Monthly Archives: December 2013

Market Wizard – Bruce Kovner

“Nowadays, everybody is a chartist, and there are a huge number of technical trading
systems. I think that change has made it much harder for the technical trader” Bruce Kovner

 Estas entrevistas com os Market Wizards é uma melhor do que a outra. Caso você já leu o livro eu recomendo re-ler. Eu por exemplo estou re-lendo pela terceira vez. 

O que estou percebendo é que cada vez que leio mais coisa NOVAS absorvo. Lembro que da primeira vez que li o meu queixo caiu com alguns aspectos como os resultados absurdos que os Market Wizards conseguiam. Para mim foi uma total mudança de paradigma.

Este livro foi o que mais me despertou interesse em pesquisar mais sobre trading. O que ocorre é que depois de anos de pesquisa e entender mais o mercado agora estou entendendo melhor o que os traders querem dizer nas entrevistas e estou tendo novas sacadas e novas idéias para melhorar o meu trading.

Bruce Kovner foi discipulo de Michael Marcus. Marcus de cara ele já percebeu que Kovner seria um sucesso. Para começar na entrevista onde Marcus estava a procura de um assistente. Entretanto, depois de entrevista-lo Marcus gostou tanto que quando ligou para oferecer a vaga disse que tinha duas noticias. Uma ruim e uma boa.

A ruim é que ele não seria mais contratado como assistente e a boa é que seria contratado como trader pleno!

Bruce Kovner trabalhou na Commodities Corporation, assim como Ed Seykota, Paul Tudor Jones, Marty Schwartz e Louis Bacon.

Kovner se aposentou do trading em 2011, mas a empresa que fundou em 1983, Caxton Associates, ainda administra cerca de 8 Bilhões de dólares.

Hoje Kovner se ocupa mais com atividades filantrópicas e vive nesta pequena casa na 5a avenida em Nova Iorque. Atualmente está na em #95 na lista dos caras mais ricos dos EUA.

1130 Fifth Avenue, Bruce Kovner Residence. Fonte: Wikipedia

Aqui então vai as minhas sacadas da entrevista que falaram muito ao meu coração.

Intuição e emoções: Quando ele percebe que o mercado está fazendo alguma coisa que está perturbando emocionalmente e não entende o que está ocorrendo no mundo, então, a melhor coisa que faz é fechar todas as posições. Segundo ele, não vale a pena ser pego em uma situação onde se perde dinheiro por não entender o que ocorre no mercado. É importante ter extremo equilíbrio emocional para ser trader, pois os níveis emocionais podem ser fortes demais. Isto porque perder milhões no mercado é algo corriqueiro quando vira um trader grande. Caso tenha problema em perder uma quantia assim, melhor não ser trader.

 Trabalho duro: Uma coisa que aprendeu com Michael Marcus que um dia disse que se ele se “aplicasse nos mercado poderia fazer milhões”. Kovner acredita que se você não trabalhar duro dificilmente será um  trader competente.

Erros: Traders tem que estar dispostos a cometer erros. Não tem nada de errado em cometer erros.

Imaginação e cenários: Traders tem que ter a mente criativa de imaginar possíveis rumos que o mercado pode tomar e ter isto planejado em cada operação.

Treinar traders: Kovner acredita que é possível treinar traders a serem bem sucedidos, mas ele não obteve muito sucesso nesta área. Ele chegou a treinar vários traders e somente alguns poucos acabaram ficando muito bons. Os pontos chaves, segundo ele, foram força [mental], disciplina e disposição de entrar em uma posição que ninguém está confortável em tomar.

Analise técnica vs. Analise fundamentalista: Sem dúvida alguma Kovner é um cara fundamentalista que olhava para o gráfico confirmar o cenários que estava esperando. Kovner faz a analogia do médico com o termômetro. Assim como o termômetro ajuda o médico a diagnosticar a doença a analise técnica ajuda ao trader diagnosticar o mercado, mas os fundamentos são mais importantes, pois são eles que definirão a visão macro e as possíveis direções do mercado. Segundo ele, o trader deve olhar todos os aspectos do mercado que dão uma vantagem competitiva.

Análise técnica é uma boa ferramenta para explicar o passado e não o futuro.

Surpresa: Quando um movimento de mercado ocorre de forma forte e de surpresa, ou seja, ninguém está esperando, então mais provável que o movimento continue numa tendencia. Principalmente vindo de uma congestão. Kovner da exemplos de governos que podem estar atuando no mercado de commodities e ninguém está sabendo, somente os insider. Kovner da o exemplo do governo Russo operando no mercado de grãos.

A mesma lógica vale para o contrário. Quando todo mundo esta esperando algo e algo ocorre, grande chances do mercado reverter. 

Cortar as perdas: Assim como Marcus ele diminui o tamanho das apostas quando está numa sequencia de perdedores.

Sistemas automáticos: Não acredita em sistemas automáticos, pois os mercados estão em constante mudanças. Confirmando seu viés discricionário.

Stops: Antes de entrar em qualquer posição ele já sabe onde vai sair caso as coisas não ocorram como o esperado. O tamanho da posição é calculado baseado em onde está o stop e o stop é colocado de acordo com a analise técnica. O Stop é sempre colocado em um lugar não tão perto da entrada para deixar o trader mais folgado para trabalhar e nem num lugar muito obvio que fará o stop ser executado facilmente. 

Preocupações: A ÚNICA coisa que preocupa ele é mau gerenciamento de risco, de resto NADA preocupa ele.

Forex e 24/7: No momento da entrevista Kovner tinha monitores e telas espalhadas por suas casas. Inclusive a de campo. E durante a noite tinha assistentes monitorando o mercado 24 horas. O assistente pessoal dele era autorizado a acorda-lo somente duas noites por ano. Somente em casos de guerra ou se algum primeiro ministro renunciasse, por exemplo. Isto porque, estes eventos podem causar grandes movimentos no mercado de Forex. Do contrário o assistente tomava decisões nos cenários que eram atualizados semanalmente. Na época da entrevista, cerca de 1990, Forex correspondia 60% do volume operado por ele. O fato de operar 24 horas por dia não incomodava ele, pois estava “no sangue” e ele curtia demais.

Trend Following: Tem a mesma opinião que o Michael Marcus. Trend Folowing foi muito bom nos anos 70 e depois só tomou porrada. Principalmente no mercado de commodities. Vale lembrar que a entrevista foi em 1990 e na época Richard Denis, um grande trend follower estava tomando tanta porrada que resolveu se aposentar depois de perder 50%. Ele acredita que devido a muitos traders usarem sistemas parecidos o mercado está mais vulnerável a falsos break outs.

Conselho para os iniciantes: A coisa mais IMPORTANTE é gerenciamento de risco.

Bruce Kovner. Fonte: Forbes

6 Comments

Filed under Biblioteca, Fundamentos, Psicologia de Trading, Reflexão, Trading Plan

Market Wizard – Michael Marcus

“The most important question a person can ask is, “Is the Universe a friendly place?” – Albert Einstein

Sem sombra de dúvida o livro que me deixou paralisado foi Market Wizard de Jack Schwager.

Livro recomendado na lista do Trade Your Way to Financial Freedom do Van Tharp.

O livro é uma coletanea de entrevista dos melhores traders do mundo. Pessoas reais que são considerado magos do mercado devido aos ganhos percentuais absurdos.

Até então eu só acreditava que seria possível atingir retornos de 10 a 12% ao ano consistentemente com uma estrategia buy and hold, comprando ações e se descontar a inflação este ganho chega a ser de apenas um digito.

Então quando leio Market Wizard percebe-se que existem traders, pessoas reais, que transformaram quantias como $400 em $200,000,000 ou $5,000 em $12,000,000. Ganhos consistentes de mais de 100% ao ano em um período de mais de 10 anos. Pessoas que fizeram fortunas e perderam fortunar no mercado.

Se ainda não leu o livro. POR FAVOR LEIA. É o livro mais importante para formar o seu estilo de trading.

Neste tom que queria lançar uma série de posts sobre os Markets Wizards para revisitar os meus Market Wizards preferidos. São traders que procuro adotar um pequeno aspecto deles que sintonizam com minha personalidade.

Hoje começo por Michael Marcus e coloco aqui os meus insights ao re-ler sua entrevista esta semana.

 Michael Marcus começou sua carreira com uma analista de commodities numa corretora de valores e já desenvolveu aquele gosto pelo mercado, entretanto nos primeiros anos como trader so tomou porrada. Perdeu muito dinheiro e quebrou umas 3 vezes, emprestou dinheiro da vó, da mãe e a herança do pai… TORROU TUDO operando no mercado.

Michael Marcus. Fonte: Wikipedia

O problema de Marcus no começo não era acertar o trade, mas na execução e no gerenciamento de risco. Ele tinha um bom tino para o negócio e conseguia operar $2,000 e fazer virar $30,000 ou $50,000 com boas chamadas de mercado, mas depois o dinheiro evaporava na fumaça com cagadas homéricas.

Até que um dia encontrou um cara chamado Ed Seykota que deu umas “dicas”sobre gerenciamento de risco.

A vida de Michael Marcus começou a mudar pra melhor e ele começou a perder menos.

Mas o ponto baixo da carreira de Marcus foi quando ele estava operando soja na década de 70 e resolveu sair da posição, tomando o lucro muito cedo.

Entretanto, o seu amigo, Ed Seykota, que era um trend follower continuou no trade. Cada dia que passava o preço da soja indo pro espaço. Michael Marcus começou a querer literalmente se matar. A cada dia que chegava no trabalho a primeira coisa era entrar no escritório do Ed… O que? Ed estava firme na posição, pois o mercado estava subindo.

Acabou que Marcus ficou TÃO mal que acabou tomando um remédio “tarja preta” que nem foi trabalhar um dia. Até que finalmente a soja parou de subir e a tendencia reverteu e o Ed tomou o lucro absurdamente grande no trade.

A partir deste dia Marcus nunca mais foi o mesmo até hoje é considerado um dos traders mais bem sucedidos da Commodities Corporation que acabou sendo comprado pelo Goldman Sachs em 1997.

Chegou um ponto que os lucros de Michael Marcus era maior que a soma de todos os outros traders somados. Ele competia com caras como Ed Seykota, Paul Tudor Jones, Bruce Kovner, dentre outros. Não necessariamente todos contemporâneos, mas esta era o calibre dos traders da Commodities Corporation.

Agora queria colocar aqui os meus highlights da entrevista que toca fundo no meu coração.

Alinhamento de Fundamentos, Analise Técnica e Sentimento: O estilo de Marcus consistia em encher a mão de ganhar dinheiro quando conseguia alinhar estes três aspectos. Isto indica que Marcus era um trader rules based discretionary. Segundo ele, se ele operasse somente estes poucos trades ULTRA selecionados ele teria feito muito mais dinheiro. Entretanto, como ele gostava de operar ele acabava perdendo dinheiro nos trader em geral, pois ele sabia que não dava em nada e que nem precisava operar e só fazia pelo vício mesmo.

Tamanho da posição: Sabendo da vulnerabilidade e da importância do gerenciamento de risco Marcus apostava bem pouco em trades corriqueiros de vício, mas nos que tudo alinhava ele enchia a mão e colocava uma posição GIGANTE, mas nunca ultrapassava a quantia de 5% do capital total.

Sempre alerta para o inesperado: Marcus desenvolveu um senso muito preciso com relação ao mercado e muitas vezes quando o mercado mexia de uma forma estranha ele preferia sair da posição e depois tentar entender o porque.

Conhecimento de si mesmo: Michael era um excelente trader, mas não tão bom investidor. Ganhou milhões operando, mas perdeu muito investindo em imóveis, comprando aviões particulares e negócios que quebraram. Com o tempo ele reconheceu isto e focou no trading e parou de investir em ativos que não entendia. Acho isto um importante aspecto de conhecer a si mesmo.

Intuição: Um aspecto que se desenvolveu depois de muito tempo operando. Acredita ser bem importante e que todo trader profissional tem. Além disto não só intuição, mas coragem, vontade de vencer, falhar, tentar e continuar tentando quando a coisa está apertada.

Usar STOPS: ESSENCIAL. Se não tem stop ele nem coloca o trade.

Melhor conselho que pode dar a um iniciante: Deixar o lucro fluir e cortar as perdas, pois a única forma de pagar pelo prejuízo que faz no mercado é deixando o lucro fluir.

Hobby: Apesar de trading exigir extrema dedicação, paixão, tempo e concentração, para ser bem sucedido, é necessário se divertir fora do mercado também. Ter um hobby e se divertir com outros aspectos da vida.

Perdas consecutivas: Quando ocorrer a melhor coisa a fazer é diminuir o tamanho da posição e em alguns casos extremos dar um tempo no mercado. Ele mesmo já chegou a ficar 3 a 4 semanas sem operar depois de grandes porradas que levou no mercado.

FX: Operou FX no início da carreira, mas hoje o mercado, segundo ele, está muito manipulado por banco centrais. Deve levar-se em consideração que o livro foi publicado em 1992.

Trend Following: Acredita que apesar de ter sido ÓTIMO ser um trend follower de longo prazo em commodities na década de 1970 acredita que a estratégia esta fadada a tomar muita violinada e só funciona em casos extremos de desbalanceamento de oferta e de demanda. Mesmo ponto a considerar que o mercado sempre muda. Acredito ainda ser válido este comentário, pois trend following tem tomado muita porrada ultimamente. Digo nos últimos 3 anos. Tem sido MUITO difícil e muitos operadores estão esperando um novo período inflacionário para voltar a fazer fortunas nos mercados, como foi “fácil” em 1970.

Small Caps: No momento da entrevista Marcus tem operado mais ações de empresas de pequeno e médio porte, pois segundo ele não são operadas pelos grandes fundos e não recebem muita atenção da mídia, fazendo mais “fácil” operar o comportamento do preço.

Espiritualidade: Pelo menos minha interpretação foi que Marcus passava por um momento mais ZEN e que tem buscado estudar mais sobre espiritualidade e até citou Einstein sobre questionar se o Universo é um lugar amigável.

Enfim, fica aqui minha impressão e as lições deixadas por Michael Marcus. O próximo post será de Bruce Kovner que hoje é um cara que vale mais de 4.3 Bi de dólares e era pupilo de Marcus no início de carreira.

10 Comments

Filed under Biblioteca, Jornada, Psicologia de Trading, Vela's Beliefs

Quando saber se está muito ambicioso?

 “At the age of six I wanted to be a cook. At seven I wanted to be Napoleon. And my ambition has been growing steadily ever since.” ― Salvador Dalí

James Altucher, o meu blogger favorito  e um cara que me inspira muito, pois ele incorpora vários aspectos que gosto e quero sempre desenvolver em mim que é especulação financeira, investimento, empreendedorismo e desenvolvimento pessoal.

Um dos blog posts que achei mais interessante foi quando falou sobre “Quando saber se a ideia que almeja atingir é muito alta ou até mesmo impossível de atingir?

Quero que todo o crédito da ideia seja dada ao James, mas achei interessante passar este conceito para os leitores do velaepavio.com

A resposta para a pergunta é muito simples.

Se você sabe qual o próximo passo a ser tomado nada é muito ambicioso.

Pronto! Isto é tudo que precisa saber para atingir qualquer coisa na sua vida, não importa o quão absurdo ou alto seja o seu alvo ou objetivo.

Um exemplo simples é se está com sede e quer um copo d’água.

É um objetivo muito alto?

Logico que não, porque é algo que sabe qual o próximo passo a tomar. Você pode ir a cozinha e pegar você mesmo ou aproveitar a carona de alguém que está indo em direção a cozinha e delegar a tarefa.

Agora pensando outros objetivos um pouco mais altos. 🙂

Por exemplo.

O Richard Branson quando pensou em entrar no mercado de aviação comercial.

Isto era muito alto pra ele? Não. Porquê?

Por que ele sabia qual o próximo passo a ser dado.

O que ele fez?

Simples. Ele ligou para a sede da Boeing em Seattle e marcou uma reunião para saber quanto custava fazer um leasing de uma aeronave para fazer um teste e certificar se o negócio dava liga.

Pronto o cara fundou a Virgin Atlantic.

As vezes uma pessoa pra chegar neste nível precisa de um pouco de experiencia e persistência, e ter fundado uma das gravadoras mais bem sucedidas do mundo, mas de qualquer forma este nível é atingido dando pequenos passos.

Outro exemplo.

Se quer ser um trader lucrativo.

Qual o próximo passo?

NÃO SEI… hummm Daaaaannnn

Então é um objetivo muito difícil, pensa em outra coisa.

Alternativamente, você pode pensar em qual o próximo passo. Simples assim.

Ler um livro por exemplo?

Sempre pense no passo mais fácil primeiro e depois no próximo mais difícil.

Por exemplo, quero ser presidente do Brasil.

hummm hummm próximo passo.

Abrir um partido político…?

Se afiliar a um partido?

Me candidatar a vereador?

Me candidatar a prefeito?

Me candidatar a Presidente? YAY !

Meu conselho é sempre começar com o passo mais próximo e mais fácil e depois pensar no próximo passo, e depois no próximo e depois…

Os passos são muito importantes, mas a coisa mais importante é definir o que quer da vida e começar a DAR os passos.

É igual na academia. Você não vai levantar 100 quilos no supino no primeiro dia.

Começa com o mais fácil e ai com o tempo e persistência chega nos 100 quilos e ai vai parecer que esta levantando papel.

Cada passo que dá em direção a sua ambição você chega mais perto do seu sonho entende mais do assunto, faz networking com pessoas que já fazem o que quer fazer, testa conceitos novos, erra e aprende sempre.

 David and Goliath

 

 

 

2 Comments

Filed under Jornada, Reflexão, Uncategorized, Vela's Beliefs

A saida é muito mais importante que a entrada

Whenever I enter a position, I have a predetermined stop. That is the only way I can
sleep. I know where I’m getting out before I get in. The position size on a trade is
determined by the stop, and the stop is determined on a technical basis. – BRUCE KOVNER

No meu eBook sobre backtest eu bato na tecla que a saída é mais importante que a entrada, mas eu nunca escrevi um post sobre isto.

Agora queria comprovar estatisticamente com um backtest que isto, que sempre falo, não é ilusão ou coisa da minha cabeça.

Então aqui vai a prova.

Eu tenho um sistema, alias dois, de trend following que tem EXATAMENTE a mesma entrada só que a saída é diferente.

Mais uma vez, isto so para comprovar que a entrada é menos importante do que a entrada.

Por incrível que pareça todo mundo que ensina analise técnica, que na minha opinião é a parte menos importante, focam nas técnicas de entrada ou nos set ups de trading.

As regras destes sistemas de trading following são bem simples e é como deve ser.

O sistema compra break out de 3 dias em ativos que já estão em uma tendência e estão congestionado em um nível de preço.

A saída é um trailing stop ATR do ponto de entrada.

Um sistema mais de curto prazo utiliza um parâmetro de 2.5 ATR e o outro 4.5 ATR para o stop. Todo o resto do sistema é exatamente igual.

Da pra perceber que o de 2.5 tem um stop mais curto e acaba sendo stopado mais frequentemente e o 4.5 deixa o mercado trabalhar um pouco mais e é stopado menos frequentemente, entretanto o de 4.5 acaba sendo mais de longo prazo e os trades duram mais tempo. Cerca de 64 barras.

Veja os resultados do back test na mesma carteira de ativos dos dois sistemas de trading

ATR STOP2

O que é mais importante no sistema é a Expectancy ou expectativa do sistema. Eu discuti aqui neste post se tem interesse em saber mais sobre o assunto. Neste quesito o sistema de 4.5 ATR é melhor.

Veja um exemplo de um trade do sistema ATR de 4.5

ATR45 Sugar

 O Stop 4.5  ATR da muito mais espaço para o trade trabalhar e acaba pegando grandes tendencias com esta.

Agora olha só um tipico trade do sistema com um stop mais curto

ATR25 Wheat

 

Entretanto será stopado mais frequentemente

No próximo gráfico mostrarei um trade do sistema 4.5 ATR, mas com uma sobreposição da mesma entrada só que usando a saída 2.5 ATR

ATR25 and 45 Soybean

 

Veja com o Stop 4.5 aproveitou bem melhor o movimento. 

Segundo alguns traders profissionais a maior parte do dinheiro é feito sentado não fazendo nada. Por isso eu não sou adepto do day trading, que pra mim abre grande espaço para usar o trading com uma forma de medicar seus problemas psicológicos seja qual ele for.

 Para finalizar. Qual sistema utilizar?

Do ponto de vista de expectancy e pagar menos comissão o sistema 4.5 ATR é melhor, entretanto o sistema 2.5 ATR da mais oportunidade de operar e ajuda a crescer o capital mais rápido, mas é stopado mais frequente. Como a regra de entrada é no break de 3 dias, naturalmente o sistema pula no mercado rápido se leva uma violinada. (whipsaw)

Na minha opinião eu prefiro diversificar entre os dois. 

Em mercados que estão em tendencias mais fortes o sistema 4.5 performa melhor, mas em mercado meio de lado com tendencias de médio prazo o sistema de 2.5 acaba sendo melhor.

Enfim vai da preferencia de cada um. A coisa mais importante é gerenciar risco e desenhar um sistema que adapte a sua personalidade.

 

12 Comments

Filed under Uncategorized