a soma de todos os outros traders somados. Ele competia com caras como Ed Seykota, Paul Tudor Jones, Bruce Kovner, dentre outros. Não necessariamente todos contemporâneos, mas esta era o calibre dos traders da Commodities Corporation.

Agora queria colocar aqui os meus highlights da entrevista que toca fundo no meu coração.

Alinhamento de Fundamentos, Analise Técnica e Sentimento: O estilo de Marcus consistia em encher a mão de ganhar dinheiro quando conseguia alinhar estes três aspectos. Isto indica que Marcus era um trader rules based discretionary. Segundo ele, se ele operasse somente estes poucos trades ULTRA selecionados ele teria feito muito mais dinheiro. Entretanto, como ele gostava de operar ele acabava perdendo dinheiro nos trader em geral, pois ele sabia que não dava em nada e que nem precisava operar e só fazia pelo vício mesmo.

Tamanho da posição: Sabendo da vulnerabilidade e da importância do gerenciamento de risco Marcus apostava bem pouco em trades corriqueiros de vício, mas nos que tudo alinhava ele enchia a mão e colocava uma posição GIGANTE, mas nunca ultrapassava a quantia de 5% do capital total.

Sempre alerta para o inesperado: Marcus desenvolveu um senso muito preciso com relação ao mercado e muitas vezes quando o mercado mexia de uma forma estranha ele preferia sair da posição e depois tentar entender o porque.

Conhecimento de si mesmo: Michael era um excelente trader, mas não tão bom investidor. Ganhou milhões operando, mas perdeu muito investindo em imóveis, comprando aviões particulares e negócios que quebraram. Com o tempo ele reconheceu isto e focou no trading e parou de investir em ativos que não entendia. Acho isto um importante aspecto de conhecer a si mesmo.

Intuição: Um aspecto que se desenvolveu depois de muito tempo operando. Acredita ser bem importante e que todo trader profissional tem. Além disto não só intuição, mas coragem, vontade de vencer, falhar, tentar e continuar tentando quando a coisa está apertada.

Usar STOPS: ESSENCIAL. Se não tem stop ele nem coloca o trade.

Melhor conselho que pode dar a um iniciante: Deixar o lucro fluir e cortar as perdas, pois a única forma de pagar pelo prejuízo que faz no mercado é deixando o lucro fluir.

Hobby: Apesar de trading exigir extrema dedicação, paixão, tempo e concentração, para ser bem sucedido, é necessário se divertir fora do mercado também. Ter um hobby e se divertir com outros aspectos da vida.

Perdas consecutivas: Quando ocorrer a melhor coisa a fazer é diminuir o tamanho da posição e em alguns casos extremos dar um tempo no mercado. Ele mesmo já chegou a ficar 3 a 4 semanas sem operar depois de grandes porradas que levou no mercado.

FX: Operou FX no início da carreira, mas hoje o mercado, segundo ele, está muito manipulado por banco centrais. Deve levar-se em consideração que o livro foi publicado em 1992.

Trend Following: Acredita que apesar de ter sido ÓTIMO ser um trend follower de longo prazo em commodities na década de 1970 acredita que a estratégia esta fadada a tomar muita violinada e só funciona em casos extremos de desbalanceamento de oferta e de demanda. Mesmo ponto a considerar que o mercado sempre muda. Acredito ainda ser válido este comentário, pois trend following tem tomado muita porrada ultimamente. Digo nos últimos 3 anos. Tem sido MUITO difícil e muitos operadores estão esperando um novo período inflacionário para voltar a fazer fortunas nos mercados, como foi “fácil” em 1970.

Small Caps: No momento da entrevista Marcus tem operado mais ações de empresas de pequeno e médio porte, pois segundo ele não são operadas pelos grandes fundos e não recebem muita atenção da mídia, fazendo mais “fácil” operar o comportamento do preço.

Espiritualidade: Pelo menos minha interpretação foi que Marcus passava por um momento mais ZEN e que tem buscado estudar mais sobre espiritualidade e até citou Einstein sobre questionar se o Universo é um lugar amigável.

Enfim, fica aqui minha impressão e as lições deixadas por Michael Marcus. O próximo post será de Bruce Kovner que hoje é um cara que vale mais de 4.3 Bi de dólares e era pupilo de Marcus no início de carreira.

Quando saber se está muito ambicioso?

 “At the age of six I wanted to be a cook. At seven I wanted to be Napoleon. And my ambition has been growing steadily ever since.” ― Salvador Dalí

James Altucher, o meu blogger favorito  e um cara que me inspira muito, pois ele incorpora vários aspectos que gosto e quero sempre desenvolver em mim que é especulação financeira, investimento, empreendedorismo e desenvolvimento pessoal.

Um dos blog posts que achei mais interessante foi quando falou sobre “Quando saber se a ideia que almeja atingir é muito alta ou até mesmo impossível de atingir?

Quero que todo o crédito da ideia seja dada ao James, mas achei interessante passar este conceito para os leitores do velaepavio.com

A resposta para a pergunta é muito simples.

Se você sabe qual o próximo passo a ser tomado nada é muito ambicioso.

Pronto! Isto é tudo que precisa saber para atingir qualquer coisa na sua vida, não importa o quão absurdo ou alto seja o seu alvo ou objetivo.

Um exemplo simples é se está com sede e quer um copo d’água.

É um objetivo muito alto?

Logico que não, porque é algo que sabe qual o próximo passo a tomar. Você pode ir a cozinha e pegar você mesmo ou aproveitar a carona de alguém que está indo em direção a cozinha e delegar a tarefa.

Agora pensando outros objetivos um pouco mais altos. 🙂

Por exemplo.

O Richard Branson quando pensou em entrar no mercado de aviação comercial.

Isto era muito alto pra ele? Não. Porquê?

Por que ele sabia qual o próximo passo a ser dado.

O que ele fez?

Simples. Ele ligou para a sede da Boeing em Seattle e marcou uma reunião para saber quanto custava fazer um leasing de uma aeronave para fazer um teste e certificar se o negócio dava liga.

Pronto o cara fundou a Virgin Atlantic.

As vezes uma pessoa pra chegar neste nível precisa de um pouco de experiencia e persistência, e ter fundado uma das gravadoras mais bem sucedidas do mundo, mas de qualquer forma este nível é atingido dando pequenos passos.

Outro exemplo.

Se quer ser um trader lucrativo.

Qual o próximo passo?

NÃO SEI… hummm Daaaaannnn

Então é um objetivo muito difícil, pensa em outra coisa.

Alternativamente, você pode pensar em qual o próximo passo. Simples assim.

Ler um livro por exemplo?

Sempre pense no passo mais fácil primeiro e depois no próximo mais difícil.

Por exemplo, quero ser presidente do Brasil.

hummm hummm próximo passo.

Abrir um partido político…?

Se afiliar a um partido?

Me candidatar a vereador?

Me candidatar a prefeito?

Me candidatar a Presidente? YAY !

Meu conselho é sempre começar com o passo mais próximo e mais fácil e depois pensar no próximo passo, e depois no próximo e depois…

Os passos são muito importantes, mas a coisa mais importante é definir o que quer da vida e começar a DAR os passos.

É igual na academia. Você não vai levantar 100 quilos no supino no primeiro dia.

Começa com o mais fácil e ai com o tempo e persistência chega nos 100 quilos e ai vai parecer que esta levantando papel.

Cada passo que dá em direção a sua ambição você chega mais perto do seu sonho entende mais do assunto, faz networking com pessoas que já fazem o que quer fazer, testa conceitos novos, erra e aprende sempre.

 David and Goliath

 

 

 

15 coisas que meu pai me ensinou

“Honra teu pai e tua mãe, a fim de que tenhas vida longa na terra que o Senhor, o teu Deus, te dá.” Êxodos 20:12

 

Este domingo dia primeiro de Setembro é dias dos pais aqui na Austrália e confesso que fiquei um pouco confuso quando mudei para cá em 2006 com esta data.

O dias das mães no Brasil, EUA e na Austrália é sempre no Segundo domingo de maio. 

Entretanto, o dia dos pais é diferente para cada um destes países. No Brasil é no Segundo domingo de agosto, nos EUA o terceiro de Junho e aqui na Austrália o primeiro domingo de Setembro. Vai saber…

Enfim tenho chance de comemorar pelo menos duas vezes por ano.

Há algumas semanas ouvi um sermão que me inspirou muito. O pregador era Allan Meyer. e ele falou sobre um versículo que tinha deveras dificuldade de entender êxodo 20:12 (acima). O negócio era sério, pois está nos 10 mandamentos e sempre me perguntei. Tudo bem meus pais são super legais, mas nem todos são e ai como é que fica, pois mandamento é um principio universal que deve funcionar para todo mundo. Pelo menos para mim que acredito na lei Mosaica com sendo algo inspirado por Deus.

 Bom a questão é simples, primeiro precisamos entender a palavra Honra.

Em hebraico a palavra é Kabad.

Não quero complicar o post, mas um dos mil significados além do respeito e grande estima no Hebraico também significa pesar ou balancear. Imagina uma balança antiga com pesos do dois lados. Acho que este é um dos significados da palavra, ou melhor, levar em consideração os pais e pesar as coisas.

 Ai fica mais fácil de separar as coisas “positivas” e “negativas” dos nossos pais e fazer algo com isto que seja benéfico. 

Assim o filho pode aprender com as duas situações, ou seja, as negativas devemos perdoar, amar e ter compaixão e não repetir o ciclo. Pelo contrário melhorar adotando outros comportamentos como amor, por exemplo. 

Então este sermão que resumi acima em 5 min que me motivou a escrever este post. 

Aqui vão as coisas que meu pai me ensinou:

 1.       Pontualidade: Sempre quando precisava de uma carona ou que alguém me buscasse, seja na escola, no clube ou no shopping gostava que meu pai viesse, pois sei que não importa que ele estava fazendo ele sairia imediatamente de casa e viria me buscar. Então daria não mais do que 10 minutos para ele aparecer. Ou se marcasse um encontro ele sempre chegava antes do horário.

2.       Simplicidade: Meu pai sempre foi uma pessoa simples com relação a posses. Sempre quando viajávamos em família a sua mala era a menor, ele era o que menos gastava e comprava bugiganga e nunca vi ele desperdiçar ou consumir nada desenfreadamente. Também ele tem a capacidade de se relacionar com todas as pessoas de forma simples e inocente sem nenhuma barreira seja com seus empregados, pares, autoridades ou superiores.

3.       Dormir e Acordar cedo: Sempre era o primeiro a dormir e o primeiro a acordar em casa e graças a isto quando morei com ele nunca precisei de preocupar com o despertador para ir para a escola, pois pontualmente era acordado por ele a tempo de me arrumar e tomar café da manhã.

4.       Capitalismo e Liberdade: Meu pai, como empresário, sempre defendeu o capitalismo e o liberalismo e o progresso, da liberdade, do empreendedorismo e lógico contra o retrogrado da mentalidade socialista e comunista que reprime a iniciativa privada e o tratamento igual dos seres humanos.

5.       Que judeus sabem ficar rico: Sempre que mencionei a questão de que quero ser um trader, investir e especular ele acha que estou querendo ser como os Judeus ou que quero virar um. Eu sinceramente acho isto um tremendo elogio, pois os judeus sabem como prosperar e isto ficou mais claro depois que li o livro do Daniel Lapin, Thou Shall Prosper que colocarei a critica sobre os livros que li em 2013. Faço isto todo mês de Janeiro.

6.       O milagre do fruto da terra: Que a lei da semeadura é verdadeira, ou seja, quem planta colhe. Não só na vida, mas em tudo na vida. Sua formação é em engenharia agronômica e sempre cultivou o fruto da terra e da dadiva de Deus que isto representa. Hoje curte sua aposentadoria dos frutos que plantou na terra que colhe. A terra que da 1 pra 100. Um trade muito bom inclusive.

7.       Amor pelo meio ambiente e a natureza: Sempre protegeu os animais e sempre que encontrávamos algum bicho selvagem andando a cavalo na invernada garantia que o animal saisse livre caso algum cachorro acompanhando atacasse o animal. Plantou muitas arvores e buscava equilíbrio ecológico em suas propriedades.

8.       Abundancia e generosidade: Se tem uma área que quero ser igual a meu pai é nesta. Na minha carteira se um dia eu tiver mais do que uma nota de 50 vai estranhar. Estou trabalhando para mudar isto. Agora quando pego sua carteira parece que tem dinheiro transbordando e ele gosta de pagar muita coisa em cash. Pra mim isto reflete sua generosidade e mentalidade de abundância. Na minha opinião sua carteira representa uma cornucópia de prosperidade. Acredito que Deus continua abençoando sua prosperidade a medida que ele é generoso ao gastar o dinheiro e também por ter uma mentalidade de abundância.

9.       Paixão por conhecimento geral: Meu interesse por historia e geografia e por conhecimento geral certamente vem dai. Ele sempre teve um excelente conhecimento e uma boa visão de mundo.

10.   Otimismo: Sempre pensou positivo e achava que as coisas sempre iam dar certo, mesmo que as vezes não davam e independente de quantas vezes tivesse falhado ou errado no passado.

11.   Ceticismo: Meu pai  nunca acreditou em nada de bate pronto. Sempre que algo parecia meio estranho e não tinha como se provar ele dizia “Não acredito” e isto dava para ele capacidade de pensar de forma precisa.

12.   Exercício: Esta e a característica mais marcante observando ele. Realmente uma assinatura de sua personalidade. Na escola os meus amigos apelidava ele de Arnold Schwarzenegger ou “Arnaldo e suas Negas” para os piadistas. Eu tinha na minha casa o ídolo da minha infância (Arnold).  Eu e meu irmão assistimos o filme Commando para matar umas 20 vezes, acho que até o VHS fazer um furo. Ate hoje, meu pai, mesmo com 66 anos o braco dele é pelo menos 2x mais grosso que o meu mesmo sendo 30 anos mais velho e uns 5 cm menor. Ainda levanta seus pesos e faz algum tipo de exercício diariamente.

Schwarzenegger

Meu pai Circa 1965

13.   Modelagem e Programação Neuro Lingüística:  Talvez ele nem saiba que isto significa, mas depois de ter estudado um pouco do assunto entendo como meu pai aplicou isto para ser tornar a montanha de músculo que é até hoje. Sempre gostei de livros e mexer nas coisas do meu pai em seu escritório era um hobby de infância  Um dia achei um livro de exercício do Hércules (acredito que seu ídolo na década de 50-60) nas suas coisas. Então  caiu a ficha da seriedade que ele tinha como exercício  A capacidade de visualizar o corpo que ele queria e mandar esta mensagem pro seu subconsciente e fazer o treino necessário para atingir o seu objetivo. Esta é a mesma técnica que tenho utilizado nos meus negócios e no meu trading e tem surtido bons efeitos. Enfim, se quiser ser bem sucedido em qualquer are deve procurar inspiração e orientação nos melhores no ramo.

steve-reeves

Steve Reeves – Inspiração para meu pai

 14.   Ouvir é melhor do que falar: Meu pai é uma pessoa de poucas palavras e dai vem minha natureza de manter minha boca fechada a maior parte do tempo e falo somente quando acredito que tenho algum valor para agregar.

15.   Paixão por carros: Ultimo, mas não o menos importante. Admiro o conhecimento e dedicação que tem por este hobby. Quantas revistas quatro rodas que li e graças a isto podia acompanhar o calendário da formula 1 e o Ayrton Senna e colocar os posters de Ferrari e de Moto GP no meu quarto. Obrigado pai.

O numero 15 não tem nada de cabalístico, mas foi quando esgotou as coisas que pude lembrar de cabeça que tenho orgulho e honro meu pai por ter me ensinado.

 E aproveito para mais uma vez deseja-lo Feliz dias dos Pais aqui na Austrália case esteja lendo este post.

 E dizer que não consigo lembrar nada negativo dele e que ele é um excelente pai que só me ensina coisas sabias.

Não só sou um otimista, mas também sou uma pessoa com muita sorte.

 Forte Abraço

 Pedro, A.K.A. Vela.

Porque sou um Otimista?

“How wonderful it is that nobody need wait a single moment before starting to improve the world.” Anne Frank

“A pessimist sees the difficulty in every opportunity; an optimist sees the opportunity in every difficulty.”  Winston Churchill

 

O copo está meio cheio ou meio vazio?

Com certeza você deve ter ouvido esta pergunta e, como eu, pela primeira vez que ouviu deve ter ficado um pouco confuso com a pergunta. Eu pensei pelo menos por cinco segundos. “O que esta pessoa esta querendo dizer?”

Mas a grande sacada da pergunta é que a realidade que vemos depende de como a interpretamos e devido a interpretação da realidade tomamos atitude diferentes com relação a vida.

Falando de outra forma a realidade é EXATAMENTE a mesma só a interpretação muda.

Por exemplo.

  • Você interpreta que a taxa de desemprego é de 6% ou que 94% das pessoas que querem trabalhar estão empregadas?
  • Você interpreta a quebra da bolsa como uma catástrofe ou como uma oportunidade de vender a descoberto e deixar o sistema expurgar a ineficiência no mundo dos negócios?
  • Você interpreta ser demitido como uma forma de ficar deprimido, reclamar da sua vida e culpar o sistema ou como uma oportunidade de procurar uma melhor carreira?
  • Você interpreta derrota como um fracasso ou como uma fase corriqueira que faz parte do processo aprender algo e fazer melhor da próxima vez?
  • Você  sempre acha que vai dar errado ou sempre acha que vai dar certo não importando quantas vezes tenha errado no passado?

Voltando a pergunta inicial.

Poque eu seu um otimista?

Nem sempre eu fui um otimista e acho que isto é algo que aprendemos ao longo da vida por observação ate o ponto que faz parte da sua própria natureza.

A minha jornada envolveu minha paixão pelas três matérias que mais gostava na escola. Isto me fez ter esta visão otimista de mundo. As matérias são Historia, Geografia e Biologia.

Historia porque me ajuda a entender as dinâmicas sociais e e princípios éticos e sociais que perduram ao longo do tempo.

Geografia por me dar uma perspectiva econômica das leis de mercado e suas flutuações em busca de um equilíbrio.

Biologia por me ajudar a entender como que sistemas funcionam, pois a própria natureza e o universo é um grande sistema interligado com mecanismos de feedback.

A principio Historia, que e o meu assunto preferido, me mostra que as coisas se colocadas em perspectiva não são tão ruins assim.

Se gosta de estudar história pode perceber atualmente vivemos na melhor época que consigo pensar. Nunca a sociedade foi tão próspera e viveu em tanto conforto como hoje. Nunca tivemos tantas oportunidades de negócios e nunca fomos tão produtivos, conectados e conscientes.

As vezes vejo gente reclamando da vida e de sua “miséria” e o que vejo é que reclamam de barriga cheia ou apenas não conseguem interpretar de uma perspectiva otimista.

Não precisa ir muito atrás na historia.

Imagina como que a vida foi “difícil” na primeira metade do século 20 (1900 a 1950). Foram 50 anos onde tiveram 3 quebras da bolsa (1907, 1910, 1922 e 1929) e neste período a bolsa ficou fechada em 1914 primeira guerra mundial e só abriu para operar bonds de guerra, pois ações somente em 1918. Neste período tivemos a pior recessão da historia na década de 30 e duas guerras mundiais.

PUTZ que droga? Eu que não queria viver nesta época, mas mesmo assim tiveram homens de visão e otimistas que fizeram fortunas na época.

Foi nesta época que Jesse Livermore ficou milhardário. Apenas em 1929 ele fez mais de 100 milhões. Em dinheiros de hoje, descontando a inflação equivale a mais de $1Bi. Somente George Soros bateu o recorde em 1992 quando fez quase 2bi em um trade e John Paulson fez 15 bi em 2007/08.

O fato de gostar e estudar a historia me mantem calmo em momentos de quebra da bolsa e mudanças de paradigmas na sociedade, pois sei que no final isto se mostra como uma oportunidade e que ciclos econômicos são leis naturais do universo, assim como as leis biológicas e físicas. Na própria natureza vemos estes ciclos. Por exemplo, se comer muita porcaria pode ser que acabe vomitando, pois o próprio organismo vai se auto regular tentando se livrar dos excessos.

Estes dias conversando com um amigo em uma volta no parque estávamos discutindo sobre o preço do ouro e o que pode acontecer. Ele virou pra mim e disse. “VAI TER UMA CATÁSTROFE E TUDO VAI DESPENCAR?”.

Via a cara de PÂNICO dele e a palidez e imagino que seus batimentos cardíacos estavam a mais de 120 bpm e meio que perdendo os sentidos. O que percebi que o problema dele era simplesmente a forma que estava interpretando a realidade. Na minha opinião a psicicologia é tudo e nosso estado mental é chave para o sucesso em trading, pois isto é o filtro de como lemos a realidade a nossa volta.

Parei por 10 segundos depois que ele disse isto e respondi. “Eu não acredito que tudo vai despencar como está dizendo. Não estou querendo dizer que não é provavel que a bolsa caia mais do que 50% em 2014. Entretanto, para mim eu só acredito numa catástrofe se um dia um meteoro atingir a terra, então vira o fim. Do contrario tudo vai ficar numa boa. Eu já vivi o suficiente e passei crises econômicas, já fui demitido duas vezes e minha vida sempre esteve melhor a cada vez que teve uma crise e oportunidades apareceram milagrosamente. Conclusão é se o dia do Armagedom não acontecer, tudo vai melhorar, não importa o quão ruim esteja.”

A grande questão para mim aqui é que saber história, geografia e biologia, pois isto me ajuda a ser uma pessoa otimista a conseguir enxergar um mundo melhor, mais prospero e mais eficiente a cada instante.

Isto me faz acreditar que somos criadores e podemos imaginar o impossível.

“Se podes?”, disse Jesus. ‘Tudo é possível àquele que crê’” Marcos 9:23

 Na virada do seculo 19 para o 20 o mundo era agrário e bem ineficiente e se concentrava em uma encruzilhada ecológica, algo parecido hoje?. Tinha uma grande preocupação que as florestas iriam acabar de tanto desmatamento para manter as lareiras queimando, que não haveria como produzir comida para uma população de 1 bilhão na época. Hoje somos 7 Bilhões em o cafe hoje é 5 vezes mais barato que era na década de 70 se descontarmos a inflação. E os cafeicultores ainda fazem lucro. Para mim isto se chama: MILAGRE.

Enfim, o mundo na virada do seculo 19 para o 20 foi de uma encruzilhada para uma transformação radical com a invenção de três industria: As ferrovias, o petróleo e do aço. Agora que você acha que criaram estas industrias?

Os otimistas ou os pessimistas?

A escolha é sua.

Você pode continuar a ver o copo meio vazio, mas sempre terá espaço para vê-lo como meio cheio. Assim, verá um  mundo melhor e dar asas a sua imaginação.

Desejo sucesso e muito otimismo.

Abraco

Vela.

 

Seja otimista

 

Como operar milagres

“Do what you can the best you can” Jim Rohn

Um dos últimos comentário no blog um dos leitores me chamou a atenção que Jim Rohn é falecido e que tinha me referido a ele como se ele estivesse vivo. De fato, eu já sabia que ele tinha morrido, mas quando descobri ele gostei tanto que me fez ouvir muito de seus áudios. Assim se está morto ou vivo era irrelevante, pois era como que se ele estivesse vivo. De qualquer forma obrigado pelo aviso.

Ouvido os seus áudios um aspecto que ele discute é a questão de como atingir metas “impossíveis”. O que gosto é a clareza e simplicidade que ele fala como as coisas devem ser feitas.

Entretanto, antes de entrar no detalhe que ele discutiu gostaria de contar uma historia. Não vou usar aqui um exemplo meu só para reforçar o ponto que isto pode acontecer com qualquer um.

Aconteceu com minha esposa que é gerente de vendas e este último ano fiscal (Julho 2012 a Junho de 2013) tinha uma meta de vendas de 19 milhões de dólares. Fazendo uma conta rápida isto da 1.58 milhões por mês.

Então, no final de Junho estava em 17 milhões e com dois funcionários a menos, sendo uma se demitiu e a outra de licença médica. Enfim, tudo estava contra a realização da meta e ela poderia ter usado isto como uma desculpa para relaxar, pois tinha apenas um mês para vender mais 2 milhões com duas vendedoras a menos.

Em situações como esta podemos fazer duas coisas. Se entregar ou fazer alguma coisa.

Nestas horas também tem outras duas coisas que pode fazer:

  • As coisas que pode fazer alguma coisa e;
  • as coisas que não pode fazer nada.

As coisas que você pode fazer alguma coisa você deve fazer o melhor que pode. Já as coisas que não pode fazer nada, você não deve fazer NADA. Isso mesmo NADA. Nesta hora me vem umas palavras de Jesus

“Portanto, não se preocupem com o amanhã, pois o amanhã trará as suas próprias preocupações. Basta a cada dia o seu próprio mal” Mateus 6 : 34

Acredito que nestes momentos de desafios devemos deixar os milagres operarem, pois pra mim é algo que acontece sem muita explicação lógica. Emfim, parece que foi MAGICA.

Desta forma, voltando a historia, ela se concentrou no que poderia fazer, mesmo com toda adversidade a volta. Continuou ligando para os clientes prospectivos, marcando reunião, fazendo o trabalho administrativo,trabalhando horas extras e fazendo o que ela podia o melhor que ela podia.

Interessante que os milagres começaram a acontecer e de duzentos ou quatrocentos mil em quatrocentos mil ela foi ficando mais perto de sua meta.

No último dia preparando o relatório de final de mês e somando o que tinha já vendido na ultimas quatro semanas ela se deu conta que só faltava 150 mil. Já estava feliz que a meta tinha quase batido, mas seria legal que tivesse atingido. Não bestasse ter sido já o melhor mês do ano com toda adversidade o telefone toca.

“Alo”

“Aqui é o Dr. Watson”

“Sim Dr. Watson, como está o Sr.”

“Tudo bem obrigado, então queria fechar aquele contrato e precisa ser hoje”

“Claro claro, deixa ver aqui o seu arquivo” – Quando ela abriu o arquivo ela não acreditou… era um contrato no exato valor de 150 mil

Silencio por 10 segundos

“Senhora… senhora… está me ouvindo… alo… alo…”

Com a voz embargada ela respondeu “Sim… sim… estou aqui” e suspirou e retomou o folego.

Para operar milagres temos que fazer tudo que podemos o melhor que podemos. Quanto a operação de milagres não precisamos fazer nada, pois não cabe a nos operá-los.

 

Andando na água

Andando na água

 

 

Pessoas que me inspiram

“You attract things to your life by being the person you are” Jim Rohn

Não muito tempo atrás eu ouvi alguém falando sobre o significado da palavra inspirar e confesso que fiquei surpreso, pois nunca tinha me passado na cabeça. Para você que não sabe inspirar significa EM ESPÍRITO. Significa estar guiado pelo espirito com indescritível criatividade e idéias que vem do nada.

No caminho do conhecimento interior e pessoal eu gosto de estudar pessoas que me inspiram, ou seja, pessoas que acendem a chama criativa dentro de mim e que me impulsiona a fazer coisas que me motivam, me mantém na jornada e me desafia a mover em direção ao meus objetivos a cada dia mais.

 Segue, então, uma lista de pessoas que me inspiram pelo que elas são e me ensinam dando idéias de como que posso criar o meu próprio ser.

Jesus: A pessoa que andou na terra que pode ser considerada a mais iluminada e na minha opinião. Uma das pessoas mais mal interpretadas também. O que me inspira em Jesus é sua capacidade de amar as coisas como elas são, ou seja, incondicionalmente e sem se preocupar em forçar nenhum comportamento. Ele ensinou que primeiro devemos nos preocupar com nossas coisas primeiros, nos amar primeiro, então seriamos capaz de amar o próximo. Usando esta estratégia de ser que Jesus conseguia o respeito que tinha. O cara conseguia entrar num prostíbulo e trocar uma ideia com as prostitutas ou entrar na favela e falar com os traficantes ou os maiores criminosos e ser bem vindo, sem agressão, e realmente tocar a vida destas pessoas a ponto de transformarem naquilo que elas realmente queriam no fundo no fundo. Imagino que por onde ele passava sua presença tomava conta do local de uma forma que as pessoas ficavam perplexas. Um cara que realmente vivia o que falava e não estava preocupado com o dia de amanhã. Vivia no aqui e no agora sabendo que toda a provisão viria. As únicas pessoas que ele incomodava eram os hipócritas, não os “pecadores”. Ele confrontava a religião organizada e o sistema político da época e imagino o que ele faria se vivesse hoje. O que diria da “igreja” e a política hoje. Isto só pode ficar na minha imaginação.

Benjamim (meu filho): A melhor coisa que pode acontecer na vida de uma pessoa é ter um filho(a). Ter a oportunidade de ver este milagre acontecer não tem preço. Ver o desenvolvimento de uma pessoa que não tem uma agenda, não tem preconceito, ama as coisas como são, é curioso e explora tudo sem medo. Acho que o mais importante que ele tem me ensinado é seguir o próprio coração. O que ele ensina é que quando você é uma criança você gosta de desenhar, ler, correr, rir, brincar e imaginar um mundo mágico.  Penso que nós adultos nunca mais teremos a oportunidade de viver isto novamente do profundo do nosso coração, talvez sim, ainda temos esta chance.

DSC_0367

Crianças se divertem

James Altucher: Este é o meu blogger preferido. O que gosto nele e acho que ele é parecido comigo é a sua sinceridade. Uma coisa que gostaria de praticar um pouco aqui no blog. Ser sincero o suficiente para gerar um pouco de polêmica, mas ao mesmo tempo falar coisas profundas e do coração. Nós vivemos num mundo de superficialidades e a maioria das pessoas não vivem a própria vida, mas a vida que outros querem. Ela não gerar polêmica pela polêmica, mas para instigar pessoas a analisar sues mais profundos desejos e buscar uma vida que vale a pena viver. Também aprendi com ele o segredo da felicidade.

Chris Guillebeau: Conheci ele pessoalmente em Melbourne o ano passado no seu book tour ($100 Startup). Sou leitor de seu blog e de algum de seus livros. Me inspira me a formar minha própria tribo a influenciar pessoas conversando das coisas que tenho paixão. Ele me impulsionou a voltar a escrever aqui no blog e me desafiar a trazer este blog para um outro patamar. Chris no mes passado completou sua façanha de visitar todos os países do mundo. Ele visitou os atuais 198 países registrados na ONU. Também ele me ajudou muito na inspiração de publicar o eBook.

IMG_0153

Guillebeau Inspire

Charles Feeney: O maior filantropista que já andou aqui na terra. Ele doou em vida já mais de 8 bilhões de dólares. Conheci ele porque ele saiu da toca cerca de uns 5 anos atrás. Até então ele era não só o maior filantropista do mundo, mas o maior anônimo. Uma das condições que a fundação dele colocava era que o recebedor do dinheiro mantasse o anonimato. Feeney, andava de classe econômica, usava um relógio de plastico, morava em um pequeno apartamento e não possuía carro. Detalhe que sua fortuna foi construída vendendo artigos de luxo. Ele é o acionista majoritário da maior rede de Duty Free Shops do mundo. O que ele me ensinou é que devemos ser generosos enquanto vivemos. E me ensinou que a lei da reciprocidade é verdadeira, i.e. é dando que se recebe e é melhor dar do que receber.

Albert Einstein: O que me impressiona mais em Einstein não são seus feitos no campo da física, que diga se de passagem, uma das mentes mais brilhantes que já existiu, mas sua capacidade e seu dom de refletir e filosofar. Eu atribuo seus feitos na ciência muito mais pela sua capacidade criativa do que sua capacidade intelectual. Como ele mesmo diz: “Imagination is more important than knowledge”.

Albert Kahn: Escrevi uma vez sobre ele num blog. O que me inspira nele é sua capacidade de viver como um homem a frente do seu tempo e ter realizado um dos maiores projetos fotográficos e de video do mundo no início do seculo 20. Foi um homem que fez bom uso do dinheiro que ganhou na vida. Isto me ensina muita coisa.

Ed Seykota: Primeiro me interessei muito pelo Ed como trader e por ser uma das minha entrevistas preferidas no Market Wizard, mas o que hoje me atrai mais no Ed é o seu lado de desenvolvimento pessoal e sua generosidade em ajudar pessoas que querem ser ajudadas. Acho que este é o principal atributo de seu sucesso, não porque ele é um bom trader, mas por ser a pessoa que ele é ele acaba sendo um bom trader. Ele me ensinou que meus sentimentos tem muito a me ensinar, que trend following é aplicado não só a trading, mas a vida.

Warren Buffet: Eu agradeço a pessoa que escreveu a biografia dele, pois ao le-la me abriu para um novo mundo que não conhecia. O fato de ler sua biografia me estimulou a completamente parar de ler jornal, pois a visão que tinha sobre Warren era tão limitada e o juízo de valor que colocava por detrás da pessoa que eu achava que conhecia. Recomendo demais a leitura da bem extensa biografia. Mostra uma pessoa com tremenda disciplina, mas o mais interessante ele fazia as coisas com tremenda paixão e foco e o dinheiro foi apenas uma recompensa de sua paixão. Eu não sou um trader fundamentalista, mas ele tem muito a ensinar quem quer ser um dedicado operador técnico e merece respeito, pois ele é o trader mais bem sucedido da história.

Napoeon Hill: Ele é responsável por despertar o meu adormecido interesse por desenvolvimento pessoal ou auto ajuda, como falam no Brasil. Com clareza ele me ajudou a quebrar o meu limite mental de compreender como que os ricos se tornam ricos e que é muito mais do que apenas um principio econômico, mas principalmente um princípio de psicologia aplicada. Tudo começa na mente. Ser rico não tem nada a ver com dinheiro, mas um estado mental.

Jim Rohn: Achei que fosse mais um destes caras de personal development e descobri ele recentemente. O que me identifico no Jim, e o que torna ele diferente de muitos do pessoal de auto ajuda, é que ele é MUITO prático. Ele tira totalmente o misticismo do campo de auto ajuda e mostra tudo com o pé no chão. Talvez por ser uma pessoa mais racional ele caiu como uma luva e recomendo demais. Sem falar que o cara é uma figura de engraçado. Dou muitas risadas com ele.

Robert Kyosaki: Na mesma linha do Jim Rohn, Robert é um cara que traduz bem a questão do mundo de como ser rico em passos bem práticos e ao mesmo tempo coloca bem a parte psicológica sem o WOO WOO que muitos colocam. Interessante que sempre soube da existência de seus livros e tudo estava embaixo do meu nariz e eu nunca li seus livros. No momento estou lendo e estudando muito sobre ele e está relacionado a minha paixão por independência financeira que acho que é algo que veio no meu microchip biológico e atualmente estou despertando. Recomendo demais também. 

 Vou deixar este como um post em aberto. Tem outros que me inspirar mas vou somente citar e um dia escrever mais sobre eles aqui:  Steve Jobs, Van Tharp, Jim Rogers, Bill Gates, Michael Covel, Henry Ford, Andrew Carnegie, Benjamin Franklin, Alberto Santos Dumond, Paul Tudor Jones, Byron Katie, Wayne Dyer, Steve Pavlina, Steve Wozniak, Robert Sheidt, Tiger Woods, Ayrton Senna dentre outros.

Como Napoleon Hill diz “Toda pessoa bem sucedida são adoradores de heróis”

e você? Quem te inspira?

Contribuindo para a sociedade

“Self-interest and society’s interests are generally symbiotic” Ray Dalio

 

No ano passado quando estava lendo o livro de entrevista do Market Wizards do Jack Schwager eu me deparei com o Ray Dalio e resolvi pesquisar mais sobre ele, pois logo na sequencia eu ouvi uma entrevista em um podcast do Michael Covel e ele foi citado novamente.

Dai percebi como que podemos ser pessoas alienadas e não sabemos da existência de certas pessoas. Eu que vinha pesquisando e lendo sobre trading já a alguns anos não tinha ouvido falar desde cara.

A razão que fiquei abobado que não sabia da existência dele é porque ele é o gestor do maior Hedge Fund do mundo. Isto mesmo ele gerencia 150 bilhões de dólares. Assim, como venho pesquisando traders bem sucedidos e pessoas bem sucedidas e como parte do meu desenvolvimento pessoal eu resolvi pesquisar mais. Alem disto, outro motivo que me interessou nele foi um documento que ele escreveu onde descreve quais são os princípios que ele utiliza na sua vida e também na sua empresa. Este documento pode ser encontrado aqui.

Eu já falei sobre como ficar rico honestamente neste blog e também em outro blog, mas nada se compara ao que li no documento da Bridgewater.

Recomendo MUITO ler o documento não só por ter sido escrito por alguém que venceu na vida e ficou rico, mas na riqueza dos princípios e como que eles podem ser aplicados na sua vida e no seu trading. Vindo, então, de um trader bem sucedido vale ainda mais a dica.

A parte que me tocou e que tem a ver com este post foi a seguinte parte que vou colar aqui

Self-interest and society’s interests are generally symbiotic: more tha anything else, it is pursuit of self-interest that motivates people to push themselves to do the difficult things that benefit them and that contribute to society. In return, society rewards those who give it what it wants. That is why how much money people have earned is a rough measure of how much they gave society what it wanted—NOT how much they desired to make money. Look at what caused people to make a lot of money and you will see that usually it is in proportion to their production of what the society wanted and largely unrelated to their desire to make money. There are many people who have made a lot of money who never made making a lot of money their primary goal. Instead, they simply engaged in the work that they were doing, produced what society wanted, and got rich doing it. And there are many people who really wanted to make a lot of money but never produced what the society wanted and they didn’t make a lot of money. 

Acho que já passei a mensagem e fica ai a dica.

Quer ficar rico?

Então de para a sociedade o que ela quer.

Não precisa ir longe para constatar esta verdade. Todos os homens de negócio bem sucedido fizeram isto ao longo da história. 

Henry Ford deu para a sociedade meio de transporte e ficou rico em proporção ao número de pessoas que queriam aquilo, mesmo que a maioria nem imaginava que seria possível ter uma carruagem sem cavalos. Quem precisa de petróleo? Gasolina, comida, entretenimento, redes sociais?

Agora pensa mais macro. Sobre os mercados financeiros. Qual a contribuição do mercado financeiro que a mídia adora meter o pau e criticar Wall Street e a “manipulação” e os males que ele causa.

Neste contexto pensa o papel de um trader na sociedade? O trader que é visto como o mal da sociedade pela mídia.

O trader é que da liquidez para o mercado. Ele proporciona ao fazendeiro quer fazer um hedge de uma posição e segurar sua produção. O especulador é aquele que toma a outra ponta do trader, que o investidor não toma, ficando vendido no trade.

O trader contribui viabilizar o mercado financeiro e mostra sinais para os mercados quando uma empresa está com problemas financeiros ou quando uma empresa está dando lucro. O trader contribui para mandar sinais da oferta e de demanda de quando está interessante aumentar ou diminuir a produção de certas commodities.

Assim que procuro ver o mundo e o papel da contribuição do trader na sociedade.

 Assim como o HFT trader também tem seu papel em injetar liquidez no mercado. Hoje é possível ter baixas corretagens e baixos spreads devido ao HFT.

Lógico que a mídia e quem é manobrado por ela adora usar isto como uma desculpa para não assumir responsabilidade.

Reponsabilidade

Sempre tem uma desculpa que quem causou a bolha foram os especuladores e os crashs foram causados pelo HFT e que os pais de família e os aposentados foram vítimas e todos os males causados pelo mercado, os traders e o HFT.

Enfim, a escolha é de cada um de ver o mundo de uma diferente. Você pode escolher ser vitima ou assumir a responsabilidade.

Quem ficou ou quer ficar rico assume a responsabilidade por seus resultados e procura formas de contribuir o máximo para a sociedade e como consequência acabam recebendo a sua recompensa da própria sociedade, na proporção de ter atingido o seu desejo.

Falando em contribuir para a sociedade aguarde em breve o lançamento do e-book do Vela.