Currency Wars (relação USD/CNY)

Excelente livro do Jim Rickards que li. O livro explica bem a questão que os paises hoje se encontram. Já expliquei bem aqui nos varios pontos do Big Picture.

Os grandes participantes do comercio mundial hoje devido a grande crise de balanco precisam desesperadamente pagar suas dividas e gerar superavit, pois o mercado interno não é suficiente para gerar riqueza devido ao fim do ciclo do credito comentato acima, assim, estes ficam com poucas saidas e algumas delas são de baixa populariadade politica. As saidas de curto prazo sao

  • Austeridade para balancas as contas
  • Crescer atravez de inflacao para gerar receita e consequentemente crescer atravez de desvalorizacao cambio

A primeira opcao pode ser destacada de cara, pois é impopular e gera altos protestos e convulsoes sociais. Vide o que aconteceu na Grecia e UK por ter seguido este caminho.

Assim, sobre as outras duas opçoes que é estimular a economia e imprimir dinheiro gerando uma falsa sensacao de crescimento e quem sabe em doses anestesicas graduais a divida dos paises vao desaparecendo com a inflacao e isto acaba gerando um impacto no cambio, pois inflacao é uma forma de devalorizar o cambio em relacao a outras moedas. Isto pelo menos no curto prazo pode gerar uma falsa impressao que teve um aumento na competitividade gerando superavit e crescimento. So que o grande problema é: Se isto feito por todos os paises que querem desesperadamente crescer acaba gerando uma política de beg thy neigbour que nada mais é um pais implorando pro outro para que comprem seus produtos. Em outras palavras é o INICIO da GUERRA DE MOEDAS.

Sem querer gerar muita discussão e ir direto ao ponto e onde a coisa pode desandar nesta gerra é a relacao USD/CYN. A China embarcou em um processo de industrializacao que passou a ser a industria do mundo e o que iniciou este processo foi a devalorizacao do YUAN em 1994 que em janeiro do mesmo ano desvalorizou em um dia 60%. Desde entao com esforcos continuos do governo e para ficar mais competitivo ainda a mao de obra na China é bem barata relativo a mao de obra de paises desenvolvidos. Assim passou a ser proibitivo produzir certos artigos industriais de baixo ou medio valor agregado. Entao neste periodo o que aconteceu foi a transferencia de milhares e milhares de empregos de paises desenvolvidos para a China.

Nos paises desenvolvidos se viu nesta epoca empregos sendo criados em setores como Financeiro e Construcao (real estate) e ate tecnologia e servicos (bares, Restaurantes) para compensar a perda no setor industrial. So que quando veio a crise de 2008 muitos empregos sumiram no setor finaneiro, imobiliario e servicos e os EUA passou a ter uma tremendo desemprego estrutural e a China recebeu um cheque mate com relação a sustentabilidade de seu modelo exportador que só funcionava enquando o ocidente estava inebriado no cartao de credito e na mortgage e o mercado de acoes subia gerando uma falsa impressao de riqueza. O dia da verdade veio em 2008 quando o Lehman quebrou. Entretanto, todos, principalmente os políticos,  nao aceitaram a dor que teriam que ter para expurgar a podridao do sistema que seria algo parecido com o que ocorreu em 1930’s. Preferiram empurrar o negocio com a barriga e pelo que tudo indica um dia a corda vai estourar.

Neste processo a China como explicado em posts anteriores estimulou a economia para tentar disfarcar o problema que teve em 2008 com a desaceleracao das exportacoes causada pela crise e tambem com os EUA, imprimindo dinheiro isto forcou a China a ter que imprimir YUAN para manter o PEG gerando inflacao na China.

Para tentar conter um pouco deste efeito o governo Chines entrou em um processo manipulativo de valorizar o YUAN em cerca de 0.5% ao mes para geral pouco impacto ao invez de fazer isto de uma vez para absorver o impacto da inflacao. Pode se ver que o Yuan foi de cerca de 8 para 6.3 de 2008 a 2011.

O grande problema é que mesmo com uma desvalorizacao numa tentativa para aumentar o consumo interno o chines ainda tem muito chao para a China se transformar em uma economia de consumo. Nos EUA e Europa o consumo é cerca de 70% do Pib e nao China é ainda cerca de 40%. A China nao conseguira absorver no mercado interno toda a capacidade excessiva que hoje exporta pra paises que hoje estao sofrendo para manter o consumo em niveis altos pre-crise.

O risco desta guerra foi demostrado no Livro de Rickards que é o colapso do dolar e a China saindo do dolar como moeda de reserva, mas ao mesmo tempo a China ser a reserva mundial ainda precisa muito desenvolvimento. O problema é que dificilmente todo este processo sera feito de forma ordenada e a meu ver sera caotico e a forma de medir isto sera o desvalorizaçao de todas as moedas em relação ao ouro que vai ser o veiculo que forcara os governos mundiais seja atravez do G20 ou liderados pelos EUA ou Europa a criar um novo sistema financeiro que pode ate ser um novo quasi-gold standard.

1 Comment

Filed under Fundamentos, The Big Picture

One Response to Currency Wars (relação USD/CNY)

  1. Pingback: Lista de todos os posts do Velaepavio « Velaepavio's Blog

Leave a Reply